Buscar

Oleaginosas podem tornar nossa microbiota mais amiga do coração

sexta-feira, janeiro 31, 2020


Resultado de imagem para macauba"
O estudo é mais uma prova da importância das bactérias que vivem no intestino para a saúde – e de que nozes e afins devem integrar uma dieta saudável.

Uma porção diária de nozes, castanhas e outras oleaginosas pode alterar as bactérias do intestino — ou a microbiota — em favor do coração. É o que indica uma pesquisa feita pela Penn State University, nos Estados Unidos, publicada recentemente no periódico Journal of Nutrition.

Sabe-se que a microbiota intestinal (conjunto de microrganismos que habita o órgão) tem uma participação no desenvolvimento de problemas cardiovasculares como a hipertensão. Mas ainda falta entender direito quais são as bactérias mais influentes e as intervenções eficazes para preservar a saúde cardíaca.

É nesse contexto que o novo estudo se encaixa. Os pesquisadores recrutaram 42 pessoas com obesidade ou sobrepeso, e idades entre 30 e 45 anos. Antes do experimento começar de fato, todos os participantes seguiram o mesmo cardápio por duas semanas.

Após isso, eles foram divididos aleatoriamente em três esquemas de dieta. O primeiro substituía fontes de gordura saturada por oleaginosas (entre 57 e 99 gramas ao dia). Já os outros dois trocavam os alimentos com gordura saturada por óleos vegetais com diferentes composições de gorduras saudáveis.

O plano alimentar durou seis semanas. Antes, durante e depois dele, os pesquisadores colheram amostras de fezes dos voluntários e fizeram exames relacionados à saúde cardíaca: medição de colesterol, triglicérides, pressão arterial e outros.

Ao final da investigação, notou-se que a turma consumidora de oleaginosas cultivou uma microbiota mais benéfica. “A dieta à base de nozes aumentou, no intestino dos voluntários, o número de bactérias que já foram associadas com benefícios à saúde no passado”, comentou à imprensa Penny Kris-Etherton, nutricionista que assina o artigo.

As bactérias que fazem bem ao coração

Especificamente, tipos específicos de bacilos passaram a povoar a microbiota após a dieta com nozes: RoseburiaEubacterium eligensButyricicoccusLeuconostocaceae e Lachnospiraceae. E esse fenômeno foi ligado a uma diminuição em marcadores de risco cardíaco, como pressão arterial e níveis de colesterol total e não-HDL.

Essas melhorias não foram observadas nos grupos que ingeriram os óleos vegetais. A hipótese dos cientistas é a de que as nozes inteiras forneçam, além das gorduras saudáveis, outras substâncias que alimentam as bactérias “do bem”, como fibras, vitaminas, minerais e outras.

Mais um ponto para o time formado por castanhas, noz, amêndoa, amendoim e pistache, que já bate um bolão quando o assunto é saúde. 
Para obter os benefícios, basta uma porção por dia.

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Acordo Internacional (1) Acrocomia aculeata (23) Alimentos (235) animal nutition (1) Arte (1) Aspectos Gerais (177) Aviação (27) Aviation market (14) Biochemistry (2) Biocombustíveis (191) Biodiesel (96) Bioeconomia (18) Bioeletricidade (5) Bioenergia (8) Biofertilizantes (2) Biofuels (91) Biomass (7) Biomassa (63) Biopolímeros (5) Bioquerosene (20) Biotechnology (26) Biotecnologia (13) Brazil (26) Cadeia Produtiva (1) Carvão Ativado (4) CCEE (1) Cerrado (5) Ciência e Tecnologia (196) Clima e ambiente (193) climate changed (31) Cogeração de energia (11) Combustíveis (5) Consciência Ecológica (2) COP24 (76) COP25 (19) Cosméticos (21) Crédito de Carbono (33) Cultivo (96) Davos (2) Desenvolvimento Sustentável (4) eco-friendly (4) Economia (11) Economia Internacional (70) Economia Verde (164) Economy (28) Ecosystem (1) Efeito estufa (9) Eficiência energética (4) Empreendedorismo (1) Energia (29) Energia Renovável (171) Etanol (2) event (6) Eventos (81) Exportações (1) Extrativismo (21) FAO (1) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (71) Food (41) food security (4) forest (1) Fuels (22) Gastronomia (1) Global warming (82) Green Economy (123) health (22) Industry 4.0 (1) Inovação (1) IPCC (14) Lignina (1) livestock (4) Low-Carbon (40) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (528) Mamona (1) Manejo e Conservação (48) Meio Ambiente (95) Melhoramento e Diversidade Genética (56) Mercado (3883) Mercado florestal (51) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (49) Oleaginosas (8) Oleochemicals (5) Óleos (220) Óleos Essenciais (1) other (1) Palma (1) Paris Agreement (72) Pecuária (65) Pegada de Carbono (54) Personal Care (1) pirólise (2) Plant Based (10) Política (55) Preservação Ambiental (2) Produção Animal (1) Produtos (150) proteína vegetal (27) Recuperação de área Degradada (31) Relatório (1) renewable energy (12) Research and Development (8) SAF (1) Saúde e Bem-Estar (82) science and technology (37) Segurança Alimentar (51) Sistema Agroflorestal (3) Soil (8) Solos (11) Sustainability (44) Sustainable Energy (57) Sustentabilidade (351) Vídeo (200) World Economy (71)

Total de visualizações de página