Buscar

Novos projetos buscam a proteção de plantas no cultivo de grãos

segunda-feira, abril 09, 2018

A parceria da Embrapa com o Rothamsted Research vai promover novos estudos na proteção de cultivos como trigo, soja, arroz e feijão. O tema “proteção inteligente das culturas” envolve 14 pesquisadores, sendo 10 da Embrapa e cinco do Rothamsted. A proposta é monitorar e prever a propagação de pragas, plantas daninhas e doenças em tempo real, além de combinar soluções genéticas, químicas, ecológicas e estratégias agronômicas para a proteção das culturas.
- Novos projetos buscam a proteção de plantas no cultivo de grãos
No contexto mundial de produção de grãos, a Embrapa é destaque em trabalhos voltados ao controle de doenças e adaptações dos cultivos às variações do clima. Já os pesquisadores do Rothamsted Research, principal centro de pesquisa agrícola do Reino Unido, localizado em Harpenden, na Inglaterra, são pioneiros na geração de conhecimentos científicos sobre fitossanidade, contando com tecnologia de ponta para buscar soluções em problemas com pragas e doenças.

Cereais de Inverno

A produção de cereais de inverno na região sul-brasileira enfrenta dificuldades similares à produção no Reino Unido, com adversidades no clima, cuja umidade resulta na incidência de doenças fúngicas, e com chuvas na colheita, que afetam a qualidade comercial dos grãos. Estas semelhanças trouxeram ao Brasil o Diretor do Rothamsted, Achim Dobermann, ainda em 2015, quando visitou a Embrapa Trigo (Passo Fundo, RS) com o objetivo de fortalecer a parceria entre as instituições de pesquisa em aspectos relativos ao manejo do solo e intensificação sustentável de sistemas de produção envolvendo cereais de inverno. Ele destacou a preocupação em desenvolver estudos voltados à resistência em agentes de controle de insetos, doenças e plantas daninhas.
Desde então, de acordo com a Chefe Adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento, Ana Christina Sagebin Albuquerque, a Embrapa Trigo vem atuando em trabalhos conjuntos com Rothamsted sobre a tolerância de trigo a afídeos, extremos de temperatura (geada e calor), déficit hídrico, resistência a doenças como giberela e brusone, entre outros.
Recentemente, em março de 2018, o grupo que coordena a cooperação científica Embrapa-Rothamsted, aprovou cinco projetos que deverão direcionar os trabalhos de pesquisa até o próximo ano. Na proteção de doenças no trigo, foram selecionados dois projetos:
  • “Investigando alterações na emissão de compostos volateis em trigo, como meio para diagnosticar infecções causadas por doenças fúngicas” (Investigating changes in the volatile profile of wheat crops as a means of diagnosing fungal disease infection),  com liderança da Embrapa Trigo; e
  •  “O uso de novas ferramentas para monitorar doenças de plantas e promover a proteção inteligente de culturas no Brasil” (The use of novel high volume cyclone samplers to monitor airborne inoculum of key plant diseases and foster smart crop protection in Brazil), parceria de pesquisadores da Embrapa Trigo, Embrapa Soja e Embrapa Arroz e Feijão.
Para o pesquisador Fávio Santana, as novas propostas aprovadas permitem dar sequência às atividades realizadas em outros dois projetos, que já trouxeram resultados importantes para o combate a doenças na cultura, sendo o principal deles a internalizaçao de metodologias modernas, por meio de tecnologias de aprendizagem de máquina (machine learning) em projetos da Embrapa Trigo, resultante do trabalho iniciado em 2015 através da parceria com a Universidade de Aberystwyth no País de Gales.
Ainda em desenvolvimento, de 2016 a 2019, o projeto que busca na biotecnologia a identificação de genes de resistência à giberela no trigo. O projeto está sob a liderança do Rothamsted, com a colaboração de diversas instituições de pesquisa do Brasil. Na Embrapa Trigo, a equipe (formada pelos pesquisadores José Mauricio Fernandes, Elene Yamazaki Lau, Casiane Tibola, Maria Imaculada Lima e Ana Lídia Bonato) deverá avaliar as primeiras linhagens de trigo que se mostraram promissoras com o uso de uma nova abordagem biotecnológica chamada silenciamento gênico. 
“Os testes de campo deverão avaliar as linhagens que apresentam melhor reação à giberela”, conta José Maurício Fernandes. “Estamos otimistas com os resultados alcançados até aqui, vislumbrando a possibilidade de reduzir os problemas com giberela nas lavouras brasileiras e vencer esta doença que desafia a produção de trigo no mundo”, conclui o pesquisador.

Labex

O incentivo ao desenvolvimento de novos projetos entre a Embrapa e o centro de pesquisas Rothamsted é uma ação do Labex Europa - programa da Embrapa de Laboratórios Virtuais no Exterior para aprimorar a cooperação científica internacional – atualmente sob a coordenação do pesquisador Pedro Machado. 
As propostas de projetos em parceria foram elaboradas durante um workshop, realizado no final de 2017, na Embrapa Instrumentação (São Carlos, SP), que contou com a participação de pesquisadores de diversas áreas. Os projetos aprovados são cofinanciados e contam com aporte direto de recursos provenientes do BBSRC/Newton Fund, destinados a promover a interação entre pesquisadores na investigação de métodos de prevenção e controle de pragas e doenças na produção de grãos.
Fonte: Embrapa

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Total de visualizações de página