Buscar

Uso da secagem e ozonização na conservação pós-colheita de frutos de macaúba

segunda-feira, janeiro 15, 2018

Autor: Gutierres Nelson Silva


Resumo

A cadeia produtiva da macaúba (Acrocomia aculeata) está passando do extrativismo para cultivos agronômicos em grande escala. Para viabilizar tal expansão é preciso a adoção de estratégias a fim de viabilizar o armazenamento e o processamento ao longo de todo o ano. Duas estratégias promissoras para conservação da qualidade de frutos são: secagem e ozonização. Objetivou-se, assim, com este estudo, investigar o efeito da secagem, ozonização e combinação dessas duas tecnologias na conservação do óleo do mesocarpo de frutos de macaúba visando à produção de biodiesel. O estudo foi dividido em quatro etapas. Na primeira etapa, analisou-se à cinética de secagem e modelagem de frutos de macaúba em diferentes temperaturas (40 °C, 50 °C e 60 °C) com a presença ou não do epicarpo. Foram utilizados quatro tratamentos: (1) secagem de frutos com epicarpo imediatamente após a colheita (CE- AC), (2) secagem de frutos sem epicarpo imediatamente após a colheita (SE-AC), (3) secagem de frutos com epicarpo 20 dias após a colheita (CE-20AC) e (4) secagem de frutos sem epicarpo 20 dias após a colheita (SE-20AC). A técnica de secagem com a retirada do epicarpo dos frutos acelera o processo de secagem. Indicou-se os modelos Aproximação de Difusão e Logaritmo como os mais adequados para descrever o fenômeno de secagem de frutos de macaúba. Na segunda etapa, frutos de macaúba com e sem epicarpo foram secos na temperatura de 60 °C. A remoção do epicarpo dos frutos reduziu consideravelmente o tempo de secagem em comparação com os frutos não descascado.
Florescimento da Macaúba
A secagem impediu a deterioração dos frutos mesmo após 180 dias de armazenamento, independentemente da presença do epicarpo. O processo de secagem permitiu o armazenamento eficiente da macaúba em baixos níveis de acidez. Além disso, frutos secos sem epicarpo apresentou maiores valores médios de estabilidade oxidativa ao longo do armazenamento. Na terceira etapa, avaliou-se a influência do gás ozônio em alta concentração sobre frutos de macaúba (com e sem epicarpo) e seu efeito na qualidade do óleo ao longo do armazenamento. O ozônio foi aplicado na concentração de 18,0 mg L -1 e fluxo de 1,5 L min -1 , durante 10h. O processo de ozonização dos frutos sem epicarpo reduziu o ataque microbiano. Além disto, em geral, a ozonização dos frutos sem epicarpo manteve por mais tempo a qualidade físico-química do óleo para fins de produção de biodiesel. Já na quarta etapa, analisou-se o efeito do uso combinado da secagem e ozonização na qualidade do óleo de frutos de macaúba. Utilizou-se a temperatura de 60 °C no processo de secagem. Após a secagem, os frutos foram submetidos a ozonização (concentração de 2 mg L -1 , durante 120 mim) em uma única aplicação ou aplicações parceladas. O uso combinado de secagem e ozonização é eficiente para manter a qualidade do óleo do mesocarpo de frutos de macaúba por até 45 dias de armazenamento, para fins de produção de biodiesel. Conclui-se que a técnica de secagem e ozonização pode tornar-se uma alternativa na pós-colheita de frutos de macaúba e, consequentemente, preservação por maior período do óleo para fins de produção de biodiesel.



Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Total de visualizações de página