Buscar

Macaúba será um vetor de transformação para o Cerrado brasileiro

segunda-feira, novembro 22, 2021


De porte médio, a palmácea é uma espécie rústica, pouco exigente em termos hídricos, o que permite o seu plantio em regiões com longos períodos de estiagem.

Os planos da S.Oleum, startup do agronegócio (AgTech) voltada ao desenvolvimento de soluções sustentáveis, são audaciosos. Ela quer chegar a 175 mil hectares de cultivo de macaúba – palmeira nativa do Brasil – em sistemas integrados até 2027, quando será finalizada a primeira fase do projeto. “Faremos isso no Cerrado, porque só no ano passado o bioma teve mais de 7.300 Km2  de vegetação nativa suprimida, segundo os dados do Inpe [Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais]”, diz Felipe Morbi, sócio-fundador da S.Oleum, que desde 2007 se dedica à estruturação da cadeia da macaúba.

A escolha do Cerrado não foi por acaso. Conhecido como celeiro hídrico nacional por ter em sua área as nascentes das principais bacias hidrográficas da América do Sul, o bioma é a savana mais biodiversa do mundo. Além disso, sua vegetação é conhecida como uma floresta de ponta-cabeça, uma vez que 70% da biomassa se concentra no sistema radicular, que também responde por grande parte do sequestro de carbono.

Mas, ao longo dos anos, o bioma vem sofrendo por causa do desmatamento, das queimadas e do manejo incorreto do solo, que provocam a degradação da terra. O plantio de macaúba, palmeira nativa do Brasil, encontrada – sobretudo – no Cerrado surge como uma solução.

De porte médio, a palmácea é uma espécie rústica, pouco exigente em termos hídricos, o que permite o seu plantio no bioma, caracterizado pelos solos precários (ácidos) e por longos períodos de estiagem. O habitual são quatro meses sem chuva, mas a seca tem se prolongado em função das mudanças climáticas. 

O efeito macaúba - Descoberta em 2004, quando o governo brasileiro garimpava as espécies brasileiras com potencial para produção de óleo para biodiesel, a macaúba passou a ser objeto de estudo de diversos profissionais, entre eles, Felipe Morbi. Desde 2007, ele está à frente da Acrotech, uma empresa de tecnologia agrícola voltada ao melhoramento genético da macaúba para fins comerciais.

Três anos depois, fundou uma segunda empresa, a Soleá, que tem uma área experimental de 700 hectares de macaúba em João Pinheiro (MG). Foi esta expertise que levou o investidor Francisco de Blanco ao encontro de Morbi no ano passado. O profissional do ramo financeiro estava envolvido no projeto de uma biorrefinaria voltada à produção de combustíveis renováveis e começou a rodar o mundo em busca de novas matérias-primas. 

A macaúba se mostrou uma ótima solução e a união dos dois executivos deu origem à S.Oleum, empresa alicerçada nos compromissos da agenda ESG – sigla em inglês para melhores práticas ambientais, sociais e de governança – e voltada não só à produção de combustíveis avançados, mas também ao fornecimento de ingredientes para diversas indústrias: de alimentos, fármacos, cosméticos, ração animal, biomateriais e bioquímicos.

A AgTech já tem os planos traçados. De 2023 a 2027, primeira fase do projeto, a empresa irá reflorestar 66.850 hectares de áreas degradadas do Cerrado brasileiro, plantando mais de 60 milhões de macaúbas em áreas consorciadas com outras culturas agrícolas, que somam 108.150 hectares, o que resultará em uma área produtiva total de 175 mil hectares.

As macaubeiras, como também são conhecidas estas palmáceas, serão plantadas em sistemas agroflorestais (macaúba + lavoura) ou silvipastoris (macaúba + pastagem + pecuária), que são considerados peças-chaves no contexto da Década de Restauração de Ecossistemas, instituída pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) para o período de 2021 a 2030.

Segundo o órgão, estes anos serão fundamentais para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS) e cumprimento das medidas assumidas no Acordo de Paris (COP-21) para limitar o aumento da temperatura em 1,5ºC até o fim do século XXI.

A integração de atividades produtivas é apontada como vetor para a restauração de terras degradadas pelo mundo e meio de geração de renda e desenvolvimento para os territórios rurais. Além disso, é uma importante ferramenta para ajudar os países a mitigar as mudanças climáticas. No caso da macaúba, estudos revelam que a espécie tem o potencial de sequestrar 23,68 toneladas de CO2 por hectare ano em sistemas agroflorestais.

