Buscar

Níveis de poluentes atmosféricos caem nas metrópoles com políticas de mobilidade urbana

quarta-feira, maio 27, 2020

CNN Brasil's tweet - "Além disso, com menos carros nas ruas, o ...
A locomoção das pessoas após a quarentena deverá ser uma das preocupações centrais na retomada das atividades sociais e econômicas nas grandes metrópoles. A professora Helena Ribeiro, pesquisadora do Departamento de Saúde Ambiental, da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, recomenda que os gestores públicos tracem estratégias e proponham políticas bem planejadas para incentivar ações integradas de mobilidade urbana e saúde ambiental. A professora coordenou um estudo feito por pesquisadores da FSP e da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP que investigou o impacto na melhoria da qualidade do ar em cidades que adotaram medidas de restrições de mobilidade de veículos automotivos durante a quarentena de covid-19. O estudo foi feito em São Paulo, Paris (França), Nova York e Los Angeles (EUA). Nas quatro cidades estudadas, houve queda no índice de poluição atmosférica: redução de material particulado (poeira em suspensão), de gás carbônico e nitrogênio.
Para a professora Helena, o confinamento social não só está evitando a disseminação do novo coronavírus, mas diminuindo a propagação de doenças respiratórias e circulatórias em virtude das baixas concentrações de poluentes. Segundo a pesquisadora, vários estudos têm demonstrado a relação de poluentes urbanos com o agravamento de doenças do aparelho respiratório como asma, bronquite, enfisema pulmonar, dentre outras, como infartos e acidentes vasculares cerebrais (AVC). Dados de 2018 da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que cerca de quatro milhões de pessoas morrem anualmente no mundo devido à poluição ambiental.
Das metrópoles urbanas estudadas e que foram fortemente afetadas pela pandemia de covid-19, os pesquisadores investigaram concentrações de quatro poluentes – o monóxido de carbono (CO),  o ozônio (O3), materiais particulados finos (MP2.5) e dióxido de nitrogênio (NO) – durante o mês de março de 2020, em comparação às médias do mês de março de 2015 a 2019. O artigo Air Quality and covid-19: is cleaner air in mega cities contributing to saving lives and to reducing health effectse sobre o assunto foi submetido este mês por Helena e outros pesquisadores à revista Atmospheric  Environment.
Os resultados do estudo indicaram reduções nas concentrações de PM2.5, CO e NO2 nas quatro cidades no período de quarentena. Ao contrário, o ozônio aumentou em três cidades, com exceção de Los Angeles. Porém, São Paulo teve menos redução de NO2 e PM2,5 comparado as outras cidades. A professora Helena acredita que isso tenha ocorrido devido ao fato de as medidas de confinamento social paulistanas terem sido menos restritivas do que em Nova York, Los Angeles e Paris, conforme mostra o relatório de mobilidade Covid-19 Community Report (Google, 2020): as atividades de transporte e em terminais de ônibus, metrô e trem foram reduzidas em 52% em São Paulo comparadas a 78% nas outras cidades.
Em porcentuais de redução de poluentes por cidade, observou-se  uma queda de monóxido de carbono (CO) em 20% em São Paulo, 30% em Los Angeles, 37% em Nova York e 18% em Paris; já o nível de dióxido de nitrogênio (NO)  teve redução de 13% em São Paulo, 37% em Los Angeles, 41% em Nova York e 32% em Paris; Material particulado fino (poeira em suspensão) teve queda de 4% em São Paulo, 33% em Los Angeles, 29% em Nova York e 16% em Paris.
A redução de poluentes em São Paulo aconteceu em menor quantidade em virtude também das medidas restritivas terem sido menos respeitadas pela população e possivelmente por fatores climáticos (menor volume de chuva em março 2020 em relação aos outros anos pesquisados), como observa a pesquisadora. No entanto, os resultados desse estudo mostram “que a crise sanitária que estamos vivendo é uma oportunidade única para repensarmos as políticas públicas de mobilidade urbana para as metrópoles brasileiras, em longo prazo”, avalia. “Restringir o trânsito de veículos impacta na qualidade do ar que influencia na saúde das pessoas”, diz. Há um estudo, publicado em versão pré-print nos primeiros dias de abril de 2020, que sugere que a maior parte das condições preexistentes que aumentam o risco de óbito por covid-19 são as mesmas doenças que são afetadas por exposição em longo prazo à poluição atmosférica.
Por fim, considerando que a locomoção das pessoas nas cidades após o isolamento seja uma prioridade estratégica na retomada das atividades, a professora Helena lembra da importância da integração de medidas de mobilidade urbana e saúde ambiental. Para a pesquisadora, há necessidade de mudanças de hábitos em relação ao transporte e locais de trabalho (teletrabalho, por exemplo) que sejam mais sustentáveis. É preciso lembrar também a inclusão de medidas de segurança para aqueles que dependem do transporte público. “Repensar a mobilidade após a quarentena inclui considerar faixas de trânsito rápido e o uso de transporte ativo (bicicleta, patinete, andar a pé) que reduzem o tempo em trânsito e melhoram a saúde das pessoas”, conclui.
Por: Helena Ribeiro, lena@usp.br
Fonte: Jornal da USP

