Buscar

Macaúba é uma palmeira aproveitada desde os frutos até a madeira

quarta-feira, maio 20, 2020

Os 20 Benefícios da Macaúba Para Saúde - ATUALIZADO 2018 - Portal ...
Acrocomia aculeata é uma das duas espécies de palmeira nativas do Brasil que são conhecidas como macaúba
A macaúba é uma espécie de palmeira que pode atingir 25 metros de altura. Suas folhas contêm longos espinhos pontiagudos. Essa árvore encontra-se por praticamente todo o território brasileiro e possui nomes diferentes em cada região. Uma das características mais marcantes dessa palmeira é a importância de seus frutos, tanto para a natureza quanto para o homem.
Desde os frutos até sua madeira, a macaúba tende a render e ser bastante aproveitada. Dentre os produtos mais consumidos e produzidos dessa árvore estão o óleo, a polpa, a farinha e até o biodiesel. Descubra mais sobre essa importante palmeira e seus benefícios diversos!
macaúba
O que é macaúba?
Macaúba é uma palmeira ornamental que pode chegar a até 25 metros de comprimento na natureza. Trata-se de uma árvore bastante resistente que pode, inclusive, suportar até mesmo queimadas e secas.
Pertencente à família Arecaceae, essa é uma planta encontrada em todo o território brasileiro, mas especialmente na região da floresta latifoliada semidecídua pertencente à Mata Atlântica. Essa região situa-se desde o Pará e passa por São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rio de Janeiro.
As folhas da macaúba podem chegar a até 5 metros de comprimento. Suas frutas e flores, quando estão nos cachos, atingem até 60 quilos.
Com frutos globosos, sua polpa é comestível e possui sabor adocicado. Rica em glicerídeos, é muito aproveitada na culinária, na produção de óleo e farinha, assim como bem utilizada como sabonetes e sabão.
Para que serve a macaúba?
Um dos principais benefícios da macaúba é que consegue-se aproveitar praticamente tudo dessa planta. Desde o fruto, que é a parte mais importante economicamente, até sua madeira. Ela possui a polpa de seus frutos muito oleosa, sendo utilizada para a engorda de animais, especialmente os porcos.
A árvore é super-resistente e se adapta ao clima quente das regiões em que ocorre. Seu alto potencial na economia faz com que seja amplamente aproveitada e seus produtos sejam valorizados no mercado.
  • Veja as utilizações de suas partes:
  • Tronco: seu tronco possui uma madeira bastante grossa e resistente, ideal para ser usado em construções;
  • Broto: a partir dos brotos dessa árvore, pode-se produzir o palmito;
  • Folha: são utilizadas como matéria-prima na confecção de fibras para linha, corda e rede;
  • Talo da folha: cestos, balaios e chapéus são feitos a partir do talo;
  • Flores: as flores são usadas como ornamento;
  • Raiz: ripas de madeira e biqueiras;
  • Espinho: como são duros e fortes, usa-se como agulha para tecelagem;
  • Casca: possui grande teor de ferro, utiliza-se na alimentação infantil contra a desnutrição;
  • Endocarpo: utilizado na produção de carvão vegetal;
  • Amêndoa: óleo vegetal;
  • Polpa: utilizada nos cuidados contra o envelhecimento e contra a baixa imunidade.
macaúba

Frutos da macaúba
Os frutos dessa palmeira possuem o maior valor comercial da planta. Trata-se de produtos que são conseguidos através de seus frutos, além do consumo in natura. Fonte de renda de centenas de famílias por todo o Brasil, tem atraído também a atenção de pesquisadores e investidores.
A caixa da fruta macaúba pode ser vendida por até cinco reais dependendo da região. Um agricultor consegue vender, em média, 60 caixas. Elas são vendidas principalmente para usinas que fazem o processamento do fruto.
Nessas usinas, ela passa pelo processo de despolpamento, para posteriormente ter a massa recolhida e inserida na prensa. Desse modo, o óleo, a matéria-prima mais importante para as linhas industriais, é extraído.
Além do óleo, o resíduo também é aproveitado como ração animal. Já da castanha, é retirado outro óleo mais nobre e mais caro.
Óleo da macaúba
A macaúba produz dois tipos de óleo:
  • Óleo da polpa;
  • Óleo da amêndoa.

