Buscar

Projeto vai testar energia solar na produção de alimentos

sábado, maio 29, 2021



Projeto prevê realização de experimentos inéditos no Brasil em seis Campos da EPAMIG.

Minas Gerais é líder na produção de energia elétrica solar distribuída. A radiação direta da luz do sol em diversas regiões confere ao estado o título de “Califórnia brasileira”. Mas, você sabia que é possível otimizar o uso do solo de modo a integrar a sombra feita por placas de geração de energia à produção de alimentos?

Essa é a proposta tecnológica que a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), a partir de iniciativas conjuntas com a Secretaria de Agricultura do estado (Seapa), desenvolve em parceria com a CEMIG. O objetivo da proposta, ainda em fase inicial, é integrar a geração de energia elétrica (por meio de placas solares) à produção de alimentos, em projetos-piloto nos Campos Experimentais da EPAMIG. 

De acordo com estudos realizados em países como Alemanha, China, França, Estados Unidos, Holanda e Japão, a combinação de painéis de energia solar com sistemas de produção agrícola gera ótimos resultados. Minas Gerais coloca o Brasil na lista de países em potencial. Contudo, o desafio da pesquisa é identificar quais culturas agrícolas podem ser consorciadas com os painéis de energia e quais arranjos de painéis são mais eficientes para as condições brasileiras.

As implantações dos projetos-pilotos iniciais vão ocorrer em seis Campos Experimentais da EPAMIG. No Norte de Minas, experimentos deverão ser realizados nos municípios de Jaíba, Nova Porteirinha e Leme do Prado. No Centro-Oeste estão previstos projetos-pilotos no município de Prudente de Morais. Já na região Oeste, sistemas com módulos de geração fotovoltaica deverão ser instalados em Patrocínio. Por fim, o município de São João del-Rei, no Sul de Minas, também está na lista para receber os experimentos iniciais. 

Segundo o diretor de Operações Técnicas da EPAMIG, Trazilbo de Paula, a empresa de pesquisa agropecuária mineira terá o papel de instalar unidades-piloto para testar diferentes culturas em diversos arranjos e, em seguida, transferir para os agricultores mineiros tecnologias adaptadas às condições de clima e solo do estado. A dinâmica tende a elevar ainda mais o valor agregado do agronegócio em Minas Gerais.

“O projeto de implantação de energia agrovoltaica oferece uma oportunidade muito interessante para o aproveitamento de áreas mineiras. Produzir alimentos e energia elétrica em um mesmo local é algo realmente inovador que a EPAMIG traz junto à CEMIG, contando com a grande experiência da Fraunhofer-Gesellschaft, da Alemanha. Vamos usar as estruturas dos nossos Campos Experimentais para apresentar aos produtores possibilidades adaptadas a cada microrregião”, destaca Trazilbo.

Diferente da energia solar convencional, a energia agrovoltaica conta com placas de captação da luz solar posicionadas em alturas maiores, de forma a permitir a realização de atividades agropecuárias sob elas. A altura varia de acordo com a cultura ou criação que se pretende realizar. 

Segundo o pesquisador da CEMIG, Carlos Alberto de Sousa, o projeto prevê, ainda, utilização de módulos monofaciais e bifaciais, o que inclui novos materiais à medida que a pesquisa avança. Para ele, se confirmados, os investimentos em sistemas agrovoltaicos trarão impactos positivos para a vida e o bolso dos produtores.

“A EPAMIG é uma referência no estado de Minas no que diz respeito à pesquisa agropecuária e uma das estratégias da CEMIG é desenvolver a inovação. Em um projeto sobre energia agrovoltaica, é natural que a CEMIG, dentro da sua competência em energia, queira se unir a uma entidade com muita competência em agricultura e agropecuária. Nossa ideia é desenvolver modelos de negócios interessantes e viáveis que possam ser replicados em diferentes regiões do estado”, destaca Carlos Alberto.


Experiências internacionais

Apesar de estar no início das conversas, o projeto deverá contar com a assessoria da Fraunhofer-Gesellschaft, da Alemanha, organização de pesquisas aplicadas sem fins-lucrativos. A empresa possui institutos com equipes de pesquisadores especialistas em energia agrovoltaica com resultados já consolidados em outros países, como o Chile.

