Buscar

Governos e empresas debatem em Salvador impulso ao transporte público sustentável

sexta-feira, agosto 23, 2019

O setor dos transportes é o principal consumidor de combustíveis fósseis na região latino-americana e a principal fonte de poluição atmosférica. Foto: PEXELS/Kaique Rocha
O setor dos transportes é o principal consumidor de combustíveis fósseis na região latino-americana e a principal fonte de poluição atmosférica. Foto: PEXELS/Kaique Rocha

Infraestrutura, cidades e ação global foi tema de painel promovido nesta quarta-feira (21) pela ONU Meio Ambiente e parceiros na Semana do Clima da América Latina e Caribe, em Salvador (BA). Na ocasião, autoridades governamentais e representantes dos setores privado, financeiro e da sociedade civil da região apresentaram as principais iniciativas e lições aprendidas para acelerar a implementação de uma mobilidade urbana sustentável.

O painel foi dividido em três sessões temáticas. A representante da ONU Meio Ambiente no Brasil, Denise Hamú, moderou a primeira sessão da tarde, que contou com a presença de autoridades como o Ministro dos Transportes e Obras Públicas do Uruguai, Victor Rossi, o Secretário de Relações Internacionais do Brasil, Roberto Castelo Branco, o Secretário de Governo do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Argentina, Sérgio Bergman, a Ministra do Meio Ambiente do Chile, Carolina Schmidt, e o Ministro da Jamaica, Christopher Tufton.

Os participantes compartilharam os passos para liderar o caminho para cidades sustentáveis por meio da mobilidade urbana e o debate destacou a contribuição dos transportes e o avanço das tecnologias para auxiliar na redução das emissões de carbono e no combate às alterações climáticas para as próximas gerações.

No segundo bloco, a ênfase foi colocada na forma como o setor privado, por meio da aplicação de novas tecnologias de emissão zero — como os veículos de propulsão elétrica — apoia a implementação de modelos de desenvolvimento orientados para o trânsito e ajuda a acelerar a mobilidade urbana sustentável, socialmente inclusiva e resiliente ao clima. A sessão também facilitou intercâmbios sobre como os marcos legais e regulatórios estão transformando o investimento privado, em consonância com os movimentos sustentáveis das cidades.

Para finalizar, o debate abordou a necessidade de gerar mecanismos financeiros e modelos de negócios concretos para expandir o investimento em mobilidade urbana sustentável. A discussão também envolveu maneiras de os governos nacionais atuarem junto aos investidores privados para transformar a mobilidade urbana, como por exemplo, por meio da inserção de transporte público elétrico.

A expansão urbana, a falta de planejamento e de capacidade, bem como a falta de parcerias fortes e de mecanismos financeiros eficientes, são as principais barreiras que devem ser enfrentadas pelas cidades latino-americanas para concretizar a transição para o transporte sustentável com baixas emissões de carbono.

De acordo com o Relatório Regional sobre Mobilidade Elétrica de 2018, da ONU Meio Ambiente, a frota de veículos na América Latina e Caribe pode triplicar nos próximos 25 anos.

O setor dos transportes é o principal consumidor de combustíveis fósseis na região e a principal fonte de poluição atmosférica. A transição para a mobilidade elétrica pode ajudar os países a modernizar seus sistemas de transporte coletivo e, ao mesmo tempo, reduzir as emissões de gases do efeito estufa, em sintonia com os compromissos assumidos no Acordo de Paris.

O evento foi organizado pela ONU Meio Ambiente (PNUMA), Agência de Cooperação Alemã Internacional (GIZ), Plataforma de Estratégias de Desenvolvimento Resiliente e Baixas Emissões (LEDS LAC), Grupo C40 de Grandes Cidades para a Liderança Climática (C40) e Parceria para Transporte Sustentável com Baixa Emissão de Carbono (SLoCaT), com o apoio do programa EUROCLIMA+ da União Europeia.

Fonte: Nações Unidas

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Acrocomia aculeata (2) Alimentos (186) animal nutition (1) Aspectos Gerais (163) Aviação (21) Aviation market (11) Biocombustíveis (153) Biodiesel (52) Bioeconomia (14) Bioeletricidade (2) Biofertilizantes (1) Biofuels (68) Biomass (7) Biomassa (47) Biopolímeros (3) Bioquerosene (18) Biotechnology (20) Biotecnologia (2) Brazil (17) Cerrado (1) Ciência e Tecnologia (156) Clima e ambiente (155) climate changed (6) Cogeração de energia (9) COP24 (73) COP25 (8) Cosméticos (18) Crédito de Carbono (25) Cultivo (96) eco-friendly (2) Economia Internacional (59) Economia Verde (143) Economy (25) Ecosystem (1) Efeito estufa (3) Energia (24) Energia Renovável (127) event (4) Eventos (63) Extrativismo (19) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (53) Food (38) food security (1) Fuels (15) Global warming (75) Green Economy (94) health (19) Industry 4.0 (1) IPCC (13) livestock (4) Low-Carbon (39) Lubrificantes e Óleos (8) Macaúba (449) Manejo e Conservação (28) Meio Ambiente (66) Melhoramento e Diversidade Genética (52) Mercado (3796) Mercado florestal (40) Nutrição animal (14) nutrition (9) Oil (38) Óleos (200) other (1) Paris Agreement (45) Pecuária (50) Pegada de Carbono (37) pirólise (1) Plant Based (5) Política (40) Produtos (118) proteína vegetal (13) Recuperação de área Degradada (20) renewable energy (5) Research and Development (7) SAF (1) Saúde e Bem-Estar (54) science and technology (21) Segurança Alimentar (31) Soil (7) Solos (8) Sustainability (26) Sustainable Energy (51) Sustentabilidade (252) Vídeo (193) World Economy (55)

Total de visualizações de página