Buscar

Por sustentabilidade, Olimpíada tem grama com tecnologia brasileira

terça-feira, fevereiro 11, 2020

Resultado de imagem para Por sustentabilidade, Olimpíada tem grama com tecnologia brasileira

A Olimpíada de Tóquio tem como uma de suas principais bandeiras a sustentabilidade. O novo Estádio Olímpico, por exemplo, foi projetado para aproveitar o ar exterior como forma de resfriar o seu interior. Já as medalhas foram confeccionadas com material reciclável, e as camas da vila dos atletas têm base de papelão.
Essa preocupação está presente também no piso sintético do hóquei sobre a grama, que é renovável, feito a partir de um plástico brasileiro.
Segundo a empresa Braskem, fornecedora da matéria-prima para a alemã Polytan (que é quem elabora o produto final e tem contrato com o Comitê Olímpico Internacional), o produto nacional tem como base a cana-de-açúcar, em vez de petróleo, e possui pegada de carbono neutra.
O plástico reciclável corresponde a 60% de todos os materiais usados no gramado (que também tem enchimentos e camadas de amortecimento), inclusive nas folhas da grama, que são azuis.
Em cada etapa da cadeia, se mede o quanto é emitido [de poluentes] e o quanto é absorvido. A fotossíntese da cana-de-açúcar absorve CO2. Então, apesar de ter emissão [durante o processo], há mais captura, explica Martin Clemesha, gerente de economia circular na Europa e Ásia da Braskem.
A cadeia de produção do "plástico verde" é similar à do plástico feito do petróleo. A diferença está na fonte, a cana.
O processo começa em plantações no Sudeste do Brasil, onde a planta é colhida e dela é extraído o etanol, que contém o etileno, com o qual é feito o polietileno. Depois, na região Sul, este é transformado num granulado plástico.
O granulado é exportado em sacos para a Europa, onde é feita a grama que será usada nos Jogos.
Enquanto a produção de uma tonelada de polietileno a partir da fonte fóssil libera, em toda sua cadeia, 1,9 tonelada de CO2 de acordo com a Plastics Europe (associação de produtores de plástico), a mesma quantidade de polietileno, quando feito da cana-de-açúcar, absorve 2,7 toneladas de CO2, por meio da fotossíntese da planta.
No Brasil, atualmente, há cerca de 330 milhões de hectares de terras aráveis. Por volta de 1% deles é usado na plantação de cana-de-açúcar (a enorme maioria, na região centro-sul), segundo dados da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar).
Para a Olimpíada de 2020, o comitê organizador assinou um compromisso com a ONU (Organização das Nações Unidas), no qual atesta a intenção de seguir a Agenda 2030, uma série de diretrizes criadas pelo órgão internacional, com metas para ajudar, dentre outras coisas, no combate ao aquecimento global e na preservação do meio ambiente.
O ramo esportivo ainda está longe de ser o principal para o uso dos derivados da cana-de-açúcar. Mesmo assim, a bola da Copa do Mundo de 2018 teve o elastano, material produzido também a partir do etanol, oriundo de fonte renovável da empresa brasileira.
Já o granulado de polietileno usado para o gramado de hóquei também pode ser transformado em embalagens, utensílios domésticos e rolhas sintéticas, por exemplo.
Segundo a Polytan, não foi só a sustentabilidade que convenceu o COI a escolher a empresa.
A grama do hóquei também retém menos o calor, algo importante se consideradas as altas temperaturas do verão japonês, que no ano passado contribuíram para a morte de pelo menos 116 pessoas. O tapete também seria mais durável, segundo os fabricantes.
Estádios de futebol de Canadá, Finlândia, Itália, Suíça e Chile também têm a grama fornecida pela empresa alemã, porém não partir da matéria-prima brasileira, presente, por enquanto, em apenas duas arenas alemãs.
A empresa também trabalha com outras modalidades, como rúgbi e tênis, além de produzir pistas de corrida e pisos para prática recreativa de esportes.