O Diretor do Fraunhofer Liaison Office Brazil, Rodrigo Pastl, conta que a experiência chilena poderá ser positiva para os possíveis testes, ainda em fase de conversação, que poderão ser aplicados em Minas. Rodrigo explica que o Chile possui condições climáticas semelhantes, o que permite que a transferência tecnológica em escala real seja feita de forma mais ágil e eficaz.

“Ajudar na evolução da sociedade por meio da pesquisa aplicada é o foco da Fraunhofer-Gesellschaft. Conversar com os órgãos e entidades responsáveis para trazer e transferir essa tecnologia para o Brasil, dentro do Estado de Minas Gerais, nos faz sentir privilegiados, pois estaremos ajudando na evolução das sociedades brasileira e mundial. Com a confirmação do projeto, estaremos, juntos, fazendo a Bioeconomia acontecer, através de uma energia limpa e uma economia sustentável. Uma forma de contribuir com o meio ambiente e com as próximas gerações por meio da ciência e tecnologia.”


Produtividade agrícola beneficiada 

De acordo com a pesquisadora da EPAMIG e engenheira agrícola, Polyanna de Oliveira, a ideia de unir geração de energia com cultivo de alimentos não atrapalha a produção das culturas agrícolas. Segundo Polyanna, uma série de estudos internacionais já mostra os benefícios para as plantações causados pelos painéis, o que contribui para uma agricultura mais sustentável. Pesquisas como essas serão realizadas nos Campos da EPAMIG. 

“O sistema agrisolar cria um microclima adequado para o desenvolvimento de algumas plantas. As culturas se beneficiam da sombra produzida pelas placas e isso impacta de maneira positiva na redução da evapotranspiração”, pontua.

Ainda de acordo com a pesquisadora, a possibilidade de executar duas atividades ao mesmo tempo e no mesmo espaço é o principal atrativo para os produtores mineiros. Polyanna aponta que Minas pode ser considerada um retrato do Brasil, com diferentes climas dentro de um mesmo estado. Para ela, a variedade de condições climáticas em Minas será decisiva para o sucesso do projeto.

“A EPAMIG espera resultados muito promissores para Minas e, claro, para o Brasil. Nós procuramos com a implantação desse sistema reduzir a dependência de fontes não renováveis, como o petróleo e derivados, e trazer uma alternativa interessante para o produtor, com ganhos tanto na parte agrícola quanto na parte de geração de energia fotovoltaica”, conclui.