Fonte: S.OLEUM


Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (27) Abiove (8) acordo (1) Acordo Internacional (43) Acrocomia aculeata (78) Agricultura (324) Agricultura 4.0 (9) agriculture (1) Agroenergia (138) Agroindústria (37) Agronegócio (273) Agropecuária (63) Água (24) Àgua (1) Alimentação Saudável (24) Alimentos (367) Amazônia (78) Ambiente (1) animal nutition (1) ANP (97) Arte (1) Artigo (47) Aspectos Gerais (177) Aviação (35) Aviation fuel (8) Aviation market (24) B12 (3) B13 (2) Bebidas (2) Bioativo (3) Biochemistry (5) Biocombustíveis (470) Biodefensivos (12) Biodiesel (352) Biodiesel Empresas (1) Biodiversidade (15) Bioeconomia (126) Bioeconomia Agronegócio (1) Bioeletricidade (26) Bioenergia (212) Biofertilizantes (12) Biofuels (104) Bioinsumos (22) Biomas (4) Biomass (7) Biomassa (90) Biomateriais (6) bioplásticos (3) Biopolímeros (16) Bioproducts (3) Bioprodutos (27) Bioquerosene (48) Biorrefinaria (3) Biorrenováveis (1) Biotechnology (35) Biotecnologia (88) BNDES (2) Bolsa de Valores (37) Brasil (117) Brazil (29) Cadeia Produtiva (19) Capacitação (31) CAR (4) Carbonatação (1) Carbono (10) Carbono Neutro (10) Carbono Zero (21) Carvão Ativado (10) carvão vegetal (8) CBios (68) CCEE (1) cellulose (1) Celulose (16) Cerrado (28) Chuvas (11) Cidades (1) Ciência e Tecnologia (427) Clima e ambiente (290) Clima e ambiente Preços (2) climate changed (66) CNA (2) Cogeração de energia (30) Combustíveis (108) Combustíveis Fósseis (41) Combustíveis verde (1) Comércio (48) Consciência Ecológica (26) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (25) Copolímeros (2) Cosméticos (40) Crédito de Carbono (54) Crédito Rural (20) Créditos de Descarbonização (25) Culinária (1) Cultivo (122) Culturas Perenes. Agricultura (2) Curso (14) Dados (1) Davos (4) Dendê (5) Desafios (3) Descarbonização (11) Desenvolvimento Sustentável (217) Desmatamento (16) Diesel (21) Diesel Verde (23) eco-friendly (5) Economia (109) Economia Circular (14) Economia Internacional (132) Economia Sustentável (5) Economia Verde (181) Economy (32) Ecosystem (6) Educação (1) Efeito estufa (19) Eficiência energética (55) Embrapa (23) Emissões de Carbono (63) Empreendedorismo (9) Empresas (170) Energia (106) energia limpa (22) Energia Renovável (257) Energia Solar Fotovoltaica (23) ESG (27) Estudo (2) Etanol (88) Europa (2) event (11) Eventos (176) Exportações (94) Extrativismo (63) FAO (7) Farelos (46) farm (1) Fertilidade (3) Fibras (10) Finanças (5) Financiamento (2) Floresta (33) Floresta plantada (119) Fomento (42) Food (42) food security (9) forest (1) Fruticultura (17) Fuels (27) Gamificação (1) Gás (3) Gás natural (1) Gasolina (3) Gastronomia (1) GEE (19) Glicerina (2) Global warming (115) Green Economy (127) health (23) Hidrogênio Verde (6) História (1) IBP (1) ILPF (12) Incentivos (4) India (1) indústria (1) Industry (1) Industry 4.0 (2) Ìnovaç (1) Inovação (207) Instituição (1) Insumos (17) Investimento (10) Investimentos (1) IPCC (15) IPFL (1) L72 (4) L73 (7) Legislação (21) Lignina (8) livestock (4) Low-Carbon (58) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (604) Madeira (24) Mamona (1) Manejo (5) Manejo e Conservação (118) MAPA (42) Máquinas e equipamentos (3) Mata Atlântica (5) Matéria Prima (3) Matéria-Prima (4) Matéria-PrimaResíduos (1) matérias-primas (3) MCTI (1) Meio Ambiente (326) Melhoramento e Diversidade Genética (84) Mercado (4132) Mercado de Combustíveis (68) Mercado Financeiro (13) Mercado florestal (75) Mercado Internacional (64) Metas (5) Micotoxinas (1) Milho (31) Minas Gerias (1) MMA (1) MME (51) Mudanças Climáticas (69) mudas (4) Mundo (179) Nações Unidas (4) Negócios (13) nergia limpa (1) net-zero (43) Nutrição animal (18) nutrition (11) Oil (51) Oleaginosas (115) Oleochemicals (11) Óleos (253) Óleos Essenciais (8) Óleos Vegetais (24) OMC (3) ONGs (1) ONU (19) Oportunidade (9) Oportunidades (9) other (1) Palm (2) Palma (33) palmeiras (7) Paris Agreement (95) Pecuária (103) Pegada de Carbono (107) Personal Care (3) Pesquisa (96) Pessoas (2) Petrobras (9) Petróleo (34) PIB (6) pirólise (3) Plano Safra (2) Plant Based (28) Plant-Based (2) Política (92) Política Ambiental (6) Políticas (1) políticas públicas (2) Preços (74) Preservação Ambiental (57) Produção Agrícola (24) Produção Animal (10) Produção Integrada (2) Produção Sustentável (78) Produção vegetal (25) Produtividade (77) Produtos (150) Proteção Ambiental (18) proteína vegetal (28) Qualidade (3) Qualidade do Ar (4) químicos verdes (1) reciclagem (2) Recuperação Ambiental (7) Recuperação de área Degradada (48) Recuperação Econômica (3) Reflorestamento (35) regulamentação (3) Relatório (17) renewable energy (19) RenovaBio (76) Report (2) Research and Development (12) Resíduos (18) Sabão (1) SAF (8) Safra (7) Saúde e Bem-Estar (136) science and technology (48) Sebo (5) Segurança Alimentar (172) Segurança Energética (15) Selo Social (13) sementes (8) silvicultura (3) Sistema Agroflorestal (42) Sistemas Integrados (26) Sociobiodiersidade (8) Soil (9) Soja (120) Solos (61) Sustainability (59) Sustainable Energy (69) Sustentabilidade (679) Tecnologia (66) Tempo (2) Títulos verdes (3) Transportes (5) Turismo Sustentável (7) Unica (1) Vídeo (271) World (5) World Economy (79) Zero-Carbon (2)

Total de visualizações de página