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (19) Abiove (6) Acordo Internacional (11) Acrocomia aculeata (35) Agricultura (30) Agroenergia (46) Agroindústria (13) Agronegócio (60) Agropecuária (22) Alimentos (257) Amazônia (7) animal nutition (1) ANP (41) Arte (1) Artigo (10) Aspectos Gerais (177) Aviação (30) Aviation market (16) B12 (3) B13 (2) Bebidas (1) Biochemistry (5) Biocombustíveis (313) Biodiesel (207) Bioeconomia (36) Bioeletricidade (13) Bioenergia (98) Biofertilizantes (3) Biofuels (102) Biomass (7) Biomassa (72) Biomateriais (2) Biopolímeros (7) Bioproducts (2) Bioprodutos (6) Bioquerosene (32) Biotechnology (34) Biotecnologia (30) Bolsa de Valores (15) Brasil (9) Brazil (28) Cadeia Produtiva (9) Capacitação (2) Carbonatação (1) Carvão Ativado (6) CBios (33) CCEE (1) Celulose (4) Cerrado (8) Ciência e Tecnologia (242) Clima e ambiente (211) climate changed (41) CNA (1) Cogeração de energia (25) Combustíveis (59) Combustíveis Fósseis (19) Comércio (10) Consciência Ecológica (15) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (4) Copolímeros (2) Cosméticos (23) Crédito de Carbono (38) Crédito Rural (2) Créditos de Descarbonização (15) Cultivo (100) Curso (3) Davos (3) Desenvolvimento Sustentável (61) Diesel (12) Diesel Verde (6) eco-friendly (4) Economia (53) Economia Circular (2) Economia Internacional (108) Economia Verde (166) Economy (30) Ecosystem (6) Efeito estufa (13) Eficiência energética (31) Empreendedorismo (2) Empresas (7) Energia (66) Energia Renovável (214) Energia Solar Fotovoltaica (9) Etanol (46) Europa (1) event (10) Eventos (98) Exportações (52) Extrativismo (34) FAO (2) Farelos (40) farm (1) Fibras (9) Finanças (3) Floresta plantada (91) Fomento (2) Food (42) food security (7) forest (1) Fuels (24) Gás (1) Gasolina (1) Gastronomia (1) GEE (2) Glicerina (1) Global warming (92) Green Economy (124) health (22) IBP (1) Incentivos (2) Industry 4.0 (1) Ìnovaç (1) Inovação (47) IPCC (14) L72 (4) L73 (6) Legislação (6) Lignina (5) livestock (4) Low-Carbon (45) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (543) Madeira (8) Mamona (1) Manejo e Conservação (62) MAPA (5) Meio Ambiente (135) Melhoramento e Diversidade Genética (62) Mercado (3968) Mercado de Combustíveis (43) Mercado Financeiro (9) Mercado florestal (62) Mercado Internacional (29) Metas (2) Milho (4) MME (14) Mudanças Climáticas (9) Mundo (16) Nações Unidas (1) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (50) Oleaginosas (57) Oleochemicals (8) Óleos (239) Óleos Essenciais (2) ONU (5) other (1) Palma (10) Paris Agreement (81) Pecuária (71) Pegada de Carbono (69) Personal Care (2) Pesquisa (18) Petrobras (6) Petróleo (22) PIB (1) pirólise (2) Plant Based (14) Política (73) Preços (18) Preservação Ambiental (8) Produção Animal (2) Produção Sustentável (29) Produtividade (12) Produtos (150) Proteção Ambiental (1) proteína vegetal (28) Recuperação de área Degradada (36) Recuperação Econômica (2) Relatório (6) renewable energy (17) RenovaBio (36) Research and Development (10) Resíduos (3) SAF (3) Saúde e Bem-Estar (88) science and technology (45) Sebo (1) Segurança Alimentar (73) Segurança Energética (8) Selo Social (2) Sistema Agroflorestal (14) Sistemas Integrados (4) Soil (9) Soja (32) Solos (13) Sustainability (48) Sustainable Energy (64) Sustentabilidade (438) Tecnologia (5) Transportes (3) Turismo Sustentável (3) Unica (1) Vídeo (221) World Economy (76)

Total de visualizações de página