Buscar

Classe rural será a mais afetada pelo Decreto 9.642 que reduz os subsídios da CDE

terça-feira, janeiro 29, 2019

Resultado de imagem para energia rural
Imagem Ilustrativa

Decreto prevê que no prazo de cinco anos todos os benefícios relativos a setor energético deixarão de existir


No dia 28 de dezembro de 2018 um dos últimos atos do ex-presidente Michel Temer foi assinar o Decreto 9.642 que reduz os subsídios da CDE (Conta de Desenvolvimento Energético). O governo alegou que os subsídios estão embutidos na tarifa e não tem porque o consumidor de energia elétrica subsidiar atividades que não lhe tragam nenhum benefício. Dos atingidos pela retirada dos descontos nos próximos 5 anos, a classe rural é a que mais sentirá o impacto, pois o subsídio estava entre 10% e 30%. O decreto atinge todo o território nacional, milhões de agricultores, grandes, médios e pequenos deixarão de receber esse benefício e terão de pagar mais pela energia consumida. 

O decreto prevê que no prazo de cinco anos todos os benefícios relativos a setor energético deixarão de existir. Neste período de tempo os benefícios serão reduzidos à razão de 20% ao ano, até sua extinção, começando em janeiro de 2019. 

A medida adotada pelo governo prevê ainda a eliminação de descontos tarifários acumulados concedidos a irrigação e aquicultura, que permitia que um mesmo consumidor tivesse acesso aos dois subsídios ao mesmo tempo. Desta forma, a atividade de irrigação no horário entre 21h30 e 06h00 da manhã passa a ter desconto sobre a tarifa B1 que é a mesma tarifa usada para calcular o desconto para os consumidores rurais.   

O gestor administrativo especialista em finanças e produtor rural, Frederico Victor Franco, acrescenta que, apesar da importância em termos de produção, consumo interno e exportação, os produtores enfrentam dificuldades para manter a competitividade e custo.

Além das constantes oscilações de preços dos produtos, lei da oferta e da procura, fatores ambientais, como estiagens, secas, geadas e temporais, o produtor agora vai ter pela frente o Decreto 9.642 que reduz os subsídios da CDE, afetando principalmente o Cultivo de grãos e hortifrutigranjeiros. 

Diante do Decreto, a alta vai ser repassada por toda a cadeia produtiva que tende absorver esse custo, afetando diretamente o ultimo participante da cadeia e o principal, que é o Consumidor Final. Assim sendo, como as pessoas escolhem os produtos por prioridades, principalmente em tempos de crise financeira e baixa renda, a relação entre oferta e procura pode fazer com que os produtos mais caros percam espaço para os consumidores, deixando o Produtor Rural no alto risco de baixos ganhos ou prejuízos na produção.

Algumas mudanças drásticas, com intuito de amenizar o aumento de energia e diminuir custos seriam:

•    Atualize os sistemas de iluminação, com lâmpadas de menor consumo e extinção de pontos de iluminação na propriedade;

•    Faça uma auditoria de energia da fazenda. Examine como os equipamentos elétricos são usados, e verifique a forma mais efetiva de uso dos mesmos. Observe e verifique vários meses das contas de energia, e então de acordo com sua propriedade estude a melhor maneira de gerenciar o consumo para que não afete tanto a produção e baixe os custos;

•    Considere a possibilidade de explorar recursos externos, como a energia solar. Recentemente a Alsol Energias Renováveis assinou um contrato com a BYD, grande fabricante chinesa de baterias de lítio, produzindo o sistema que irá armazenar a energia solar e depois despachá-la para algumas empresas em horários em que não há incidência de raios solares. Sistema exemplar e que mesmo com o alto investimento, vai trazer o retorno ao produtor em alguns anos e diminuir os gastos com energia elétrica nas propriedades rurais.

Fonte: Agrolink

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Acrocomia aculeata (20) Alimentos (227) animal nutition (1) Aspectos Gerais (177) Aviação (27) Aviation market (13) Biocombustíveis (177) Biodiesel (76) Bioeconomia (15) Bioeletricidade (2) Biofertilizantes (1) Biofuels (88) Biomass (7) Biomassa (54) Biopolímeros (3) Bioquerosene (18) Biotechnology (21) Biotecnologia (2) Brazil (20) Cerrado (3) Ciência e Tecnologia (182) Clima e ambiente (190) climate changed (28) Cogeração de energia (9) COP24 (76) COP25 (16) Cosméticos (20) Crédito de Carbono (30) Cultivo (96) eco-friendly (2) Economia Internacional (62) Economia Verde (159) Economy (25) Ecosystem (1) Efeito estufa (7) Energia (28) Energia Renovável (158) event (6) Eventos (79) Extrativismo (20) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (64) Food (41) food security (1) forest (1) Fuels (16) Global warming (79) Green Economy (123) health (22) Industry 4.0 (1) IPCC (14) livestock (4) Low-Carbon (40) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (515) Manejo e Conservação (44) Meio Ambiente (90) Melhoramento e Diversidade Genética (52) Mercado (3846) Mercado florestal (46) Nutrição animal (15) nutrition (9) Oil (44) Oleochemicals (1) Óleos (213) other (1) Paris Agreement (64) Pecuária (62) Pegada de Carbono (42) pirólise (1) Plant Based (7) Política (55) Produtos (149) proteína vegetal (25) Recuperação de área Degradada (25) renewable energy (10) Research and Development (7) SAF (1) Saúde e Bem-Estar (80) science and technology (26) Segurança Alimentar (37) Soil (7) Solos (8) Sustainability (39) Sustainable Energy (53) Sustentabilidade (305) Vídeo (193) World Economy (68)

Total de visualizações de página