Buscar

Goiás está entre os principais produtores de biodiesel no país

segunda-feira, outubro 04, 2021



Dados do Anuário do Transporte 2020, divulgado pela Confederação Nacional do Transporte revelam que as estradas brasileiras, nas quais circulam veículos de carga movidos a biodiesel, são responsáveis por escoar mais de 60% das mercadorias e de mais de 90% dos passageiros que circulam em todo o país. Mesmo com frota de mais de 100 milhões de veículos, no entanto, a malha rodoviária pavimentada tem uma extensão de apenas 13%.

Pensando nisso, especialistas de todo o Brasil se reúnem no  X Seminário Internacional Frotas & Fretes Verdes para discutir soluções que possam oferecer novas tecnologias que mesclam qualidade de logística e sustentabilidade. O evento será realizado em Belo Horizonte, nos dias 6 e 7 de outubro, mas tem acesso gratuito por meio do canal do Instituto Besc no YouTube.

“O cenário atual onera o setor e a sociedade com custo adicional na operação e com imenso impacto ambiental. Isso por causa de estradas pouco eficazes, cidades não planejadas, combustíveis poluentes e caros e falta de investimento em centros de pesquisa. É impossível mudar tudo imediatamente. Porém, a revolução é feita na transformação possível a cada dia”, explica Aurélio Lamare Soares Murta, professor da graduação e do mestrado em Administração, da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Frotas verdes

De acordo com Aurélio, atualmente o Brasil tem um campo vasto para desenvolvimento de frotas verdes, incluindo iniciativas tecnológicas que surgem dentro do país. Existem 50 plantas produtoras de biodiesel autorizadas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para operação no país. No entanto, ele destaca que ainda é essencial mudar a cultura da logística e do transporte no país. Isso porque, ao longo de décadas, a dependência dos derivados do petróleo tem sido a base dos principais combustíveis usados por aqui.

Dessa maneira, o professor avalia que a questão dos combustíveis é o principal ponto para pensar uma transição energética que possa equilibrar vantagens de tecnologia, logística e sustentabilidade. Para ele, a principal alternativa atual do mercado está no biodiesel.

“Essa tecnologia já está dominada, a questão é ter matéria prima pra produzir a quantidade que a gente deseja para o mercado”, destaca. “Atualmente, no Brasil, a gente consome 50 milhões de m³ de óleo diesel por ano, com uma mistura de somente 10% de biodiesel. Então a capacidade instalada ainda não é compatível com a demanda.”

Biodiesel e produção de óleo

Aurélio também destaca que, no caso do biodiesel, a produção do óleo utilizada não precisa de muito refinamento, por consequência, é possível baratear a produção. Uma vez que, diferente dos óleos vegetais destinados à alimentação, ninguém vai comer o combustível, é possível tratar o produto com menos intensidade.

“Além disso, os derivados do petróleo sempre foram complexos, especialmente pela concentração em áreas com conflitos seculares, como o Oriente Médio”, explica. “Se traçar um gráfico do preço do petróleo, sempre que tem algum conflito lá, o preço dispara. E mesmo em áreas menos conflituosas, como a Venezuela, ainda há muita complexidade.”

Goiás

Em Goiás, a indústria de produção de biodiesel apresenta crescimento constante desde 2012, quando o total produzido era de 601.146,139 m³ por ano. Segundo dados do Anuário Estatístico Brasileiro do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis 2021, o número subiu progressivamente deste então. A exceção é de apenas uma queda fora da curva, ocorrida em 2013. As regiões sul e centro oeste são responsáveis, respectivamente, por 42,6% e 39,8% da produção total.

Goiás está na lista dos principais estados produtores de biodiesel, juntamente com Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso. Atualmente, existem seis usinas, distribuídas por todo o Estado: Anápolis, Ipameri, São Simão, Formosa, Porangatu e Palmeiras de Goiás. A usina de biodiesel de Porangatu, que ficou inativa por cerca de oito anos, recebeu autorização para voltar a funcionar e deve fortalecer ainda mais os resultados do estado no campo de atuação.

Em 2020, o estado produziu 878.498,156 m³ no ano, com a atuação de seis indústrias. Em 2021, até o momento, Goiás já produziu quase 15% de toda a produção nacional. De acordo com a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), as matérias-primas utilizadas na produção do biodiesel em Goiás são: óleo de soja (76,75%), óleo de Palma (3.89%) e gordura bovina (3, 81%).

Emissão de poluentes

De acordo com o vice-presidente da Fieg, o engenheiro civil, André Rocha, a importância do mercado de biodiesel possui vários pilares, passando pelo meio ambiente, pela saúde, pelo desenvolvimento econômico, e a geração de emprego e renda “ao usar o biodiesel, você diminui a emissão de poluentes, sobretudo o CO2.