O óleo da polpa de macaúba é rico em ácido oleico e carotenoides, excelente na utilização da produção de biodiesel e cosméticos. Do mesmo modo, esse óleo também pode ser utilizado na produção de insumos alimentícios como margarina, óleo de mesa e creme vegetal. Isso ocorre por conta das qualidades nutricionais que trazem benefícios à saúde.
Entretanto, o principal uso desse óleo se dá na utilização de biodiesel. Ele contém particularidades automotivas, sendo caracterizado como vantajoso para o processamento industrial.
Já o óleo da amêndoa tem em sua composição substâncias nutritivas voltadas para a linha cosmética, especialmente para o cabelo. O óleo de macaúba tem se tornado uma opção ao óleo marroquino, conhecido como óleo de argan.
Outras utilizações do óleo
Certamente, as utilizações do óleo de macaúba não param por aí. Do resíduo é feito uma pasta utilizada na limpeza de vasilhas e panelas de alumínio. Já com o óleo mais puro, retirado das amêndoas, é feito o sabão em pó e em barra.
São 300 toneladas de coco produzidas por ano em uma só usina de médio porte. Isso resulta em uma produção que varia entre 60 e 70 mil litros de óleo vegetal. Na fabricação de sabão em barra, são feitas aproximadamente 400 mil unidades por ano.
Inegavelmente, o aproveitamento do coco macaúba tem atraído cada vez mais a atenção dos pesquisadores. Atualmente, uma rede nacional estuda a fruta e procura formas de desenvolver o plantio em larga escala. Mudas desenvolvidas em laboratório são plantadas nesses centros de estudo e são acompanhadas permanentemente.
macaúba
Cultivo de macaúba
Para a palmeira atingir todo o potencial de produção, o solo a ser escolhido deve conter textura média e argilosa. Ademais, deve-se evitar solos pedregosos, que contenham impedimentos físicos e submetidos a encharcamento.
Além disso, a plantação dessa palmeira possui menor gasto para se desenvolver e um maior potencial de produção. A semente da macaúba possui um revestimento rígido, dessa maneira, diversos agricultores têm dificuldade no plantio.
As mudas dão respostas lentas ao crescimento e só começam a ser percebidas após o sexto mês. Após essa fase, as plantas com maior taxa de nutrição começam a se destacar.
A produção das mudas pode ser realizada em duas etapas: pré-germinada e produção em viveiro. Isso porque essa espécie possui baixa germinação.
Ademais, a colheita dos frutos dura em média seis meses, entre outubro e março. O principal diferencial da macaúba é que ela pode ser cultivada em locais desvalorizados. Também não é preciso fazer o desmatamento da área para ampliar a plantação e produção.
Em resumo, trata-se de uma planta econômica, já que em comparação com a soja, por exemplo, são 14 hectares para cada um da macaúba.
A macaúba certamente será uma alternativa interessante no futuro. A esperança é de que ela seja uma planta que possa ser utilizada como cultura, assim como sua utilização em um contexto autossustentável por pequenos agricultores. Tudo isso por um sistema mais diversificado.
Por: Lucas Caixeta Vieira
Fonte: Agro 2.0

