Buscar

Acordo de cooperação renova parceria entre Embrapa e WWF-Brasil

quarta-feira, julho 21, 2021

Garantir acesso público e facilitado ao conhecimento disponível sobre alimentos, e sensibilizar e estimular consumidores a tomarem decisões cada vez mais sustentáveis. Esses são os principais motivos que levaram a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o WWF-Brasil a lançarem, no final de 2016, a campanha #SemDesperdício com o apoio da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO Brasil). Esses parceiros históricos acabam de assinar um novo acordo de cooperação técnica (ACT) visando o avanço em várias frentes comuns.

Os signatários assumem compromisso mútuo de perseguir uma série de objetivos, como divulgar informações relevantes sobre sistemas alimentares saudáveis e circulares para as partes interessadas e contribuir para a elaboração de materiais educativos para a conscientização sobre dietas sustentáveis e desperdício de alimentos, visando especialmente os segmentos de jovens adultos e o público escolar. Dentre as primeiras atividades da parceria estão a participação conjunta em Grupo de Trabalho, liderado pela ONU Meio Ambiente, para propor ações visando a redução do desperdício de alimentos na América Latina com enfoque nas etapas de varejo e consumo, e ações de comunicação em mídias sociais por meio dos perfis da campanha Sem Desperdício.

“A intenção das duas instituições, desde o início das primeiras tratativas, é fortalecer o engajamento de consumidores. Da parte da Embrapa, temos claro interesse em analisar e divulgar pesquisas sobre dietas com impacto socioambiental positivo, inclusive do ponto de vista da redução do desperdício de alimentos”, afirma João Flavio Veloso, chefe da Embrapa Alimentos e Territórios. “Pretendemos fortalecer a atuação em rede, unindo esforços com outras Unidades da Embrapa e com parceiros das iniciativas pública e privada”, complementa.

Uma outra linha de atuação diz respeito à colaboração em iniciativas de apoio a políticas públicas de alimentação, com enfoque na ampliação do acesso a alimentos saudáveis e sustentáveis. “A promoção e fortalecimento da adoção das dietas saudáveis e sustentáveis tem alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 1 (Combate à pobreza), 2 (Fome Zero), 3 (Saúde e bem-estar), 4 (Educação de qualidade), 12 (Consumo e produção sustentáveis) e 13 (Mudanças climáticas)”, lembra Gustavo Porpino, analista da Embrapa Alimentos e Territórios que participou diretamente das articulações para redação e assinatura do ACT.

Em setembro de 2019, foi lançada a Década da Ação para o alcance dos ODS pelas Nações Unidas. A ampliação da oferta de alimentos saudáveis pode ser parte de uma estratégia de mitigação de perdas e desperdício em diversos elos da cadeia produtiva. “Só iremos avançar na garantia da segurança alimentar a todas as pessoas se o combate à perda e ao desperdício de alimentos também for prioridade”, afirma Gabriela Yamaguchi, diretora de Sociedade Engajada do WWF-Brasil. “As transformações são urgentes e interdependentes: valorizar alimentos mais saudáveis e nutritivos, com redução da perda e do desperdício em todos os elos da cadeia, é parte dos modelos regenerativos de produção e consumo que garantam sistemas alimentares mais resilientes e justos. As soluções nessa direção devem ser uma prioridade dos governos e organizações”, destaca.

Ao mesmo tempo, é importante informar, educar e empoderar os indivíduos para que quando possível, façam escolhas mais conscientes sobre o seu consumo de alimentos, considerando os impactos significativos associados a mudanças coletivas de comportamento. “Em 20 anos, segundo o Relatório Planeta Vivo 2020 do WWF, tivemos uma queda de 75% na diversidade de culturas cultivadas nas safras de todo mundo. Ações de educação para valorizar e estimular a produção e o consumo de alimentos variados, nativos e regionais, em harmonia com as pessoas e a natureza, estimulam o aumento de valores nutricionais e culturais, gerando menos impactos negativos das atividades humanas, garantindo a saúde e o bem-estar humano e ecossistêmico”, avalia Gabriela.

Porpino acrescenta ainda que, por sua relevância e abrangência, o tema das Perdas e Desperdício de Alimentos tem desdobramentos diretos nos compromissos assumidos pelos países em acordos estratégicos internacionais, como o Acordo de Paris firmado na 21ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima; a Agenda 2030 e o Plano da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos para a Segurança Alimentar, Nutrição e Erradicação da Fome 2025 (PLANSAN CELAC 2025).

A Agenda 2030 traz em seu Objetivo de Desenvolvimento Sustentável nº 12 (Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis), a meta 12.3: “Até 2030, reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial, nos níveis de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita”.

Em 2018, a Embrapa liderou uma pesquisa, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e apoio da União Europeia, para identificar os alimentos mais desperdiçados pelos consumidores, e explorar possíveis motivos que justificassem esse comportamento. “Esse estudo contribui para a construção de uma linha de base para pautar o desenho de ações para a redução de perdas e desperdício de alimentos, a sua divulgação por meio da plataforma e da rede estabelecida pela campanha #SemDesperdício, também contribui para a construção de repertório, conscientização e sensibilização dos consumidores em geral”, considera Gustavo.