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) Acordo Internacional (24) Acrocomia aculeata (51) Agricultura (125) Agroenergia (120) Agroindústria (21) Agronegócio (127) Agropecuária (38) Água (3) Àgua (1) Alimentos (306) Amazônia (24) animal nutition (1) ANP (66) Arte (1) Artigo (30) Aspectos Gerais (177) Aviação (31) Aviation market (17) B12 (3) B13 (2) Bebidas (1) Bioativo (1) Biochemistry (5) Biocombustíveis (381) Biodiesel (271) Biodiversidade (3) Bioeconomia (63) Bioeletricidade (25) Bioenergia (168) Biofertilizantes (5) Biofuels (102) Bioinsumos (3) Biomass (7) Biomassa (86) Biomateriais (6) Biopolímeros (8) Bioproducts (2) Bioprodutos (16) Bioquerosene (38) Biorrefinaria (1) Biotechnology (35) Biotecnologia (68) Bolsa de Valores (22) Brasil (14) Brazil (28) Cadeia Produtiva (14) Capacitação (9) Carbonatação (1) Carbono Zero (8) Carvão Ativado (6) CBios (47) CCEE (1) cellulose (1) Celulose (8) Cerrado (13) Ciência e Tecnologia (296) Clima e ambiente (244) climate changed (45) CNA (1) Cogeração de energia (29) Combustíveis (84) Combustíveis Fósseis (28) Comércio (15) Consciência Ecológica (22) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (4) Copolímeros (2) Cosméticos (30) Crédito de Carbono (38) Crédito Rural (2) Créditos de Descarbonização (22) Culinária (1) Cultivo (120) Curso (3) Dados (1) Davos (3) Desafios (1) Desenvolvimento Sustentável (128) Desmatamento (1) Diesel (13) Diesel Verde (13) eco-friendly (4) Economia (65) Economia Circular (6) Economia Internacional (109) Economia Verde (170) Economy (30) Ecosystem (6) Efeito estufa (15) Eficiência energética (42) Emissões de Carbono (4) Empreendedorismo (4) Empresas (33) Energia (83) Energia Renovável (237) Energia Solar Fotovoltaica (18) Etanol (67) Europa (1) event (11) Eventos (116) Exportações (69) Extrativismo (50) FAO (2) Farelos (45) farm (1) Fibras (9) Finanças (4) Floresta (6) Floresta plantada (100) Fomento (9) Food (42) food security (7) forest (1) Fuels (26) Gás (3) Gasolina (1) Gastronomia (1) GEE (2) Glicerina (2) Global warming (102) Green Economy (126) health (22) IBP (1) Incentivos (4) Industry 4.0 (1) Ìnovaç (1) Inovação (85) Instituição (1) Investimento (2) IPCC (14) L72 (4) L73 (7) Legislação (6) Lignina (7) livestock (4) Low-Carbon (45) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (560) Madeira (11) Mamona (1) Manejo e Conservação (93) MAPA (12) Matéria Prima (1) matérias-primas (1) Meio Ambiente (186) Melhoramento e Diversidade Genética (67) Mercado (4027) Mercado de Combustíveis (57) Mercado Financeiro (9) Mercado florestal (65) Mercado Internacional (38) Metas (2) Milho (13) MME (25) Mudanças Climáticas (18) Mundo (44) Nações Unidas (1) net-zero (9) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (50) Oleaginosas (81) Oleochemicals (8) Óleos (245) Óleos Essenciais (4) Óleos Vegetais (1) ONGs (1) ONU (9) Oportunidade (1) Oportunidades (1) other (1) Palma (17) Paris Agreement (87) Pecuária (78) Pegada de Carbono (81) Personal Care (3) Pesquisa (39) Petrobras (9) Petróleo (25) PIB (2) pirólise (3) Plant Based (18) Política (74) Preços (29) Preservação Ambiental (24) Produção Animal (6) Produção Sustentável (38) Produção vegetal (1) Produtividade (32) Produtos (150) Proteção Ambiental (8) proteína vegetal (28) Qualidade do Ar (2) Recuperação de área Degradada (43) Recuperação Econômica (3) Reflorestamento (1) Relatório (8) renewable energy (19) RenovaBio (50) Research and Development (10) Resíduos (4) SAF (3) Safra (2) Saúde e Bem-Estar (92) science and technology (46) Sebo (5) Segurança Alimentar (90) Segurança Energética (12) Selo Social (5) Sistema Agroflorestal (21) Sistemas Integrados (10) Sociobiodiersidade (1) Soil (9) Soja (57) Solos (27) Sustainability (54) Sustainable Energy (67) Sustentabilidade (509) Tecnologia (26) Transportes (5) Turismo Sustentável (3) Unica (1) Vídeo (234) World (1) World Economy (78) Zero-Carbon (1)

Total de visualizações de página