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (24) Abiove (8) Acordo Internacional (20) Acrocomia aculeata (43) Agricultura (74) Agroenergia (97) Agroindústria (19) Agronegócio (90) Agropecuária (27) Alimentos (273) Amazônia (11) animal nutition (1) ANP (53) Arte (1) Artigo (17) Aspectos Gerais (177) Aviação (30) Aviation market (16) B12 (3) B13 (2) Bebidas (1) Biochemistry (5) Biocombustíveis (351) Biodiesel (246) Bioeconomia (46) Bioeletricidade (22) Bioenergia (137) Biofertilizantes (4) Biofuels (102) Biomass (7) Biomassa (81) Biomateriais (3) Biopolímeros (7) Bioproducts (2) Bioprodutos (13) Bioquerosene (36) Biotechnology (34) Biotecnologia (51) Bolsa de Valores (20) Brasil (11) Brazil (28) Cadeia Produtiva (12) Capacitação (4) Carbonatação (1) Carvão Ativado (6) CBios (42) CCEE (1) Celulose (6) Cerrado (9) Ciência e Tecnologia (266) Clima e ambiente (235) climate changed (42) CNA (1) Cogeração de energia (28) Combustíveis (74) Combustíveis Fósseis (23) Comércio (15) Consciência Ecológica (19) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (4) Copolímeros (2) Cosméticos (25) Crédito de Carbono (38) Crédito Rural (2) Créditos de Descarbonização (20) Cultivo (107) Curso (3) Davos (3) Desenvolvimento Sustentável (96) Diesel (13) Diesel Verde (13) eco-friendly (4) Economia (61) Economia Circular (3) Economia Internacional (108) Economia Verde (167) Economy (30) Ecosystem (6) Efeito estufa (14) Eficiência energética (35) Empreendedorismo (2) Empresas (18) Energia (76) Energia Renovável (229) Energia Solar Fotovoltaica (14) Etanol (58) Europa (1) event (10) Eventos (107) Exportações (60) Extrativismo (42) FAO (2) Farelos (45) farm (1) Fibras (9) Finanças (3) Floresta plantada (96) Fomento (4) Food (42) food security (7) forest (1) Fuels (26) Gás (2) Gasolina (1) Gastronomia (1) GEE (2) Glicerina (2) Global warming (98) Green Economy (125) health (22) IBP (1) Incentivos (4) Industry 4.0 (1) Ìnovaç (1) Inovação (60) IPCC (14) L72 (4) L73 (7) Legislação (6) Lignina (7) livestock (4) Low-Carbon (45) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (550) Madeira (11) Mamona (1) Manejo e Conservação (83) MAPA (8) Meio Ambiente (159) Melhoramento e Diversidade Genética (65) Mercado (3992) Mercado de Combustíveis (50) Mercado Financeiro (9) Mercado florestal (62) Mercado Internacional (32) Metas (2) Milho (10) MME (21) Mudanças Climáticas (13) Mundo (26) Nações Unidas (1) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (50) Oleaginosas (75) Oleochemicals (8) Óleos (241) Óleos Essenciais (2) ONU (7) other (1) Palma (15) Paris Agreement (83) Pecuária (72) Pegada de Carbono (73) Personal Care (2) Pesquisa (20) Petrobras (6) Petróleo (22) PIB (1) pirólise (3) Plant Based (14) Política (74) Preços (25) Preservação Ambiental (17) Produção Animal (4) Produção Sustentável (33) Produtividade (26) Produtos (150) Proteção Ambiental (5) proteína vegetal (28) Recuperação de área Degradada (38) Recuperação Econômica (3) Relatório (7) renewable energy (18) RenovaBio (45) Research and Development (10) Resíduos (3) SAF (3) Saúde e Bem-Estar (88) science and technology (46) Sebo (4) Segurança Alimentar (75) Segurança Energética (11) Selo Social (3) Sistema Agroflorestal (18) Sistemas Integrados (6) Soil (9) Soja (49) Solos (18) Sustainability (50) Sustainable Energy (66) Sustentabilidade (467) Tecnologia (16) Transportes (4) Turismo Sustentável (3) Unica (1) Vídeo (228) World Economy (76)

Total de visualizações de página