A Embrapa ressalta que os dados dessa e de outras pesquisas evidenciam que o Brasil precisa atuar em diferentes elos da cadeia para evitar perdas e desperdícios de alimentos, e incentivar mudanças em padrões alimentares, buscando a saúde e bem-estar, e que ações de comunicação e educação alimentar são fundamentais para conscientizar e conectar o consumidor com o alimento, assim como às tecnologias e capacitações técnicas.


Comunicação

Aplicar conhecimento técnico e informações científicas em materiais de educação é outra atividade fundamental prevista no ACT, para ampliar o avanço da agenda de redução das perdas e desperdício de alimentos e promoção de dietas sustentáveis. Nesse sentido, a iniciativa expandiu suas atuações em 2019, com a produção conjunta de materiais educativos ao público escolar e realização de eventos e oficinas empregando este material, como no projeto financiado pelos Diálogos Setoriais União Europeia - Brasil.

Além da produção do Guia do Educador #SemDesperdício, com passo-a-passo para a realização de atividades lúdicas para o combate ao desperdício de alimentos e sistemas alimentares, a iniciativa também coordenou a publicação de um gibi, em parceria com o Instituto Maurício de Souza focado na redução do desperdício de alimentos. “Ambos os materiais tiveram divulgação presencial, com eventos conduzidos em Rio Branco (AC), Aracaju (SE) e Foz do Iguaçu (PR), contabilizando a participação de mais de 300 jovens e professores naquele período”, lembra Gustavo.

Ainda em 2019, a Iniciativa #SemDesperdício também fortaleceu seu pilar de engajamento do público geral através de um evento cujo público-alvo eram influenciadores digitais e que permitiu a esse público uma vivência com a agroecologia e troca de experiências com especialistas da Embrapa, WWF-Brasil e UnB.

Em dezembro de 2017, um grupo formado por especialistas da Embrapa, Ministério do Desenvolvimento Social, WWF-Brasil e Delegação da UE no Brasil participou de missão à Bélgica, Dinamarca, Holanda, Inglaterra e França para conhecer campanhas de comunicação e outras experiências exitosas de combate ao desperdício de alimentos, tais como bancos de alimentos e supermercados sociais.

Além do aprendizado e troca de experiências, a missão permitiu estreitar o relacionamento da Embrapa com diversas instituições, como Wageningen UR, ministérios europeus e WRAP. Foram realizadas apresentações institucionais na Comissão Europeia, em Bruxelas; no Ministério da Agricultura e Alimentação da Holanda; e no Ministério do Meio Ambiente e Alimentação da Dinamarca.

Por meio do comitê técnico da Câmara Interministerial sobre Segurança Alimentar e Nutricional (CAISAN) foi aprovada em 2018 a “Estratégia intersetorial para redução das perdas e do desperdício de alimentos”, que tem como um dos eixos de ação “comunicação e capacitação”. A iniciativa #Sem Desperdício influenciou também a oficialização da Semana Nacional de Conscientização sobre Perdas e Desperdício de Alimentos, realizada pelo Ministério do Meio Ambiente e parceiros de 5 a 10 de novembro de 2018.


Pandemia

Considerando as diversas mudanças em hábitos alimentares dos consumidores brasileiros devido à pandemia de COVID-19, e a intensificação das discussões sobre Dietas Sustentáveis e Desperdício de Alimentos em meio a este cenário, é essencial a continuidade das atividades das duas instituições como articuladoras na construção de uma rede que busque identificar e implementar soluções multissetoriais com os diversos atores da cadeia dos alimentos, incluindo o consumidor final.

