Buscar

Sete dicas para gestão de água produtiva na sua lavoura

quinta-feira, outubro 11, 2018


Resultado de imagem para agua na lavoura

Um estudo realizado por técnicos da Netafim/Amanco em áreas de diversas culturas, apontou redução de até 50% no consumo da água

Produtor, você já parou para pensar quanto de água é utilizado para produzir uma tonelada de qualquer alimento? Saiba que hoje, já é possível otimizar recursos hídricos e aumentar sua produtividade da água. Um estudo realizado por técnicos da Netafim/Amanco em áreas de diversas culturas, apontou redução de até 50% no consumo da água, aliado a um aumento de produtividade de 100% em alguns casos, quando aplicado o sistema de gotejamento.
Dessa forma, o engenheiro agrônomo e gerente agronômico, Cristiano Jannuzzi, orienta agricultores para esse desafio de ter um manejo de água adequado na sua lavoura para maior produtividade e sustentabilidade no campo:
1 – Ter o conhecimento do histórico do balanço hídrico (volume de chuvas e evapotranspiração) de sua região. 
2 – Saber o tipo de solo da sua propriedade e a capacidade de retenção de água, por meio de métodos de campo ou de laboratórios.
3 – Entender as necessidades hídricas da cultura que será implantada (coeficiente de cultivo).
4 – Solicitar a orientação de um engenheiro agrônomo que, baseado nos itens 1, 2 e 3, irá elaborar um agroprojeto, atendendo a parte hidráulica e as necessidades do cultivo. 
5 – Escolher de um sistema de irrigação eficiente, que proporcione ganhos de produtividade e o uso sustentável do recurso hídrico.
6 – Promover o manejo correto da irrigação com auxílio de estações meteorológicas e monitoramento de solo e planta.
7 – Realizar a prática de nutrirrigação, que é a aplicação proporcional de solução nutritiva de acordo com as fases fenológicas da cultura.
Cases
Alguns produtores já aderiram ao sistema de irrigação inteligente e produziram mais utilizando menos recursos. Na Fazenda Regina, em Salto Grande (SP), os 39 hectares de milho com irrigação por gotejamento produziram 220 sc/ha, consumindo em média 3,06 mm de água para cada saca entregue. Na área de testemunha a produtividade alcançada foi de 110 sc/ha, com consumo de 6,3 mm por saca, ou seja, mais água e menos produtividade. Dessa forma, houve um aumento de 100% de produtividade no sistema de gotejo em comparação ao tradicional.
Já na Fazenda Kitanda, em Guaratinga (BA), os 150 hectares de café conilon com irrigação por gotejamento produziu 127 sc/ha, com consumo médio de 13 mm de água para cada saca. Por outro lado, na testemunha, a produtividade foi de 40 sc/ha com consumo de água de 33mm. Neste caso, o incremento de produtividade foi de 317% com sistema de irrigação inteligente, com consumo menor de água.
Nova tecnologia
Diante desse cenário e sempre pensando em trazer conveniência e inovação ao produtor, a Netafim/Amanco disponibiliza a ferramenta que coleta e interpreta os dados, oferecendo recomendações que contribuirão na tomada de decisão dos produtores e, consequentemente, em safras mais produtivas: o Netbeat, o primeiro sistema de irrigação com cérebro. A tecnologia é uma ferramenta de alta precisão que unifica todas as funções necessárias para a automação e otimização da lavoura em um único dispositivo. Com apenas um clique é possível acompanhar desde o planejamento de irrigação e nutrirrigação, até o rastreamento do crescimento das plantas e condições de solo, em tempo real. Conheça aqui.
Fonte: Netafim/Amanco

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Total de visualizações de página