Buscar

Comunidades do Arapiuns receberão 12 mil mudas de plantas para reflorestamento na região

sexta-feira, fevereiro 01, 2019

Moradores de sete comunidades da região do Arapiuns receberão 12 mil mudas de plantas — Foto: Projeto Saúde e Alegria/Divulgação
Moradores de sete comunidades da região do Arapiuns receberão 12 mil mudas de plantas — Foto: Projeto Saúde e Alegria/Divulgação

Ao todo serão sete comunidades da Resex Tapajós-Arapiuns que vão receber mudas de andiroba e açaí.


Moradores de sete comunidades da região Arapiuns em Santarém, no oeste do Pará, vão iniciar um trabalho de reflorestamento em várias áreas da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns (Resex). 12 mil mudas serão doadas às comunidades.

Naturais da região amazônica as espécies como açaí e andiroba serão distribuídas pelo Projeto Saúde e Alegria às comunidades São José 1, Zaire, Aminã, Atody, São Miguel, Arapiranga e Anã. A entrega começa em 17 de fevereiro e segue até 02 de março.

Desde o dia 28 de janeiro, equipes estão realizando visitas nas localidades para fazer levantamento e cadastro da pré-distribuição das mudas. “Vamos aproveitar para visitar alguns roçados, saber como é que está o andamento dos plantios. Essas visitas são importantes porque a gente vai garantir a distribuição durante duas semanas na região”, explicou o coordenador do Centro Experimental Floresta Ativa, Steve Mcqueen.

Mudas de plantas serão distribuídas em fevereiro na região do Arapiuns — Foto: Projeto Saúde e Alegria/Divulgação
Mudas de plantas serão distribuídas em fevereiro na região do Arapiuns — Foto: Projeto Saúde e Alegria/Divulgação

Reflorestamento

O principal objetivo da distribuição é promover o reflorestamento através da participação dos próprios comunitários engajados com a defesa do meio ambiente e interessados em práticas de agricultura sustentável.

A intenção é recuperar áreas degradadas nas proximidades das comunidades, nos quintais e junto aos roçados familiares e oferecer aos produtores os instrumentos necessários para implantação de sistemas agroflorestais, permaculturais, entre outras práticas mais eficientes, eficazes e amigáveis ao meio ambiente.

Além de contribuir com a manutenção da floresta em pé, os agricultores familiares são incentivados a agregarem valor à sua produção, com a diversificação de espécies com valor de mercado, e a experimentação da venda de créditos de reposição florestal.

Na região oeste do Pará, o desmatamento aumento cerca de 40% em 2018, apontou o Pesquisadores do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). O aumento também ocorreu no Acre, norte de Mato Grosso, Sul do Amazonas e parte de Rondônia.

Fonte: G1

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página