Ao ajudar a não poluir o meio ambiente, você contribui para a saúde pública, pois com um ar melhor, mais puro e menos poluído, conseguimos diminuir as doenças respiratórias, principalmente agora no período em que vivemos de pandemia, pois a má qualidade do ar é um atenuante da doença”.

Outro ponto frisado pelo engenheiro é sobre agregar valor na produção primária “hoje, não só Goiás, mas todo o Brasil, é um grande exportador de soja, nossa principal matéria-prima para o biodiesel. Entretanto, a soja in natura agrega pouco valor na nossa economia, pois a exportamos por um preço baixo e depois importamos um produto que é feito dessa mesma soja. Pagamos caro por algo feito com a nossa matéria. Precisamos agregar valor na nossa produção primária, seja ela agrícola ou mineral”.

Geração de empregos

Rocha ainda reforça sobre as vantagens nessa transformação “com a industrialização, geramos mais emprego. E geramos empregos bons, com remuneração maior e pessoas qualificadas. As cidades com as industrias instaladas se transformaram completamente. Ao analisarmos os empregos diretos e indiretos, percebemos essa diferença. As indústrias remuneram cerca de 38% a mais que o campo, mas isso também não quer dizer que aquela família que possui a sua produção, mesmo que em menor quantidade, seja prejudicada, pois muitas industrias compram produtos da agricultura familiar”.

Além disso, o vice-presidente da Fieg diz que ao ter mais indústrias pelo estado de Goiás, a economia passa a ser descentralizada, o que é considerado bom, pois não infla a capital e força a gestão das cidades do interior em fornecer uma melhor qualidade de vida, com escolas, hospitais, ruas asfaltadas, incentivo ao comércio local. Afinal, há um fluxo maior de pessoas vivendo naquele município.

Seminário

O X Seminário Internacional Frotas & Fretes Verdes é uma iniciativa do Instituto Besc de Humanidades e Economia. O projeto visa contribuir com o aprimoramento, o desenvolvimento e a promoção da eficiência energética no uso de combustíveis e materiais.

Nesse sentido, serão debatidos o uso da logística 4.0, para automação e agilidade de processos por meio da inteligência artificial. O desenvolvimento em foco é o de novas tecnologias para a fabricação de veículos leves, com motores mais potentes, econômicos e menos poluentes. Além do desenvolvimento inteligente de cidades, para viabilização de trânsito facilitador do transporte regional e combustíveis alternativos, para reduzir custos e emissão de poluição. Já quanto à estrutura viária, será avaliado o aumento, a recuperação e a segurança nas estradas para evitar acidentes, roubos e acelerar o fluxo de entregas.

O seminário é gratuito e será presencial para inscritos e convidados, em Belo Horizonte, mas também transmitido na Internet, pelo canal do Instituto Besc no YouTube, das 09 às 14h.

As discussões serão divididas em quatro sessões de debates e contarão com 18 palestras ao longo dos dois dias. O eixo da análise gira em torno das principais possibilidades para tornar o transporte de cargas e passageiros mais eficaz, econômico e ambientalmente sustentável.

