Buscar

Syngenta Group anuncia novos compromissos do Plano de Agricultura Sustentável

terça-feira, junho 30, 2020

WSU to pilot USDA international agricultural exchange program ...

Uma pesquisa global com grandes produtores nos EUA, França, China, Brasil, Índia e de várias partes da África encomendada pelo Syngenta Group constatou que 72% deles estão preocupados com o impacto que a mudança climática terá na produtividade das culturas, na saúde animal e em sua capacidade operacional nos próximos cinco anos.

Agricultores de todas as partes também tiveram de lidar com uma situação sem precedentes por causa da pandemia de Covid-19. Uma pesquisa complementar apenas com agricultores europeus mostrou que para 46% dos entrevistados tiveram seu negócio significativamente impactados pela pandemia de coronavírus. Entretanto, 53% afirmam que a mudança climática ainda é a prioridade imediata, e 63% concordam que a mudança climática terá um impacto maior em seus negócios nos próximos cinco anos do que a Covid-19.

O Syngenta Group lançou hoje seu novo Good Growth Plan, o Plano de Agricultura Sustentável, que prioriza a luta contra a mudança climática e contra a perda de biodiversidade na recuperação da agricultura dos efeitos econômicos e sociais causados pelas restrições da Covid-19.

O novo Plano de Agricultura Sustentável inclui novos e ousados compromissos para reduzir a pegada de carbono da agricultura e ajudar os agricultores a enfrentar os eventos climáticos extremos causados pela mudança climática.

Erik Fyrwald, CEO do Syngenta Group, declarou: "Desde seu lançamento, os princípios e as prioridades do Plano de Agricultura Sustentável foram profundamente incorporados na forma em que a Syngenta opera”. 

"A pandemia do coronavírus revelou a fragilidade do ecossistema agrícola. E como uma pandemia, a mudança climática constitui uma ameaça inevitável que devemos enfrentar antes que seja tarde demais. Conforme a economia e a agricultura comecem a se recuperar, com o relaxamento gradual das restrições da Covid-19, precisamos promover a recuperação dos agricultores priorizando a luta contra a mudança climática e contra a perda de biodiversidade".

Uma pesquisa da Ipsos MORI encomendada pelo Syngenta Group constatou que mais do que quatro em cada cinco agricultores entrevistados acredita que a mudança climática teve pelo menos algum impacto na sua capacidade de cultivar alimentos, e a maioria (59%) acredita que a redução das emissões de gases de efeito estufa pode trazer mais estabilidade financeira ou competitividade às operações agrícolas.

O Syngenta Group também revelou hoje que atingiu ou superou todas as metas do Plano de Agricultura Sustentável original, lançado em 2013, incluindo a restauração de mais de 14 milhões de hectares de terras agrícolas que estavam
à beira da degradação e o aumento da biodiversidade em mais de 8 milhões de hectares de terras agrícolas.

Com o novo Plano de Agricultura Sustentável, o Syngenta Group se compromete a investir US$ 2 bilhões em agricultura sustentável até 2025, e a lançar duas tecnologias disruptivas a cada ano. Os compromissos específicos do novo plano estão divididos em quatro áreas:

• Acelerar a inovação para os agricultores e a natureza;
• Trabalhar para que a agricultura seja neutra em carbono;
• Promover a segurança e a saúde das pessoas;
• Parcerias de impacto.

Entre esses compromissos, está o de reduzir a intensidade de carbono de suas operações em 50% até 2030 para contribuir com a meta do Acordo de Paris sobre mudança climática. O compromisso da Syngenta foi validado e aprovado pela Science Based Targets initiative (SBTi). O Syngenta Group também assinou recentemente o compromisso da SBTi de impedir um aumento da temperatura global acima de 1,5 grau.

Alexandra Brand, Chief Sustainability Officer do Syngenta Group, afirmou: "Quando falamos com os agricultores, notamos que eles são os primeiros a ser prejudicados pela mudança climática e pela perda de biodiversidade. Agora, as restrições da Covid também podem ter efeitos duradouros no setor de alimentos e agricultura".

"Os investimentos significativos em inovação que integram o Plano de Agricultura Sustentável são necessários para combater a mudança climática e proporcionar um sistema alimentar que funcione em harmonia com a natureza", complementou.

Um exemplo do compromisso que o Syngenta Group está assumindo é o anúncio de uma parceria com a rede Solidaridad, com o objetivo de implementar soluções sustentáveis em escala que habilitem as comunidades agrícolas de várias regiões em desenvolvimento a alcançar a segurança alimentar. Um desses projetos tem foco em café na Colômbia, e visa ajudar pequenos agricultores a aumentar sua renda em 25% por meio do combate à broca do café.

Heske Verburg, presidente da Solidaridad Europa, afirma: "Acreditamos que a produção agrícola sustentável deveria ser a norma. Nossa parceria com a Syngenta tem como objetivo apoiar agricultores em países em desenvolvimento, para que tenham um aumento em sua renda ao mesmo tempo em que produzam em equilíbrio com a natureza. Os produtos da Syngenta são uma realidade diária para muitos agricultores em todo o mundo, e nossa parceria trará reflexões importantes sobre como obter produtividade de maneira sustentável e em escala''.

Essa se soma a uma parceria já firmada com a The Nature Conservancy, que foi anunciada em outubro de 2019, e que inclui o projeto Reverte no Brasil, cujo objetivo é regenerar 1 milhão de hectares de áreas agrícolas degradadas nos próximos 5 anos.

