Buscar

Matriz energética brasileira receberá investimentos de R$ 400 bilhões nos próximos dez anos

terça-feira, junho 01, 2021

As políticas brasileiras de bioenergia são referência internacional e o Brasil continuará expandindo a sua matriz energética, com investimentos da ordem de R$ 400 bilhões previstos para os próximos dez anos. As informações são do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, ao afirmar, no Fórum de Investimentos Brasil 2021, ocorrido nesta segunda-feira, 31/05, que o Brasil, um dos países mais ricos em recursos renováveis para produção de energia, é um grande mercado para os investimentos em energia.

No evento, aberto pelo presidente Jair Bolsonaro, o ministro participou do painel “Transição Energética no Brasil: Importância das Energias Renováveis e do Investimento Estrangeiro Direto”. Sob a moderação da CEO da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), Élbia Gannoun, Bento Albuquerque enfatizou o potencial da matriz elétrica, que tem hoje 85% de fontes renováveis, a matriz energética com 49%, e destacou a energia eólica que, no Nordeste e no Sul, já responde por quase 11% da geração de energia.

Participaram do mesmo painel a presidente da empresa internacional de energia, Equinor Brasil com sede na Noruega, Verônica Rezende Coelho, o CEO da holding EDP Brasil, João Marques da Cruz e o gerente do Setor de Infraestrutura e Energia do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Jose Agustín Aguerre. Para Verônica Coelho, “todos os povos merecem se beneficiar e usufruir do acesso à energia com preços estáveis e justos. Nosso desafio é trazer esses benefícios a todos os povos, porém, de maneira sustentável”, declarou a representante da Equinor, que, na ocasião, anunciou investimentos no Brasil de mais de 15 bilhões de dólares até 2030.


Cenário positivo

O ministro destacou que o Brasil tem contribuído de forma relevante na perspectiva de um mundo sem emissões no futuro. E lembrou que, nos últimos dois anos, mesmo diante de uma crise pandêmica, houve investimentos no País da ordem de Us$ 30 bilhões provenientes de 17 países no setor de energia e de mineração. “É uma evidência de que temos um ambiente de negócios favorável a investimentos”, ressaltou Bento Albuquerque.

Ele destacou o êxito dos leilões já realizados e reafirmou a execução daqueles programados ainda para 2021: dez leilões de geração elétrica, dois leilões de transmissão de energia, três de petróleo e gás, e quatro leilões no setor de mineração. “Esse cenário positivo de investimentos tem ocorrido porque temos um ambiente de negócios que prima pela segurança jurídica e regulatória e pela previsibilidade”, enfatizou Albuquerque.


Planejamento

Ao falar de futuro e de transição energética, o ministro destacou a importância do planejamento. Ele lembrou que o Brasil possui um Plano Decenal de Energia (PDE), atualizado a cada ano, e um Plano Nacional de Energia (PNE), de 30 anos. Destacou os estudos relativos ao hidrogênio verde e anunciou a apresentação, em junho, do Programa Nacional do Hidrogênio, “considerado a fonte energética do futuro”.  “A eólica offshore é outra fronteira que se apresenta, onde temos já temos 32 gigawatts de projetos, especialmente nas regiões Nordeste e Sul. Até o final do ano vamos apresentar um marco regulatório para essa importante fonte energética que o Brasil terá como um dos pilares da sua matriz elétrica no futuro”, afirmou Bento Albuquerque.

O ministro ressaltou que o governo brasileiro continua trabalhando com determinação na modernização do setor elétrico e nos leilões de energia, e que o País continuará com as ações de exploração e produção de petróleo, “tudo feito com planejamento e com controle da ação planejada”. “Somos um país atrativo para investimentos e acreditamos que melhorando a nossa governança e atualizando os nossos marcos regulatórios, a exemplo da nova lei do gás e a própria modernização do setor elétrico, esses investimentos se tornam muito mais atrativos e poderemos gerar renda, desenvolvimento e transformar a nossa abundância de recursos naturais em riqueza para a nossa sociedade”, declarou.


BIF

O Fórum de Investimentos Brasil 2021 (BIF) é um evento internacional sobre atração de investimentos estrangeiros para o Brasil, organizado pela Apex-Brasil, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Governo Federal, que será realizado em modo online em 31 de maio e 1 de junho de 2021.

Considerado o maior evento de investimentos estrangeiros da América Latina, o BIF reunirá autoridades do governo federal, estaduais e executivos de grandes empresas do Brasil e do mundo, além de representantes da academia, imprensa e formadores de opinião.

Nesta edição, o Fórum destacará as oportunidades de investimentos em setores estratégicos, como agronegócios, energia, infraestrutura, inovação, saúde e tecnologia, entre outros. Esta será uma oportunidade única para discutir as melhorias no ambiente de negócios no Brasil.