Fonte: Diário do Estado

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) acordo (1) Acordo Internacional (37) Acrocomia aculeata (77) Agricultura (297) Agricultura 4.0 (8) agriculture (1) Agroenergia (130) Agroindústria (32) Agronegócio (252) Agropecuária (58) Água (22) Àgua (1) Alimentação Saudável (22) Alimentos (367) Amazônia (77) Ambiente (1) animal nutition (1) ANP (93) Arte (1) Artigo (47) Aspectos Gerais (177) Aviação (35) Aviation fuel (8) Aviation market (24) B12 (3) B13 (2) Bebidas (2) Bioativo (3) Biochemistry (5) Biocombustíveis (451) Biodefensivos (10) Biodiesel (346) Biodiesel Empresas (1) Biodiversidade (15) Bioeconomia (126) Bioeconomia Agronegócio (1) Bioeletricidade (26) Bioenergia (211) Biofertilizantes (12) Biofuels (104) Bioinsumos (19) Biomas (3) Biomass (7) Biomassa (90) Biomateriais (6) bioplásticos (3) Biopolímeros (16) Bioproducts (3) Bioprodutos (27) Bioquerosene (48) Biorrefinaria (3) Biorrenováveis (1) Biotechnology (35) Biotecnologia (86) BNDES (2) Bolsa de Valores (35) Brasil (101) Brazil (29) Cadeia Produtiva (17) Capacitação (31) CAR (4) Carbonatação (1) Carbono (7) Carbono Neutro (9) Carbono Zero (20) Carvão Ativado (10) carvão vegetal (6) CBios (68) CCEE (1) cellulose (1) Celulose (16) Cerrado (25) Chuvas (10) Cidades (1) Ciência e Tecnologia (415) Clima e ambiente (288) Clima e ambiente Preços (2) climate changed (66) CNA (1) Cogeração de energia (30) Combustíveis (105) Combustíveis Fósseis (40) Combustíveis verde (1) Comércio (48) Consciência Ecológica (26) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (16) Copolímeros (2) Cosméticos (40) Crédito de Carbono (48) Crédito Rural (20) Créditos de Descarbonização (25) Culinária (1) Cultivo (122) Culturas Perenes. Agricultura (2) Curso (14) Dados (1) Davos (4) Dendê (5) Desafios (3) Descarbonização (5) Desenvolvimento Sustentável (206) Desmatamento (12) Diesel (21) Diesel Verde (22) eco-friendly (5) Economia (100) Economia Circular (14) Economia Internacional (126) Economia Sustentável (5) Economia Verde (176) Economy (32) Ecosystem (6) Educação (1) Efeito estufa (19) Eficiência energética (55) Embrapa (13) Emissões de Carbono (63) Empreendedorismo (8) Empresas (170) Energia (105) energia limpa (17) Energia Renovável (257) Energia Solar Fotovoltaica (23) ESG (26) Estudo (2) Etanol (84) Europa (2) event (11) Eventos (176) Exportações (94) Extrativismo (63) FAO (7) Farelos (46) farm (1) Fertilidade (3) Fibras (9) Finanças (5) Financiamento (2) Floresta (30) Floresta plantada (119) Fomento (42) Food (42) food security (9) forest (1) Fruticultura (15) Fuels (27) Gamificação (1) Gás (3) Gás natural (1) Gasolina (3) Gastronomia (1) GEE (9) Glicerina (2) Global warming (115) Green Economy (127) health (23) Hidrogênio Verde (6) História (1) IBP (1) ILPF (5) Incentivos (4) India (1) indústria (1) Industry (1) Industry 4.0 (2) Ìnovaç (1) Inovação (202) Instituição (1) Insumos (7) Investimento (8) Investimentos (1) IPCC (15) IPFL (1) L72 (4) L73 (7) Legislação (14) Lignina (8) livestock (4) Low-Carbon (56) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (599) Madeira (23) Mamona (1) Manejo (2) Manejo e Conservação (114) MAPA (35) Máquinas e equipamentos (2) Mata Atlântica (5) Matéria Prima (2) Matéria-Prima (4) Matéria-PrimaResíduos (1) matérias-primas (3) MCTI (1) Meio Ambiente (313) Melhoramento e Diversidade Genética (78) Mercado (4127) Mercado de Combustíveis (67) Mercado Financeiro (13) Mercado florestal (75) Mercado Internacional (52) Metas (5) Micotoxinas (1) Milho (24) Minas Gerias (1) MMA (1) MME (50) Mudanças Climáticas (56) mudas (3) Mundo (174) Nações Unidas (4) Negócios (13) nergia limpa (1) net-zero (43) Nutrição animal (18) nutrition (11) Oil (51) Oleaginosas (105) Oleochemicals (11) Óleos (253) Óleos Essenciais (8) Óleos Vegetais (24) OMC (3) ONGs (1) ONU (19) Oportunidade (8) Oportunidades (9) other (1) Palm (2) Palma (32) palmeiras (4) Paris Agreement (94) Pecuária (92) Pegada de Carbono (105) Personal Care (3) Pesquisa (87) Pessoas (2) Petrobras (9) Petróleo (34) PIB (6) pirólise (3) Plano Safra (1) Plant Based (28) Plant-Based (2) Política (87) Política Ambiental (4) Políticas (1) políticas públicas (2) Preços (73) Preservação Ambiental (56) Produção Agrícola (11) Produção Animal (9) Produção Integrada (2) Produção Sustentável (73) Produção vegetal (13) Produtividade (61) Produtos (150) Proteção Ambiental (16) proteína vegetal (28) Qualidade (3) Qualidade do Ar (4) químicos verdes (1) reciclagem (2) Recuperação Ambiental (7) Recuperação de área Degradada (48) Recuperação Econômica (3) Reflorestamento (35) regulamentação (3) Relatório (17) renewable energy (19) RenovaBio (75) Report (2) Research and Development (12) Resíduos (18) Sabão (1) SAF (8) Safra (5) Saúde e Bem-Estar (135) science and technology (48) Sebo (5) Segurança Alimentar (166) Segurança Energética (15) Selo Social (13) sementes (6) silvicultura (3) Sistema Agroflorestal (41) Sistemas Integrados (24) Sociobiodiersidade (8) Soil (9) Soja (96) Solos (57) Sustainability (59) Sustainable Energy (69) Sustentabilidade (673) Tecnologia (64) Tempo (2) Títulos verdes (3) Transportes (5) Turismo Sustentável (7) Unica (1) Vídeo (271) World (5) World Economy (79) Zero-Carbon (2)

Total de visualizações de página