Jennifer Morris, Presidente Executiva da The Nature Conservancy, afirmou: "A mudança climática e a perda da diversidade, juntamente com a demanda crescente por alimentos, estão pressionando cada vez mais o planeta, diminuindo a produtividade e a resiliência dos produtores, das propriedades agrícolas e da atividade pesqueira em todo o mundo. Os impactos da COVID-19 tornam cada vez mais urgente enfrentar esses desafios. Para reverter essas realidades adversas, será necessário trabalhar integrando vários setores para obter soluções inteligentes e escaláveis que garantam um futuro em que as pessoas e a natureza prosperem. A TNC reconhece o papel que produtores de todo o mundo têm na construção de soluções, e tem a satisfação de colaborar com o Syngenta Group na busca ambiciosa de um sistema alimentar que opere em parceria com a natureza".


Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) Acordo Internacional (23) Acrocomia aculeata (49) Agricultura (105) Agroenergia (119) Agroindústria (21) Agronegócio (116) Agropecuária (35) Água (1) Àgua (1) Alimentos (287) Amazônia (20) animal nutition (1) ANP (64) Arte (1) Artigo (26) Aspectos Gerais (177) Aviação (30) Aviation market (16) B12 (3) B13 (2) Bebidas (1) Bioativo (1) Biochemistry (5) Biocombustíveis (378) Biodiesel (268) Biodiversidade (1) Bioeconomia (58) Bioeletricidade (25) Bioenergia (165) Biofertilizantes (4) Biofuels (102) Bioinsumos (1) Biomass (7) Biomassa (85) Biomateriais (5) Biopolímeros (7) Bioproducts (2) Bioprodutos (15) Bioquerosene (36) Biorrefinaria (1) Biotechnology (34) Biotecnologia (66) Bolsa de Valores (22) Brasil (11) Brazil (28) Cadeia Produtiva (14) Capacitação (8) Carbonatação (1) Carbono Zero (5) Carvão Ativado (6) CBios (47) CCEE (1) Celulose (6) Cerrado (12) Ciência e Tecnologia (285) Clima e ambiente (242) climate changed (42) CNA (1) Cogeração de energia (29) Combustíveis (84) Combustíveis Fósseis (26) Comércio (15) Consciência Ecológica (20) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (4) Copolímeros (2) Cosméticos (27) Crédito de Carbono (38) Crédito Rural (2) Créditos de Descarbonização (22) Cultivo (113) Curso (3) Dados (1) Davos (3) Desafios (1) Desenvolvimento Sustentável (120) Desmatamento (1) Diesel (13) Diesel Verde (13) eco-friendly (4) Economia (65) Economia Circular (6) Economia Internacional (109) Economia Verde (169) Economy (30) Ecosystem (6) Efeito estufa (14) Eficiência energética (40) Empreendedorismo (3) Empresas (26) Energia (82) Energia Renovável (235) Energia Solar Fotovoltaica (16) Etanol (66) Europa (1) event (10) Eventos (113) Exportações (68) Extrativismo (49) FAO (2) Farelos (45) farm (1) Fibras (9) Finanças (4) Floresta (2) Floresta plantada (97) Fomento (9) Food (42) food security (7) forest (1) Fuels (26) Gás (3) Gasolina (1) Gastronomia (1) GEE (2) Glicerina (2) Global warming (98) Green Economy (125) health (22) IBP (1) Incentivos (4) Industry 4.0 (1) Ìnovaç (1) Inovação (79) Instituição (1) Investimento (1) IPCC (14) L72 (4) L73 (7) Legislação (6) Lignina (7) livestock (4) Low-Carbon (45) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (557) Madeira (11) Mamona (1) Manejo e Conservação (90) MAPA (11) Matéria Prima (1) Meio Ambiente (174) Melhoramento e Diversidade Genética (67) Mercado (4021) Mercado de Combustíveis (57) Mercado Financeiro (9) Mercado florestal (64) Mercado Internacional (37) Metas (2) Milho (13) MME (25) Mudanças Climáticas (16) Mundo (37) Nações Unidas (1) net-zero (3) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (50) Oleaginosas (81) Oleochemicals (8) Óleos (242) Óleos Essenciais (3) ONGs (1) ONU (7) Oportunidade (1) Oportunidades (1) other (1) Palma (16) Paris Agreement (85) Pecuária (74) Pegada de Carbono (78) Personal Care (3) Pesquisa (33) Petrobras (9) Petróleo (24) PIB (2) pirólise (3) Plant Based (16) Política (74) Preços (28) Preservação Ambiental (20) Produção Animal (6) Produção Sustentável (38) Produtividade (31) Produtos (150) Proteção Ambiental (7) proteína vegetal (28) Recuperação de área Degradada (42) Recuperação Econômica (3) Relatório (8) renewable energy (18) RenovaBio (50) Research and Development (10) Resíduos (3) SAF (3) Safra (1) Saúde e Bem-Estar (90) science and technology (46) Sebo (4) Segurança Alimentar (79) Segurança Energética (12) Selo Social (4) Sistema Agroflorestal (20) Sistemas Integrados (8) Soil (9) Soja (57) Solos (22) Sustainability (52) Sustainable Energy (66) Sustentabilidade (494) Tecnologia (24) Transportes (5) Turismo Sustentável (3) Unica (1) Vídeo (233) World Economy (76)

Total de visualizações de página