Buscar

Empaer inicia novas pesquisas do Projeto Integração Lavoura, Pecuária e Floresta

segunda-feira, julho 29, 2019

Foto: Ascom
Foto: Ascom

Pesquisadores goianos mapeiam áreas de pastagem no Brasil por meio de imagens de satélite com aplicação de algoritmo de inteligência artificial

Depois de consolidadas as pesquisas sobre o Projeto Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF), os estudos partem para nova fase, que consiste em observar o comportamento dos animais e o ganho de peso dos mesmos.

As ações são realizadas há três anos, na Estação Experimental de Alagoinha, através da parceria entre Governo do Estado, por meio da Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), a Embrapa Solos/Algodão e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) – Campus Areia.

O gerente da Estação Experimental de Alagoinha, Rubens Fernandes da Costa, concorda que o acompanhamento e a avaliação dos animais são um passo importante para consolidar o uso dessa tecnologia em uma área de fazenda.

O presidente da Empaer e da Asbraer, Nivaldo Magalhães destacou o esforço e a dedicação do corpo de pesquisadores que acompanham este projeto, na parceria com a Embrapa, que contribuirá com o fortalecimento da pecuária paraibana também praticada pela agricultura familiar.

Em dezembro do ano passado, foi iniciada nova etapa do projeto, com a introdução de bovinos das raças Sindi e Guzerá, em fase de recria, ou seja, com idade entre 8-12 meses, no caso dos machos; e de 8-14 meses, no caso de fêmeas.

O pesquisador Rubens Fernandes informa que foi plantado capim Brachiaria Decumbens, variedade de capim de pastejo adaptado à região. Os animais também estão sendo suplementados com uma mistura múltipla enriquecida com uréia pecuária.

Os animais serão avaliados quanto ao seu ganho de peso (através de pesagens a cada 21 dias), qualidade de carcaça, através de ultrassom, bem como de sua evolução reprodutiva.

O sistema ILPF apresenta resultados que vão melhorar significativamente a atividade e vida dos agricultores familiares. O projeto consiste na conservação de solo, recuperação das pastagens, visando à convivência no Semiárido, garantindo assim melhorar a alternativa de renda.

A proposta é o desenvolvimento de ações estratégicas que contribuam para disseminação de conhecimentos e promovam a adoção de tecnologias relacionadas à intensificação sustentável de sistemas de integração de produção animal e vegetal.

Inicialmente, foram implantadas duas Unidades Técnicas de Referências com 1,6 hectare cada, contemplando a combinação de componentes de integração entre lavoura, pecuária e floresta.

O modelo proposto terá as seguintes lavouras: milho e feijão macassar, espécies florestais como sabiá, eucalipto e Gliricídia e a Brachiaria destinada à pecuária. Os trabalhos de pesquisa são acompanhados pelo diretor de Pesquisa Agropecuária Manuel Antônio de Almeida (Manuel Duré).

Fonte: Paraíba Online

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página