Buscar

segunda-feira, março 02, 2020


Fertilizantes minerais à base de cálcio e enxofre são excelentes bio-ativadores para as raízes atingirem camadas mais profundas do solo.

Os efeitos da severa estiagem que castigaram as lavouras no Rio Grande do Sul em dezembro e janeiro evidenciaram, mais uma vez, a necessidade de o produtor buscar soluções para enfrentar esse fenômeno climático que atinge o estado de forma sistemática.
Uma das soluções mais baratas e simples, recomendada por especialistas, está no próprio solo e nas raízes das plantas. Conforme explica o engenheiro agrônomo e especialista em solo, Eduardo Silva e Silva, tudo começa por um bom enraizamento da planta.
“O cuidado com o solo é fundamental para ativar o enraizamento das plantas. A raiz é a boca da planta e quanto maior a boca, maior a porta de entrada de água e nutrientes”, afirma.
O especialista destaca que o uso de fertilizantes minerais, à base de cálcio e enxofre, são excelentes bio-ativadores para o crescimento das raízes centrais e finas, atingindo camadas mais profundas do solo e aumentando o potencial de aproveitamento nutricional da planta.
“Seria como transformar a coifa das raízes em uma broca responsável por perfurar o solo e alcançar grandes profundidades. O cálcio é responsável por deixar essa broca sempre afiada. Já as raízes finas produzidas agregam ao solo, oferecem maior aeração, ajudam na retenção da água e descompactação química”, destaca.
Fonte de cálcio e enxofre solúveis, o fertilizante Sulfacal tem sido aplicado com grande sucesso nas lavouras gaúchas de milho, soja e pastagens, entre outras. A tecnologia, desenvolvida pela empresa catarinense SulGesso, é elaborada a partir de reservas de fosfogesso situadas no município de Imbituba, litoral catarinense. O SulfaCal (sulfato de cálcio granulado) conquistou a confiança dos produtores por melhorar o enraizamento das plantas, reduzir o alumínio tóxico e auxiliar na descompactação do solo, além de aumentar a resistência à seca.
Em Bossoroca, município situado na região das Missões, o produtor de milho e soja Marco Aurélio Hentz, aprovou a solução encontrada no próprio solo. “Investi no sulfato de cálcio granulado na soja e tive um resultado excelente, com 8 sacas a mais por hectare, então decidi repetir o investimento no milho. Aí, além de não enfrentar problemas com a estiagem, ainda colhemos a melhor safra de milho dos últimos anos”, afirma Marco Aurélio, que revela ter colhido uma média de 150 sacas/hectare.
Para finalizar, o especialista em solo reforça a importância da matéria orgânica no solo. Segundo Silva, quanto mais raízes uma planta produzir, maior será o benefício ao componente biológico do solo. “A utilização de fertilizantes minerais com alta concentração de cálcio e enxofre favorecem a criação de um ambiente favorável ao crescimento dos microrganismos benéficos à planta, criando-se uma espécie de escudo protetor contra microrganismos oportunistas”, conclui.

Fonte: Portal AgroUrbano

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (2) Acordo Internacional (2) Acrocomia aculeata (26) Agroenergia (3) Agronegócio (4) Agropecuária (2) Alimentos (236) Amazônia (1) animal nutition (1) ANP (5) Arte (1) Artigo (1) Aspectos Gerais (177) Aviação (27) Aviation market (14) Bebidas (1) Biochemistry (2) Biocombustíveis (224) Biodiesel (118) Bioeconomia (23) Bioeletricidade (7) Bioenergia (21) Biofertilizantes (2) Biofuels (96) Biomass (7) Biomassa (67) Biomateriais (1) Biopolímeros (5) Bioprodutos (1) Bioquerosene (21) Biotechnology (29) Biotecnologia (17) Brasil (5) Brazil (28) Cadeia Produtiva (3) Carvão Ativado (5) CBios (3) CCEE (1) Celulose (1) Cerrado (5) Ciência e Tecnologia (206) Clima e ambiente (196) climate changed (34) Cogeração de energia (13) Combustíveis (18) Consciência Ecológica (6) COP24 (76) COP25 (19) COP26 (1) Cosméticos (22) Crédito de Carbono (37) Créditos de Descarbonização (2) Cultivo (96) Davos (2) Desenvolvimento Sustentável (17) Diesel Verde (1) eco-friendly (4) Economia (32) Economia Internacional (81) Economia Verde (166) Economy (29) Ecosystem (2) Efeito estufa (9) Eficiência energética (16) Empreendedorismo (1) Empresas (1) Energia (36) Energia Renovável (186) Etanol (14) Europa (1) event (7) Eventos (84) Exportações (5) Extrativismo (24) FAO (1) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (76) Food (41) food security (6) forest (1) Fuels (22) Gastronomia (1) GEE (1) Global warming (85) Green Economy (123) health (22) IBP (1) Industry 4.0 (1) Inovação (6) IPCC (14) Legislação (3) Lignina (2) livestock (4) Low-Carbon (42) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (532) Mamona (1) Manejo e Conservação (50) MAPA (1) Meio Ambiente (101) Melhoramento e Diversidade Genética (57) Mercado (3917) Mercado florestal (56) Mercado Internacional (1) Mundo (3) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (49) Oleaginosas (15) Oleochemicals (6) Óleos (223) Óleos Essenciais (1) other (1) Palma (3) Paris Agreement (74) Pecuária (67) Pegada de Carbono (63) Personal Care (1) Petrobras (1) Petróleo (2) pirólise (2) Plant Based (14) Política (60) Preservação Ambiental (2) Produção Animal (2) Produção Sustentável (12) Produtos (150) Proteção Ambiental (1) proteína vegetal (28) Recuperação de área Degradada (32) Relatório (1) renewable energy (16) RenovaBio (1) Research and Development (8) SAF (2) Saúde e Bem-Estar (85) science and technology (41) Segurança Alimentar (62) Sistema Agroflorestal (6) Soil (8) Soja (1) Solos (11) Sustainability (45) Sustainable Energy (64) Sustentabilidade (380) Tecnologia (1) Transportes (1) Turismo Sustentável (1) Vídeo (206) World Economy (73)

Total de visualizações de página