Fonte: Notícias Agrícolas

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) acordo (1) Acordo Internacional (31) Acrocomia aculeata (77) Agricultura (278) Agricultura 4.0 (5) agriculture (1) Agroenergia (127) Agroindústria (25) Agronegócio (231) Agropecuária (53) Água (22) Àgua (1) Alimentação Saudável (14) Alimentos (364) Amazônia (71) Ambiente (1) animal nutition (1) ANP (87) Arte (1) Artigo (47) Aspectos Gerais (177) Aviação (35) Aviation fuel (8) Aviation market (23) B12 (3) B13 (2) Bebidas (2) Bioativo (3) Biochemistry (5) Biocombustíveis (440) Biodefensivos (4) Biodiesel (330) Biodiesel Empresas (1) Biodiversidade (11) Bioeconomia (118) Bioeconomia Agronegócio (1) Bioeletricidade (26) Bioenergia (209) Biofertilizantes (11) Biofuels (104) Bioinsumos (15) Biomas (2) Biomass (7) Biomassa (90) Biomateriais (6) bioplásticos (2) Biopolímeros (15) Bioproducts (3) Bioprodutos (25) Bioquerosene (47) Biorrefinaria (2) Biorrenováveis (1) Biotechnology (35) Biotecnologia (85) BNDES (2) Bolsa de Valores (30) Brasil (67) Brazil (29) Cadeia Produtiva (15) Capacitação (31) CAR (4) Carbonatação (1) Carbono (3) Carbono Neutro (9) Carbono Zero (19) Carvão Ativado (10) carvão vegetal (3) CBios (68) CCEE (1) cellulose (1) Celulose (15) Cerrado (22) Chuvas (5) Cidades (1) Ciência e Tecnologia (399) Clima e ambiente (279) Clima e ambiente Preços (1) climate changed (60) CNA (1) Cogeração de energia (30) Combustíveis (104) Combustíveis Fósseis (40) Combustíveis verde (1) Comércio (46) Consciência Ecológica (25) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (7) Copolímeros (2) Cosméticos (40) Crédito de Carbono (43) Crédito Rural (19) Créditos de Descarbonização (25) Culinária (1) Cultivo (122) Culturas Perenes. Agricultura (1) Curso (13) Dados (1) Davos (4) Dendê (4) Desafios (3) Descarbonização (4) Desenvolvimento Sustentável (182) Desmatamento (6) Diesel (20) Diesel Verde (22) eco-friendly (5) Economia (90) Economia Circular (12) Economia Internacional (113) Economia Sustentável (4) Economia Verde (173) Economy (32) Ecosystem (6) Educação (1) Efeito estufa (18) Eficiência energética (55) Embrapa (4) Emissões de Carbono (60) Empreendedorismo (8) Empresas (161) Energia (102) energia limpa (17) Energia Renovável (253) Energia Solar Fotovoltaica (22) ESG (23) Estudo (2) Etanol (82) Europa (2) event (11) Eventos (160) Exportações (92) Extrativismo (63) FAO (6) Farelos (45) farm (1) Fertilidade (2) Fibras (9) Finanças (5) Financiamento (1) Floresta (27) Floresta plantada (114) Fomento (42) Food (42) food security (8) forest (1) Fruticultura (9) Fuels (27) Gamificação (1) Gás (3) Gás natural (1) Gasolina (3) Gastronomia (1) GEE (3) Glicerina (2) Global warming (114) Green Economy (127) health (23) Hidrogênio Verde (5) História (1) IBP (1) ILPF (5) Incentivos (4) India (1) indústria (1) Industry (1) Industry 4.0 (2) Ìnovaç (1) Inovação (192) Instituição (1) Insumos (4) Investimento (7) Investimentos (1) IPCC (14) IPFL (1) L72 (4) L73 (7) Legislação (11) Lignina (8) livestock (4) Low-Carbon (55) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (596) Madeira (21) Mamona (1) Manejo (1) Manejo e Conservação (111) MAPA (32) Máquinas e equipamentos (1) Mata Atlântica (5) Matéria Prima (2) Matéria-Prima (3) Matéria-PrimaResíduos (1) matérias-primas (3) MCTI (1) Meio Ambiente (300) Melhoramento e Diversidade Genética (72) Mercado (4119) Mercado de Combustíveis (67) Mercado Financeiro (13) Mercado florestal (74) Mercado Internacional (45) Metas (5) Micotoxinas (1) Milho (17) Minas Gerias (1) MMA (1) MME (50) Mudanças Climáticas (38) mudas (2) Mundo (162) Nações Unidas (4) Negócios (11) nergia limpa (1) net-zero (40) Nutrição animal (18) nutrition (9) Oil (51) Oleaginosas (102) Oleochemicals (10) Óleos (252) Óleos Essenciais (8) Óleos Vegetais (24) OMC (2) ONGs (1) ONU (15) Oportunidade (5) Oportunidades (8) other (1) Palm (2) Palma (30) palmeiras (4) Paris Agreement (93) Pecuária (88) Pegada de Carbono (104) Personal Care (3) Pesquisa (78) Pessoas (2) Petrobras (9) Petróleo (33) PIB (5) pirólise (3) Plano Safra (1) Plant Based (28) Plant-Based (1) Política (81) Política Ambiental (2) políticas públicas (1) Preços (68) Preservação Ambiental (52) Produção Agrícola (1) Produção Animal (8) Produção Integrada (1) Produção Sustentável (62) Produção vegetal (10) Produtividade (52) Produtos (150) Proteção Ambiental (15) proteína vegetal (28) Qualidade do Ar (2) químicos verdes (1) Recuperação Ambiental (6) Recuperação de área Degradada (48) Recuperação Econômica (3) Reflorestamento (31) regulamentação (2) Relatório (16) renewable energy (19) RenovaBio (74) Report (2) Research and Development (11) Resíduos (16) Sabão (1) SAF (6) Safra (2) Saúde e Bem-Estar (130) science and technology (48) Sebo (5) Segurança Alimentar (157) Segurança Energética (14) Selo Social (12) sementes (2) silvicultura (2) Sistema Agroflorestal (41) Sistemas Integrados (24) Sociobiodiersidade (6) Soil (9) Soja (80) Solos (53) Sustainability (59) Sustainable Energy (69) Sustentabilidade (650) Tecnologia (52) Tempo (1) Títulos verdes (3) Transportes (5) Turismo Sustentável (7) Unica (1) Vídeo (265) World (5) World Economy (79) Zero-Carbon (2)

Total de visualizações de página