Fonte: MME

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) acordo (1) Acordo Internacional (31) Acrocomia aculeata (74) Agricultura (261) Agricultura 4.0 (5) agriculture (1) Agroenergia (126) Agroindústria (25) Agronegócio (225) Agropecuária (51) Água (21) Àgua (1) Alimentação Saudável (12) Alimentos (361) Amazônia (70) Ambiente (1) animal nutition (1) ANP (83) Arte (1) Artigo (46) Aspectos Gerais (177) Aviação (32) Aviation fuel (7) Aviation market (21) B12 (3) B13 (2) Bebidas (2) Bioativo (3) Biochemistry (5) Biocombustíveis (431) Biodefensivos (4) Biodiesel (322) Biodiesel Empresas (1) Biodiversidade (11) Bioeconomia (114) Bioeconomia Agronegócio (1) Bioeletricidade (25) Bioenergia (207) Biofertilizantes (10) Biofuels (103) Bioinsumos (12) Biomas (1) Biomass (7) Biomassa (88) Biomateriais (6) bioplásticos (1) Biopolímeros (15) Bioproducts (3) Bioprodutos (23) Bioquerosene (44) Biorrefinaria (2) Biotechnology (35) Biotecnologia (83) BNDES (2) Bolsa de Valores (27) Brasil (59) Brazil (29) Cadeia Produtiva (15) Capacitação (29) CAR (4) Carbonatação (1) Carbono (2) Carbono Neutro (7) Carbono Zero (19) Carvão Ativado (10) carvão vegetal (3) CBios (68) CCEE (1) cellulose (1) Celulose (15) Cerrado (21) Chuvas (5) Cidades (1) Ciência e Tecnologia (388) Clima e ambiente (278) Clima e ambiente Preços (1) climate changed (60) CNA (1) Cogeração de energia (30) Combustíveis (99) Combustíveis Fósseis (40) Combustíveis verde (1) Comércio (45) Consciência Ecológica (24) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (6) Copolímeros (2) Cosméticos (40) Crédito de Carbono (42) Crédito Rural (17) Créditos de Descarbonização (25) Culinária (1) Cultivo (122) Culturas Perenes. Agricultura (1) Curso (10) Dados (1) Davos (4) Dendê (4) Desafios (3) Descarbonização (2) Desenvolvimento Sustentável (178) Desmatamento (6) Diesel (19) Diesel Verde (22) eco-friendly (5) Economia (90) Economia Circular (12) Economia Internacional (113) Economia Sustentável (4) Economia Verde (173) Economy (32) Ecosystem (6) Educação (1) Efeito estufa (18) Eficiência energética (54) Embrapa (2) Emissões de Carbono (55) Empreendedorismo (8) Empresas (152) Energia (98) energia limpa (13) Energia Renovável (252) Energia Solar Fotovoltaica (22) ESG (20) Estudo (2) Etanol (81) Europa (1) event (11) Eventos (152) Exportações (91) Extrativismo (61) FAO (6) Farelos (45) farm (1) Fertilidade (2) Fibras (9) Finanças (5) Financiamento (1) Floresta (25) Floresta plantada (114) Fomento (40) Food (42) food security (8) forest (1) Fruticultura (8) Fuels (27) Gamificação (1) Gás (3) Gás natural (1) Gasolina (3) Gastronomia (1) GEE (3) Glicerina (2) Global warming (114) Green Economy (127) health (23) Hidrogênio Verde (3) História (1) IBP (1) ILPF (5) Incentivos (4) India (1) indústria (1) Industry (1) Industry 4.0 (2) Ìnovaç (1) Inovação (182) Instituição (1) Insumos (3) Investimento (7) IPCC (14) IPFL (1) L72 (4) L73 (7) Legislação (10) Lignina (7) livestock (4) Low-Carbon (53) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (590) Madeira (20) Mamona (1) Manejo e Conservação (109) MAPA (32) Máquinas e equipamentos (1) Mata Atlântica (5) Matéria Prima (2) Matéria-Prima (3) Matéria-PrimaResíduos (1) matérias-primas (3) MCTI (1) Meio Ambiente (288) Melhoramento e Diversidade Genética (71) Mercado (4107) Mercado de Combustíveis (67) Mercado Financeiro (12) Mercado florestal (72) Mercado Internacional (45) Metas (4) Micotoxinas (1) Milho (17) Minas Gerias (1) MMA (1) MME (48) Mudanças Climáticas (36) mudas (2) Mundo (152) Nações Unidas (4) Negócios (9) nergia limpa (1) net-zero (36) Nutrição animal (18) nutrition (9) Oil (51) Oleaginosas (99) Oleochemicals (10) Óleos (252) Óleos Essenciais (8) Óleos Vegetais (23) OMC (2) ONGs (1) ONU (15) Oportunidade (5) Oportunidades (7) other (1) Palm (2) Palma (30) palmeiras (3) Paris Agreement (93) Pecuária (88) Pegada de Carbono (103) Personal Care (3) Pesquisa (77) Pessoas (2) Petrobras (9) Petróleo (33) PIB (5) pirólise (3) Plano Safra (1) Plant Based (28) Política (81) Política Ambiental (2) políticas públicas (1) Preços (64) Preservação Ambiental (46) Produção Agrícola (1) Produção Animal (8) Produção Integrada (1) Produção Sustentável (61) Produção vegetal (10) Produtividade (52) Produtos (150) Proteção Ambiental (11) proteína vegetal (28) Qualidade do Ar (2) químicos verdes (1) Recuperação Ambiental (6) Recuperação de área Degradada (47) Recuperação Econômica (3) Reflorestamento (27) regulamentação (2) Relatório (15) renewable energy (19) RenovaBio (73) Report (2) Research and Development (11) Resíduos (16) Sabão (1) SAF (6) Safra (2) Saúde e Bem-Estar (128) science and technology (48) Sebo (5) Segurança Alimentar (150) Segurança Energética (14) Selo Social (12) sementes (2) silvicultura (2) Sistema Agroflorestal (40) Sistemas Integrados (24) Sociobiodiersidade (5) Soil (9) Soja (77) Solos (52) Sustainability (59) Sustainable Energy (69) Sustentabilidade (643) Tecnologia (51) Tempo (1) Títulos verdes (3) Transportes (5) Turismo Sustentável (6) Unica (1) Vídeo (260) World (5) World Economy (79) Zero-Carbon (2)

Total de visualizações de página