Buscar

Pesquisadores indicam que PIB do agronegócio deve permanecer estável

quinta-feira, agosto 24, 2017

 Resultado de imagem para Pesquisadores indicam que PIB do agronegócio deve permanecer estável
Levantamento feito pelo Cepea aponta ligeira elevação de 0,1% neste ano. Os valores médios dos produtos do agronegócio cresceram 3,7% menos que os preços médios da economia, na comparação entre o primeiro quadrimestre de 2017 e o mesmo período do ano passado. A análise conta no levantamento feito pelo Centro de Estudos Avançados em Economia …
Levantamento feito pelo Cepea aponta ligeira elevação de 0,1% neste ano.
Os valores médios dos produtos do agronegócio cresceram 3,7% menos que os preços médios da economia, na comparação entre o primeiro quadrimestre de 2017 e o mesmo período do ano passado. A análise conta no levantamento feito pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea, Piracicaba/SP) da Esalq/USP, em parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA, Brasília/DF).
Os pesquisadores apontam que a amarga combinação de safras recordes com a queda no consumo interno fez com que o preço médio dos produtos do agronegócio crescesse menos que o preço médio da economia: o resultado será um PIB/Renda Agrícola estável em 2017, com ligeira elevação de 0,1%.
Ainda pode haver uma revisão desta estimativa para baixo por conta do comportamento do preço de algumas culturas, “mas, por outro lado, a agroindústria, que vinha apresentado retração, tem dado sinais de recuperação”, avalia o pesquisador do Cepea, Leandro Gilio, referindo-se ao relatório da USSA que acabou derrubando os preços da soja no mercado internacional. Por outro lado, as estimativas para o PIB/volume do setor se mantêm positivas, indicando elevação de 3,9% para o ano.
Quando avaliado por ramos, o agrícola segue em destaque, com taxa anual estimada para o PIB/Renda de 1.4%. No ramo pecuário espera-se redução anual de 2,7% no PIB/Renda. O quadro abaixo traz um resumo dos resultados, relacionando o PIB do agronegócio às taxas anuais de crescimento no período 2017/2016 (dados até abril).


Segmentos PIB-volume Preços Relativos* PIB-renda

RAMO AGRÍCOLA Insumos 2,4% -4,9% -2,6%
Primário 20,4% -1,8% 18,2%
Indústria -1,5% -6,7% -8,1%
Agrosserviços 4,3% -5,2% -1,1%
Ramo agrícola total 6,4% -4,7% 1,4%

RAMO PECUÁRIO Insumos 3,1% 3,0% 6,1%
Primário -1,5% 0,3% -1,2%
Indústria -2,4% -2,9% -5,2%
Agrosserviços -1,8% -1,8% -3,6%
Ramo pecuário total -1,6% -1,1% -2,7%
Gilio ainda explica que, tanto no ramo agrícola quanto no pecuário, o setor primário é o que vem apresentando o melhor desempenho, enquanto a indústria tem puxado o resultado para baixo. Esse comportamento não deve se alterar pelos próximos meses do ano.  “O setor primário sente menos os efeitos do mercado interno, pois tem forte impacto do desempenho das exportações”, complementa o pesquisador.
Fonte: SNA

Curta nossa página no facebook!

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário!

Categorias

Total de visualizações de página