Buscar

Números do IBGE demonstram que a economia foi mais uma vez puxada pelo agronegócio, que cresceu 13%

quinta-feira, março 01, 2018


Resultado de imagem para Agronegocio

Em termos setoriais, o crescimento do PIB mais uma vez foi puxado pela agropecuária, que cresceu no ano passado 13%.

Embora não seja propriamente uma surpresa, o Brasil saiu oficialmente da recessão. O IBGE anunciou na manhã desta quinta-feira (01/03) que a economia cresceu 1% no ano passado.
Nos dias anteriores à divulgação, o mercado estava prevendo algo ligeiramente maior, entre 1,1% a 1,3%.
A publicação do PIB de 2017 põe fim ao declínio da produção, que somou 8,2%, a partir de 2014. Mas a economia está longe de se recuperar da queda provocada pelas barbeiragens da ex-presidente Dilma Rousseff.
Em 2016, o PIB havia recuado 3,5%.
Em valores correntes, o PIB brasileiro do ano passado foi de R$ 6,6 trilhões. O PIB mede o total da produção de bens e serviços.
Henrique Meirelles, ministro da Fazenda, afirmou que, apesar de apenas 1%, "a atividade econômica cresceu bastante", se comparada aos números negativos do ano anterior. "O fato de a economia ter voltado a crescer significa uma recuperação muito forte ao longo do ano", afirmou.
Em termos setoriais, o crescimento do PIB mais uma vez foi puxado pela agropecuária, que cresceu no ano passado 13%. É o efeito prático da supersafra agrícola, que reduziu no país o preço dos alimentos, e o melhor resultado da série histórica iniciada em 1996.
O setor foi responsável por 0,7% do crescimento total do PIB. Com relação a 2016, ele cresceu no ano passado 29,5%, um aumento prodigioso, com 240 milhões de toneladas de grãos.
O setor de serviços cresceu apenas 0,3%, enquanto a indústria –apesar da recuperação demonstrada nos dois últimos trimestres – permaneceu praticamente estagnada.
Mas a produção industrial demonstrou um pequeno dinamismo no último trimestre de 2017, com alta de 0,5% em relação ao trimestre anterior. Se a comparação for feita com o último trimetre de 2916, o crescimento terá sido de 2,7%.
Outro dado relevante está no crescimento muito pequeno da renda per capita. Ela aumentou em apenas 0,2%, chegando, já descontada a inflação, a R$ 31.587.
Por outro corte dos números agora divulgados, o consumo das famílias cresceu 1%. Pode parecer insuficiente, mas a percentagem demonstra que as pessoas voltaram a comprar. O varejo, segundo o IBGE, cresceu no ano passado em 2%, puxado pela venda de móveis e eletrodomésticos. Em 2016, o consumo das famílias havia recuado 4%.
O consumo das famílias representa perto de 60% do PIB, e sua dinamização sinaliza a possibilidade de crescimento da economia como um todo em 2018, com previsões em torno de 3%.
A qualidade do crescimento é importante pelos efeitos no mercado de trabalho.
Ainda na quarta-feira (28/02), o IBGE havia divulgado sua pesquisa sobre o tema. Por ela, o desemprego, no último trimestre de 2917, ficou em 12,2%, o que significa 12,7 milhões de brasileiros sem trabalho.
Por esses dados, ao longo de um ano a economia gerou apenas 200 mil empregos, o que é irrisório para se pensar em crescimento sustentável.
Além disso, permanece alto o chamado “desemprego por desalento”, que atinge pessoas que, desanimadas, cessaram de procurar uma colocação. Nesse contingente estão perto de 5 milhões de brasileiros.
A pesquisa do IBGE também indicou que entre os empregados há 1 milhão que começou a trabalhar por conta própria, boa parte deles por não ter conseguido colocação formal com carteira assinada.
Fonte: AgroLink

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Acrocomia aculeata (3) Alimentos (219) animal nutition (1) Aspectos Gerais (175) Aviação (25) Aviation market (13) Biocombustíveis (169) Biodiesel (72) Bioeconomia (15) Bioeletricidade (2) Biofertilizantes (1) Biofuels (83) Biomass (7) Biomassa (49) Biopolímeros (3) Bioquerosene (18) Biotechnology (21) Biotecnologia (2) Brazil (20) Cerrado (2) Ciência e Tecnologia (174) Clima e ambiente (183) climate changed (21) Cogeração de energia (9) COP24 (76) COP25 (14) Cosméticos (19) Crédito de Carbono (26) Cultivo (96) eco-friendly (2) Economia Internacional (60) Economia Verde (156) Economy (25) Ecosystem (1) Efeito estufa (5) Energia (28) Energia Renovável (150) event (6) Eventos (72) Extrativismo (20) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (62) Food (40) food security (1) forest (1) Fuels (16) Global warming (78) Green Economy (112) health (21) Industry 4.0 (1) IPCC (13) livestock (4) Low-Carbon (39) Lubrificantes e Óleos (18) Macaúba (497) Manejo e Conservação (39) Meio Ambiente (81) Melhoramento e Diversidade Genética (52) Mercado (3835) Mercado florestal (43) Nutrição animal (15) nutrition (9) Oil (42) Óleos (210) other (1) Paris Agreement (58) Pecuária (60) Pegada de Carbono (41) pirólise (1) Plant Based (6) Política (52) Produtos (140) proteína vegetal (21) Recuperação de área Degradada (23) renewable energy (10) Research and Development (7) SAF (1) Saúde e Bem-Estar (74) science and technology (25) Segurança Alimentar (34) Soil (7) Solos (8) Sustainability (36) Sustainable Energy (52) Sustentabilidade (290) Vídeo (193) World Economy (64)

Total de visualizações de página