Buscar

Mudanças climáticas pioram as alergias, afirma novo estudo

quarta-feira, maio 29, 2019

 (Foto: Pixabay)
(FOTO: PIXABAY)

Aumento do nível do mar e das emissões de dióxido de carbono impactam diretamente no agravamento dos sintomas da alergia: entenda

Uma nova análise mostra que o aquecimento global agrava os sintomas de alergia — principalmente durante a primavera. Isso porque, com a prolongação das estações quentes, há também um crescimento no período de reprodução das plantas: mais pólen, mais alergias.

Recentemente um grupo de especialistas estudou a extensão da temporada de pólen e a quantidade de pólen por planta em 17 locais em todo o hemisfério norte. De acordo com os dados coletados ao longo de 26 anos, 70% dos locais tiveram aumento na quantidade total de pólen circulante. Em 65% dos lugares, isso aconteceu devido a um "aumento contínuo dos extremos de temperatura", relataram os autores.

Outro fator que interfere na questão é a poluição do ar, já que o dióxido de carbono (CO2) afeta a reprodução vegetal. Quanto mais CO2 da atmosfera, mais "estimulantes" as plantas têm para se reproduzir, o que resulta diretamente no aumento da quantidade de pólen na atmosfera.

As plantas usam o dióxido de carbono para produzir alimentos através da fotossíntese, mas a substância extra no ar faz com que as ervas daninhas se espalhem mais rapidamente do que "plantas úteis" como o arroz e o trigo. "A ambrosia [gênero de plantas da família Asteraceae], especificamente, cresceu mais rápido, floresceu mais cedo e produziu significativamente mais pólen", afirmou Lewis Ziska, principal autor do estudo, em comunicado.

Além disso, o aumento no nível dos oceanos resulta na proliferação de mofo, fator que também interfere na vida das pessoas alérgicas. Isabella Annesi-Maesano, diretora de pesquisa do Instituto Francês de Saúde e Pesquisa Médica, disse ao Business Insider que alguns grupos específicos da população ficarão mais vulneráveis aos sintomas da alergia. "A idade é importante na mudança climática, com crianças e idosos sofrendo mais com os efeitos da mudança climática do que o resto da população".

Para Annesi-Maesano e outros especialistas, "parece provável" que as alergias continuem a piorar se as emissões de carbono continuarem aumentando.

Fonte: Revista Galileu

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Acrocomia aculeata (2) Alimentos (186) animal nutition (1) Aspectos Gerais (164) Aviação (22) Aviation market (11) Biocombustíveis (154) Biodiesel (52) Bioeconomia (14) Bioeletricidade (2) Biofertilizantes (1) Biofuels (68) Biomass (7) Biomassa (47) Biopolímeros (3) Bioquerosene (18) Biotechnology (20) Biotecnologia (2) Brazil (17) Cerrado (1) Ciência e Tecnologia (157) Clima e ambiente (157) climate changed (6) Cogeração de energia (9) COP24 (73) COP25 (8) Cosméticos (18) Crédito de Carbono (25) Cultivo (96) eco-friendly (2) Economia Internacional (59) Economia Verde (145) Economy (25) Ecosystem (1) Efeito estufa (3) Energia (24) Energia Renovável (128) event (4) Eventos (63) Extrativismo (19) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (55) Food (38) food security (1) Fuels (16) Global warming (75) Green Economy (95) health (19) Industry 4.0 (1) IPCC (13) livestock (4) Low-Carbon (39) Lubrificantes e Óleos (8) Macaúba (451) Manejo e Conservação (29) Meio Ambiente (67) Melhoramento e Diversidade Genética (52) Mercado (3797) Mercado florestal (40) Nutrição animal (14) nutrition (9) Oil (38) Óleos (200) other (1) Paris Agreement (45) Pecuária (50) Pegada de Carbono (37) pirólise (1) Plant Based (5) Política (41) Produtos (118) proteína vegetal (13) Recuperação de área Degradada (21) renewable energy (5) Research and Development (7) SAF (1) Saúde e Bem-Estar (54) science and technology (21) Segurança Alimentar (31) Soil (7) Solos (8) Sustainability (26) Sustainable Energy (51) Sustentabilidade (255) Vídeo (193) World Economy (56)

Total de visualizações de página