Buscar

Conab aponta queda de área para básicos e aumento para produtos exportáveis

sexta-feira, dezembro 14, 2018

A safra do próximo ano terá redução de área no plantio de produtos básicos e aumento na dos produtos exportáveis


Os dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) desta terça-feira (11) apontam uma queda de área de 7% para arroz e de 3% para feijão na safra 2018/19.
Já a área de soja, a maior dedicada a grãos no país, sobe para o recorde de 35,8 milhões de hectares, 2% mais do que a anterior.
A área do milho —que vem perdendo espaço na safra de verão e ganhando na de inverno— sobe para 16,7 milhões de hectares, um pouco acima da anterior.
A diminuição de área dos produtos básicos e o não crescimento da produtividade farão com que a produção do próximo ano fique abaixo da deste.
Com essa queda, os estoques de passagens de um ano para outro voltam a cair. O de arroz, o menor em cinco safras, será suficiente para apenas 14 dias de consumo.
Os estoques de feijão, devido à queda da safra para 3 milhões de toneladas, serão suficientes para 21 dias.
Esses estoques levam em consideração a produção, importação, exportação e consumo interno.
O milho, uma cultura que vem ganhando espaço nos anos recentes, terá uma produção de 91 milhões de toneladas em 2018/19. Se a estimativa da Conab se confirmar, a safra terá evolução de 13%.
A soja atinge novo recorde e somará 120 milhões de toneladas, 1% mais do que a produção de 2017/18.
A safra total de grãos de 2018/19 atingirá 238,4 milhões de toneladas, 5% mais do que a anterior. A produção não cresce mais porque as condições climáticas não serão muito favoráveis e vários produtos apresentarão queda de produtividade, segundo cálculos da Conab.
O Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) também divulgou dados de grãos nesta terça-feira. Na avaliação do órgão americano, a produção mundial de soja sobe para 369,2 milhões de toneladas.
Estados Unidos, com 125,2 milhões, e Brasil, com 120,5 milhões, lideram a produção mundial. Já a China, com compras previstas de 90 milhões de toneladas, lidera as importações mundiais.
Fonte: Folha de S. Paulo

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) Acordo Internacional (23) Acrocomia aculeata (49) Agricultura (106) Agroenergia (119) Agroindústria (21) Agronegócio (116) Agropecuária (35) Água (1) Àgua (1) Alimentos (287) Amazônia (20) animal nutition (1) ANP (64) Arte (1) Artigo (27) Aspectos Gerais (177) Aviação (30) Aviation market (16) B12 (3) B13 (2) Bebidas (1) Bioativo (1) Biochemistry (5) Biocombustíveis (378) Biodiesel (268) Biodiversidade (1) Bioeconomia (59) Bioeletricidade (25) Bioenergia (165) Biofertilizantes (4) Biofuels (102) Bioinsumos (1) Biomass (7) Biomassa (85) Biomateriais (5) Biopolímeros (7) Bioproducts (2) Bioprodutos (15) Bioquerosene (36) Biorrefinaria (1) Biotechnology (34) Biotecnologia (66) Bolsa de Valores (22) Brasil (11) Brazil (28) Cadeia Produtiva (14) Capacitação (8) Carbonatação (1) Carbono Zero (5) Carvão Ativado (6) CBios (47) CCEE (1) Celulose (6) Cerrado (12) Ciência e Tecnologia (285) Clima e ambiente (242) climate changed (42) CNA (1) Cogeração de energia (29) Combustíveis (84) Combustíveis Fósseis (26) Comércio (15) Consciência Ecológica (20) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (4) Copolímeros (2) Cosméticos (28) Crédito de Carbono (38) Crédito Rural (2) Créditos de Descarbonização (22) Cultivo (114) Curso (3) Dados (1) Davos (3) Desafios (1) Desenvolvimento Sustentável (120) Desmatamento (1) Diesel (13) Diesel Verde (13) eco-friendly (4) Economia (65) Economia Circular (6) Economia Internacional (109) Economia Verde (170) Economy (30) Ecosystem (6) Efeito estufa (14) Eficiência energética (40) Empreendedorismo (3) Empresas (26) Energia (82) Energia Renovável (235) Energia Solar Fotovoltaica (16) Etanol (66) Europa (1) event (10) Eventos (113) Exportações (68) Extrativismo (49) FAO (2) Farelos (45) farm (1) Fibras (9) Finanças (4) Floresta (2) Floresta plantada (97) Fomento (9) Food (42) food security (7) forest (1) Fuels (26) Gás (3) Gasolina (1) Gastronomia (1) GEE (2) Glicerina (2) Global warming (98) Green Economy (125) health (22) IBP (1) Incentivos (4) Industry 4.0 (1) Ìnovaç (1) Inovação (79) Instituição (1) Investimento (1) IPCC (14) L72 (4) L73 (7) Legislação (6) Lignina (7) livestock (4) Low-Carbon (45) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (557) Madeira (11) Mamona (1) Manejo e Conservação (90) MAPA (11) Matéria Prima (1) Meio Ambiente (174) Melhoramento e Diversidade Genética (67) Mercado (4022) Mercado de Combustíveis (57) Mercado Financeiro (9) Mercado florestal (64) Mercado Internacional (37) Metas (2) Milho (13) MME (25) Mudanças Climáticas (16) Mundo (37) Nações Unidas (1) net-zero (4) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (50) Oleaginosas (81) Oleochemicals (8) Óleos (242) Óleos Essenciais (3) ONGs (1) ONU (7) Oportunidade (1) Oportunidades (1) other (1) Palma (17) Paris Agreement (85) Pecuária (74) Pegada de Carbono (79) Personal Care (3) Pesquisa (33) Petrobras (9) Petróleo (24) PIB (2) pirólise (3) Plant Based (16) Política (74) Preços (28) Preservação Ambiental (20) Produção Animal (6) Produção Sustentável (38) Produtividade (31) Produtos (150) Proteção Ambiental (7) proteína vegetal (28) Recuperação de área Degradada (42) Recuperação Econômica (3) Relatório (8) renewable energy (18) RenovaBio (50) Research and Development (10) Resíduos (3) SAF (3) Safra (1) Saúde e Bem-Estar (90) science and technology (46) Sebo (5) Segurança Alimentar (79) Segurança Energética (12) Selo Social (4) Sistema Agroflorestal (20) Sistemas Integrados (8) Soil (9) Soja (57) Solos (23) Sustainability (52) Sustainable Energy (67) Sustentabilidade (496) Tecnologia (24) Transportes (5) Turismo Sustentável (3) Unica (1) Vídeo (233) World Economy (77) Zero-Carbon (1)

Total de visualizações de página