Buscar

Emissão de dióxido de carbono volta a subir, alerta Julia Fonteles

sexta-feira, março 05, 2021



O consenso científico é claro: as emissões de dióxido de carbono devem diminuir pela metade até 2030 para que possamos evitar os piores desastres associados à mudança climática. Graças às medidas de confinamento que começaram na China e se espalharam pelo mundo em resposta à pandemia, 2020 foi o primeiro ano a registrar uma queda de 5,8% nos níveis de emissão de CO2 de março à setembro.

O relatório da agência internacional de energia (IEA), divulgado em fevereiro de 2021, porém, mostra uma recuperação nos níveis de CO2 a partir de dezembro de 2020, enfraquecendo a ideia de que a baixa das emissões era parte de uma tendência a longo prazo. Segundo especialistas, a volta das emissões é reflexo da estrutura da economia mundial, que ainda se encontra dependente de atividades movidas a combustíveis fósseis. Fatih Birol, diretora-executiva da IEA, afirma que a rápida retomada nos níveis de gases poluidores mostra que medidas para acelerar a transição energética mundial não estão sendo suficientes, principalmente em países emergentes.

Vale ressaltar que o Brasil, a Índia e a China demonstraram uma recuperação maior e mais rápida dos níveis de emissões do que os Estados Unidos e a União Europeia. As potências mundiais conseguiram manter os baixos níveis de CO2 por mais tempo. A retomada da economia emergente após o período de confinamento foi mais expressiva nos setores de indústrias e transportes, característicos pela dependência do petróleo e carvão.

Já em países desenvolvidos com economias fortes nos setores de comércio e serviços, a boa infraestrutura para acomodar home offices e uma reserva fiscal para arcar com os custos sociais e auxílios emergência atenuaram as emissões, mantendo níveis mais estáveis e abaixo da média de 2019. Embora as emissões dos Estados Unidos e da União Europeia tenham subido no final do ano passado, com a retomada da economia, ainda se encontram abaixo dos níveis da média, o que é um bom sinal.

Mesmo que singelo, o aumento da parcela de energia renovável mundial de 27% para 29% deve ser comemorado. Segundo a IEA, os níveis de emissão do setor elétrico em países desenvolvidos foi o que mais se manteve estável, mostrando que a distribuição das renováveis está apresentando resultados. Fruto dos incentivos fiscais e da legislação que promovem o investimento em energia limpa, a maior parcela de energia renovável no setor elétrico mostra que é possível utilizá-la para suprir a demanda essencial de hospitais, indústrias e residências.

Em antecipação da Conferência das Partes (COP26) em Glasgow, neste ano, a comunidade internacional planeja se encontrar para renovar seus compromissos climáticos e buscar avançar as metas do acordo de Paris. A interseção dos setores da saúde e energia limpa deve ocupar uma parcela importante nas discussões dos eventos, assim como o crescimento econômico limpo.

Com Joe Biden na Casa Branca e o avanço do Green New Deal Europeu, países emergentes vão ser cobrados a assumir compromissos sérios e planos a longo prazo para recuperar suas economias de maneira sustentável e verde. 

