Buscar

Confinamento Compost Barn e seu impacto na produtividade leiteira

terça-feira, novembro 13, 2018


Confinamento Compost Barn e seu Impacto na Produtividade Leiteira

Em meados de 1980, os Estados Unidos inovaram o setor agropecuário, iniciando um novo sistema de confinamento de gado leiteiro: o Compost Barn.
Este é um sistema totalmente alternativo, em comparação com os tradicionais, onde o gado leiteiro é alojado em um grande espaço físico coberto para descanso (galpões).
Tal espaço, revestido com camas de serragem, esterco compostado e aparas de madeira para acomodação do gado, proporciona um maior bem-estar para o animal, o que impacta diretamente na produtividade e qualidade do leite.

Diferenciais do Compost Barn

Diferentemente de outros sistemas, como o Free Stall, por exemplo, onde os animais ficam alojados em galpões com baias metálicas ou de madeira dividindo-os, o Compost Barn preza pela melhor acomodação e movimentação para o gado, além de não se utilizar a areia para a composição da cama de descanso, como nos demais sistemas de confinamento.
A cama é um dos principais artifícios para a qualidade desse sistema. Isso porque a serragem é utilizada em processo de compostagem ao longo do uso, junto ao esterco, criando uma fermentação aeróbica que impede a proliferação de bactérias.
O processo de compostagem produz dióxido de carbono (CO2), água e calor por conta da fermentação aeróbia da matéria orgânica.
Com isso, a sua composição e o manejo constante, reduzem a temperatura e geram maior conforto e acomodação para o gado.
Outro benefício que influencia em todo o processo, é o sistema de ventilação desses galpões, que permite, principalmente nos dias mais quentes, evitar a umidade das camas, o que poderia aumentar a ocorrência de mastite (inflamação das glândulas mamárias).
Isso ocorre pois quando a umidade da cama aumenta, o material compostado adere-se à pele e ao orifício do teto, facilitando a entrada de bactérias.

Influências na produtividade

A produtividade leiteira está inteiramente ligada ao sistema de confinamento e, consequentemente, ao bem-estar e saúde do gado.
Quanto mais confortável o mesmo estiver, melhor será a produção e a qualidade do leite.
Por isso, ter camas que se adéquem ao formato do corpo do gado, um espaço mais livre para movimentação e menos estresse, uma alimentação adequada e uma ventilação eficiente são requisitos essenciais para a boa produção.

A importância do manejo correto

No Compost Barn o sucesso do sistema se dá principalmente pelo manejo da cama, que deve ser realizado ao menos duas vezes ao dia, normalmente nos horários de ordenha, onde o gado não está ocupando o espaço.
Realizando a compostagem corretamente, é possível aumentar a temperatura da cama, o que proporciona maior conforto ao gado e também uma melhoria na própria compostagem.
Sem essa manutenção frequente, a umidade pode tomar conta da cama, deixando o gado sujo e facilitando o surgimento da mastite, como já citado, além de evitar os problemas de casco causados pela má acomodação, o aparecimento de moscas e outros bichos, diminuir o odor, e proporcionar a diminuição da contagem de células somáticas (CCS) e o aumento da detecção de cio.
Em decorrência, a melhor comodidade e falta de umidade, permitem que o gado se sinta melhor, mais disposto, e com a sua saúde mais preservada, o que garante uma maior produtividade de leite e qualidade do mesmo.

Ventilação

A ventilação também é um fator decisivo. Como a maioria dos confinamentos de Compost Barn abriga muitos animais na produção, os ventiladores são ainda mais essenciais.
Sem a ventilação correta, não adiantará de nada o manejo constante da cama, já que a umidade poderá surgir.
Com isso o espaço fica muito mais arejado, permitindo maior bem-estar para o gado.
Além disso, a ventilação é necessária para eliminar os gases produzidos pela decomposição da cama e pelo próprio animal.
Porém, o treinamento dos funcionários deve ser feito com atenção. Isso porque no Brasil, muitos produtores ainda estão focados no modo de pasto e não se atualizaram para novas técnicas.
Por isso, para que o sistema funcione, é preciso treiná-los sobre cada etapa do processo.

Estudos comprovam

Segundo estudos realizados na Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, as técnicas desse sistema demonstraram melhorias no conforto dos animais e na produtividade.
Houve uma melhora na qualidade do leite, proporcionada pela redução dos índices de CCS e da incidência de mastite, graças à diminuição da carga microbiana das camas e um ambiente mais confortável para os animais.
Além disso, os próprios produtores, tanto de outros países como os brasileiros, também confirmam a tese de que a melhoria do conforto, saúde e bem-estar do gado, influenciaram na melhor produtividade do leite.
Assim, além do aumento comprovado da produção leiteira, a qualidade do alimento também é melhorada.
Por isso o investimento nas camas, no galpão e nos ventiladores retorna positivamente para o produtor.
Você já conhecia essas técnicas e tem algo a complementar sobre o assunto? Deixe aqui embaixo nos comentários.
Fonte: AgroComunica

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página