Fonte: Portal Agrolink

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) acordo (1) Acordo Internacional (31) Acrocomia aculeata (72) Agricultura (260) Agricultura 4.0 (5) agriculture (1) Agroenergia (126) Agroindústria (25) Agronegócio (225) Agropecuária (51) Água (21) Àgua (1) Alimentação Saudável (12) Alimentos (361) Amazônia (70) Ambiente (1) animal nutition (1) ANP (83) Arte (1) Artigo (46) Aspectos Gerais (177) Aviação (32) Aviation fuel (7) Aviation market (21) B12 (3) B13 (2) Bebidas (2) Bioativo (3) Biochemistry (5) Biocombustíveis (430) Biodefensivos (4) Biodiesel (322) Biodiesel Empresas (1) Biodiversidade (11) Bioeconomia (114) Bioeconomia Agronegócio (1) Bioeletricidade (25) Bioenergia (205) Biofertilizantes (10) Biofuels (103) Bioinsumos (12) Biomas (1) Biomass (7) Biomassa (88) Biomateriais (6) bioplásticos (1) Biopolímeros (15) Bioproducts (3) Bioprodutos (23) Bioquerosene (44) Biorrefinaria (2) Biotechnology (35) Biotecnologia (83) BNDES (2) Bolsa de Valores (27) Brasil (59) Brazil (29) Cadeia Produtiva (15) Capacitação (29) CAR (4) Carbonatação (1) Carbono (2) Carbono Neutro (7) Carbono Zero (19) Carvão Ativado (10) carvão vegetal (3) CBios (68) CCEE (1) cellulose (1) Celulose (15) Cerrado (21) Chuvas (5) Cidades (1) Ciência e Tecnologia (388) Clima e ambiente (278) Clima e ambiente Preços (1) climate changed (60) CNA (1) Cogeração de energia (30) Combustíveis (99) Combustíveis Fósseis (40) Combustíveis verde (1) Comércio (45) Consciência Ecológica (24) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (6) Copolímeros (2) Cosméticos (40) Crédito de Carbono (42) Crédito Rural (17) Créditos de Descarbonização (25) Culinária (1) Cultivo (122) Culturas Perenes. Agricultura (1) Curso (10) Dados (1) Davos (4) Dendê (4) Desafios (3) Descarbonização (1) Desenvolvimento Sustentável (178) Desmatamento (6) Diesel (19) Diesel Verde (22) eco-friendly (5) Economia (90) Economia Circular (12) Economia Internacional (113) Economia Sustentável (4) Economia Verde (173) Economy (32) Ecosystem (6) Educação (1) Efeito estufa (18) Eficiência energética (54) Embrapa (2) Emissões de Carbono (55) Empreendedorismo (8) Empresas (151) Energia (98) energia limpa (13) Energia Renovável (252) Energia Solar Fotovoltaica (22) ESG (20) Estudo (2) Etanol (80) Europa (1) event (11) Eventos (152) Exportações (91) Extrativismo (61) FAO (6) Farelos (45) farm (1) Fertilidade (2) Fibras (9) Finanças (5) Financiamento (1) Floresta (25) Floresta plantada (114) Fomento (40) Food (42) food security (8) forest (1) Fruticultura (8) Fuels (27) Gamificação (1) Gás (3) Gás natural (1) Gasolina (3) Gastronomia (1) GEE (3) Glicerina (2) Global warming (114) Green Economy (127) health (23) Hidrogênio Verde (3) História (1) IBP (1) ILPF (5) Incentivos (4) India (1) indústria (1) Industry (1) Industry 4.0 (2) Ìnovaç (1) Inovação (182) Instituição (1) Insumos (3) Investimento (7) IPCC (14) IPFL (1) L72 (4) L73 (7) Legislação (10) Lignina (7) livestock (4) Low-Carbon (53) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (588) Madeira (20) Mamona (1) Manejo e Conservação (109) MAPA (32) Máquinas e equipamentos (1) Mata Atlântica (5) Matéria Prima (2) Matéria-Prima (3) Matéria-PrimaResíduos (1) matérias-primas (3) MCTI (1) Meio Ambiente (288) Melhoramento e Diversidade Genética (71) Mercado (4106) Mercado de Combustíveis (67) Mercado Financeiro (12) Mercado florestal (72) Mercado Internacional (44) Metas (4) Micotoxinas (1) Milho (17) Minas Gerias (1) MMA (1) MME (48) Mudanças Climáticas (36) mudas (2) Mundo (152) Nações Unidas (4) Negócios (9) nergia limpa (1) net-zero (36) Nutrição animal (18) nutrition (9) Oil (51) Oleaginosas (99) Oleochemicals (10) Óleos (252) Óleos Essenciais (8) Óleos Vegetais (23) OMC (2) ONGs (1) ONU (15) Oportunidade (5) Oportunidades (7) other (1) Palm (2) Palma (30) palmeiras (3) Paris Agreement (93) Pecuária (88) Pegada de Carbono (103) Personal Care (3) Pesquisa (77) Pessoas (2) Petrobras (9) Petróleo (33) PIB (5) pirólise (3) Plano Safra (1) Plant Based (28) Política (81) Política Ambiental (2) políticas públicas (1) Preços (64) Preservação Ambiental (46) Produção Agrícola (1) Produção Animal (8) Produção Integrada (1) Produção Sustentável (61) Produção vegetal (10) Produtividade (52) Produtos (150) Proteção Ambiental (11) proteína vegetal (28) Qualidade do Ar (2) químicos verdes (1) Recuperação Ambiental (6) Recuperação de área Degradada (47) Recuperação Econômica (3) Reflorestamento (27) regulamentação (2) Relatório (15) renewable energy (19) RenovaBio (73) Report (2) Research and Development (11) Resíduos (16) Sabão (1) SAF (6) Safra (2) Saúde e Bem-Estar (128) science and technology (48) Sebo (5) Segurança Alimentar (150) Segurança Energética (14) Selo Social (12) sementes (2) silvicultura (2) Sistema Agroflorestal (40) Sistemas Integrados (24) Sociobiodiersidade (5) Soil (9) Soja (76) Solos (52) Sustainability (59) Sustainable Energy (69) Sustentabilidade (643) Tecnologia (51) Tempo (1) Títulos verdes (2) Transportes (5) Turismo Sustentável (6) Unica (1) Vídeo (260) World (5) World Economy (79) Zero-Carbon (2)

Total de visualizações de página