Buscar

Quanto melhor o néctar da planta, mais agressiva é a formiga que a defende

quarta-feira, maio 29, 2019

Formigas (Ectatomma tuberculatum – vermelha e grande; e Camponotus crassus – pequena e preta) se alimentando em um nectário extrafloral artificial durante o experimento de campo – Foto: Fábio Túlio Pacelhe/Instituto de Biociências da USP

Pesquisa mostra que formigas defendem de forma mais agressiva plantas com néctares mais nutritivos; resultados podem ter aplicação na agricultura

A interação entre plantas e formigas já é amplamente documentada na biologia: as plantas oferecem néctares nutritivos para a alimentação das formigas e elas, em troca, defendem os vegetais dos ataques de outros animais. Entretanto, pela primeira vez, um estudo comprovou que existe relação entre a qualidade do néctar oferecido e a agressividade com que as formigas defendem a planta em questão. Essa é uma pesquisa básica, mas cujo conhecimento produzido poderá ser aplicado, no futuro, na agricultura, usando determinadas plantas para atrair formigas que atacam as pragas, por exemplo.

A pesquisa de mestrado Plantas com néctar extrafloral de melhor qualidade são mais bem protegidas por formigas resultou num artigo publicado na revista Biotropica e pode ser acessado no site da Wiley Online Library. O estudo analisou o comportamento de 26 espécies de formigas com quatro modelos de nectários extraflorais artificiais. “Essas estruturas secretam um líquido açucarado com aminoácidos e lipídeos, que são nutrientes importantes para a dieta das formigas. Através deles esses insetos expandem colônias e aumentam o sucesso reprodutivo”, explica o professor Marco Aurelio Ribeiro de Mello, do Laboratório de Síntese Ecológica do Instituto de Biociências (IB) da USP, e orientador da dissertação de mestrado do biólogo Fábio Túlio Pacelhe, apresentada na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Os experimentos consistiram em instalar os nectários em plantas chamadas gomerinhas – Vochysia elliptica Mart. (Vochysiaceae) – e observar quantas formigas cada um deles atraía e como elas se comportavam uma vez na planta: se encontravam os cupins, herbívoros escolhidos como modelo; se os atacavam e se conseguiam exterminá-los.

Apenas as bases dos modelos de nectários eram diferentes: havia um à base de açúcar, outro à base de aminoácidos, um terceiro à base de açúcar e aminoácidos e, por fim, um modelo controle, à base de água.

A pesquisa incluiu quatro meses de estudo de campo na Serra do Cipó, em Minas Gerais. Foram instalados cinco nectários artificiais em 40 plantas durante o período na Serra do Cipó.

Formiga (Camponotus crassus) atacando um cupim (Nasutitermes coxipoensis), usado como modelo de herbívoro no experimento – Foto: Fábio Túlio Pacelhe/Instituto de Biociências da USP

Aplicações

Os resultados mostraram taxas maiores de recrutamento, encontro com os cupins, ataque e extermínio no néctar à base de açúcar e aminoácidos. Dessa forma, o estudo correlacionou uma maior agressividade das formigas com a oferta de um néctar com mais nutrientes.

As possíveis aplicações são vastas. Na agricultura de monocultura de alguns produtos alimentícios, como a soja e o milho, é possível realizar o cultivo junto ao de plantas que produzem esse néctar mais nutritivo para que as formigas ataquem as pragas que afligem a plantação principal.

Outras possíveis aplicações seriam utilizar a seleção artificial ou a bioengenharia para criar plantas com nectários de maior qualidade, ou colocar nectários artificiais, que funcionariam de forma similar às bombas de insulina, em plantas que não os possuem.

O pesquisador Fábio Pacelhe relembra, entretanto, que essas aplicações ainda são teóricas: “Nós fizemos uma pesquisa de base. Para colocar isso em prática, seriam necessários novos estudos”.

Fonte: Jornal da USP

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Acrocomia aculeata (2) Alimentos (186) animal nutition (1) Aspectos Gerais (164) Aviação (22) Aviation market (11) Biocombustíveis (154) Biodiesel (52) Bioeconomia (14) Bioeletricidade (2) Biofertilizantes (1) Biofuels (68) Biomass (7) Biomassa (47) Biopolímeros (3) Bioquerosene (18) Biotechnology (20) Biotecnologia (2) Brazil (17) Cerrado (1) Ciência e Tecnologia (157) Clima e ambiente (157) climate changed (6) Cogeração de energia (9) COP24 (73) COP25 (8) Cosméticos (18) Crédito de Carbono (25) Cultivo (96) eco-friendly (2) Economia Internacional (59) Economia Verde (145) Economy (25) Ecosystem (1) Efeito estufa (3) Energia (24) Energia Renovável (128) event (4) Eventos (63) Extrativismo (19) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (55) Food (38) food security (1) Fuels (16) Global warming (75) Green Economy (95) health (19) Industry 4.0 (1) IPCC (13) livestock (4) Low-Carbon (39) Lubrificantes e Óleos (8) Macaúba (451) Manejo e Conservação (29) Meio Ambiente (67) Melhoramento e Diversidade Genética (52) Mercado (3797) Mercado florestal (40) Nutrição animal (14) nutrition (9) Oil (38) Óleos (200) other (1) Paris Agreement (45) Pecuária (50) Pegada de Carbono (37) pirólise (1) Plant Based (5) Política (41) Produtos (118) proteína vegetal (13) Recuperação de área Degradada (21) renewable energy (5) Research and Development (7) SAF (1) Saúde e Bem-Estar (54) science and technology (21) Segurança Alimentar (31) Soil (7) Solos (8) Sustainability (26) Sustainable Energy (51) Sustentabilidade (255) Vídeo (193) World Economy (56)

Total de visualizações de página