Fonte: Poder360

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) acordo (1) Acordo Internacional (31) Acrocomia aculeata (64) Agricultura (229) Agricultura 4.0 (4) agriculture (1) Agroenergia (125) Agroindústria (25) Agronegócio (205) Agropecuária (50) Água (18) Àgua (1) Alimentação Saudável (9) Alimentos (349) Amazônia (61) Ambiente (1) animal nutition (1) ANP (75) Arte (1) Artigo (44) Aspectos Gerais (177) Aviação (32) Aviation fuel (4) Aviation market (20) B12 (3) B13 (2) Bebidas (1) Bioativo (1) Biochemistry (5) Biocombustíveis (413) Biodefensivos (1) Biodiesel (309) Biodiesel Empresas (1) Biodiversidade (9) Bioeconomia (101) Bioeconomia Agronegócio (1) Bioeletricidade (25) Bioenergia (196) Biofertilizantes (9) Biofuels (103) Bioinsumos (9) Biomass (7) Biomassa (88) Biomateriais (6) bioplásticos (1) Biopolímeros (15) Bioproducts (2) Bioprodutos (21) Bioquerosene (42) Biorrefinaria (2) Biotechnology (35) Biotecnologia (80) BNDES (2) Bolsa de Valores (27) Brasil (40) Brazil (29) Cadeia Produtiva (15) Capacitação (25) CAR (3) Carbonatação (1) Carbono Neutro (3) Carbono Zero (17) Carvão Ativado (8) carvão vegetal (2) CBios (67) CCEE (1) cellulose (1) Celulose (12) Cerrado (21) Chuvas (4) Cidades (1) Ciência e Tecnologia (365) Clima e ambiente (267) climate changed (54) CNA (1) Cogeração de energia (30) Combustíveis (96) Combustíveis Fósseis (38) Comércio (45) Consciência Ecológica (24) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (4) Copolímeros (2) Cosméticos (39) Crédito de Carbono (41) Crédito Rural (13) Créditos de Descarbonização (24) Culinária (1) Cultivo (121) Culturas Perenes. Agricultura (1) Curso (5) Dados (1) Davos (4) Dendê (4) Desafios (3) Desenvolvimento Sustentável (167) Desmatamento (4) Diesel (17) Diesel Verde (21) eco-friendly (5) Economia (84) Economia Circular (10) Economia Internacional (112) Economia Sustentável (4) Economia Verde (172) Economy (32) Ecosystem (6) Educação (1) Efeito estufa (18) Eficiência energética (51) Emissões de Carbono (45) Empreendedorismo (7) Empresas (114) Energia (95) energia limpa (7) Energia Renovável (251) Energia Solar Fotovoltaica (21) ESG (12) Estudo (2) Etanol (79) Europa (1) event (11) Eventos (144) Exportações (88) Extrativismo (61) FAO (5) Farelos (45) farm (1) Fertilidade (2) Fibras (9) Finanças (5) Floresta (23) Floresta plantada (107) Fomento (34) Food (42) food security (8) forest (1) Fruticultura (6) Fuels (27) Gamificação (1) Gás (3) Gás natural (1) Gasolina (3) Gastronomia (1) GEE (3) Glicerina (2) Global warming (113) Green Economy (127) health (23) História (1) IBP (1) ILPF (1) Incentivos (4) India (1) indústria (1) Industry (1) Industry 4.0 (1) Ìnovaç (1) Inovação (149) Instituição (1) Insumos (2) Investimento (4) IPCC (14) IPFL (1) L72 (4) L73 (7) Legislação (9) Lignina (7) livestock (4) Low-Carbon (51) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (580) Madeira (17) Mamona (1) Manejo e Conservação (104) MAPA (27) Máquinas e equipamentos (1) Mata Atlântica (2) Matéria Prima (2) Matéria-Prima (1) matérias-primas (3) MCTI (1) Meio Ambiente (264) Melhoramento e Diversidade Genética (71) Mercado (4095) Mercado de Combustíveis (64) Mercado Financeiro (10) Mercado florestal (72) Mercado Internacional (43) Metas (4) Micotoxinas (1) Milho (16) Minas Gerias (1) MMA (1) MME (42) Mudanças Climáticas (33) mudas (2) Mundo (124) Nações Unidas (3) Negócios (5) net-zero (29) Nutrição animal (18) nutrition (9) Oil (51) Oleaginosas (96) Oleochemicals (10) Óleos (250) Óleos Essenciais (7) Óleos Vegetais (18) OMC (2) ONGs (1) ONU (14) Oportunidade (5) Oportunidades (6) other (1) Palm (1) Palma (27) palmeiras (1) Paris Agreement (93) Pecuária (88) Pegada de Carbono (100) Personal Care (3) Pesquisa (71) Pessoas (2) Petrobras (9) Petróleo (31) PIB (5) pirólise (3) Plant Based (27) Política (81) Política Ambiental (2) Preços (57) Preservação Ambiental (43) Produção Animal (7) Produção Integrada (1) Produção Sustentável (56) Produção vegetal (8) Produtividade (48) Produtos (150) Proteção Ambiental (11) proteína vegetal (28) Qualidade do Ar (2) Recuperação Ambiental (4) Recuperação de área Degradada (45) Recuperação Econômica (3) Reflorestamento (22) regulamentação (2) Relatório (14) renewable energy (19) RenovaBio (70) Report (2) Research and Development (11) Resíduos (12) Sabão (1) SAF (6) Safra (2) Saúde e Bem-Estar (120) science and technology (47) Sebo (5) Segurança Alimentar (134) Segurança Energética (13) Selo Social (11) sementes (2) silvicultura (2) Sistema Agroflorestal (36) Sistemas Integrados (19) Sociobiodiersidade (5) Soil (9) Soja (70) Solos (49) Sustainability (58) Sustainable Energy (69) Sustentabilidade (608) Tecnologia (47) Tempo (1) Títulos verdes (2) Transportes (5) Turismo Sustentável (6) Unica (1) Vídeo (251) World (5) World Economy (79) Zero-Carbon (2)

Total de visualizações de página