Buscar

Etanol e diesel ganham força, e consumo de combustível cresce 4%

segunda-feira, março 11, 2019


Depois de se manter praticamente estável em 2018, o consumo de combustíveis começou o ano em alta. Segundo dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), as vendas cresceram 3,8% em janeiro, ante igual mês do ano passado, para 11,215 bilhões de litros.

Tradicionalmente vinculada ao desempenho da economia, sobretudo ao agronegócio e indústria, a comercialização de diesel cresceu 6,1% no primeiro mês do ano, para 4,4 bilhões de litros. Em 2018, as vendas do combustível aumentaram 1,4%. Já o consumo de gasolina manteve a trajetória de baixa iniciada em 2018, em meio à perda de competitividade para o etanol. Depois de fechar o ano passado com uma queda de 13,1%, a comercialização da gasolina caiu 7,9% em janeiro, para 3,1 bilhões de litros.

As vendas de etanol hidratado, por sua vez, avançaram 34,4%, para 1,85 bilhão de litros, depois de crescerem 42,1% em 2018. Esse aumento sustentou o crescimento do mercado do Ciclo Otto (veículos leves cujos motores operam com etanol e/ou gasolina). Tradicionalmente vinculado ao consumo das famílias, esse segmento subiu 1,5%, após cair 3% em 2018, em gasolina equivalente – medida que considera a equivalência energética do etanol frente a gasolina.

O gás liquefeito de petróleo (GLP), outro mercado geralmente vinculado ao consumo das famílias, recuou 1,6% em janeiro, seguindo a trajetória de queda de 2018, quando as vendas do derivado caíram 1%. O consumo de óleo combustível, associado principalmente ao despacho das termelétricas, por sua vez, caiu 26,3% no primeiro mês do ano.

Já entre os destaques positivos, as vendas de querosene de aviação (QAV) cresceram 3,8%, num sinal de que o mercado doméstico de aviação mantém o movimento de reaquecimento registrado no ano passado. Em 2018, o consumo do derivado avançou 7,6%.

Na última quinta (07), a ANP informou também que a produção nacional de petróleo caiu 2,2 % em janeiro, ante dezembro do ano passado. A agência atribuiu a queda às paradas para manutenção nas plataformas P-74 e Cidade de São Paulo, que estão no pré-sal da Bacia de Santos. Já a produção de gás natural caiu 0,4%, na comparação com dezembro.

Fonte: O Petróleo

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Acrocomia aculeata (2) Alimentos (186) animal nutition (1) Aspectos Gerais (164) Aviação (22) Aviation market (11) Biocombustíveis (154) Biodiesel (52) Bioeconomia (14) Bioeletricidade (2) Biofertilizantes (1) Biofuels (68) Biomass (7) Biomassa (47) Biopolímeros (3) Bioquerosene (18) Biotechnology (20) Biotecnologia (2) Brazil (17) Cerrado (1) Ciência e Tecnologia (157) Clima e ambiente (157) climate changed (6) Cogeração de energia (9) COP24 (73) COP25 (8) Cosméticos (18) Crédito de Carbono (25) Cultivo (96) eco-friendly (2) Economia Internacional (59) Economia Verde (145) Economy (25) Ecosystem (1) Efeito estufa (3) Energia (24) Energia Renovável (128) event (4) Eventos (63) Extrativismo (19) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (55) Food (38) food security (1) Fuels (16) Global warming (75) Green Economy (95) health (19) Industry 4.0 (1) IPCC (13) livestock (4) Low-Carbon (39) Lubrificantes e Óleos (8) Macaúba (451) Manejo e Conservação (29) Meio Ambiente (67) Melhoramento e Diversidade Genética (52) Mercado (3797) Mercado florestal (40) Nutrição animal (14) nutrition (9) Oil (38) Óleos (200) other (1) Paris Agreement (45) Pecuária (50) Pegada de Carbono (37) pirólise (1) Plant Based (5) Política (41) Produtos (118) proteína vegetal (13) Recuperação de área Degradada (21) renewable energy (5) Research and Development (7) SAF (1) Saúde e Bem-Estar (54) science and technology (21) Segurança Alimentar (31) Soil (7) Solos (8) Sustainability (26) Sustainable Energy (51) Sustentabilidade (255) Vídeo (193) World Economy (56)

Total de visualizações de página