Buscar

Live com especialista revela caminhos para desenvolvimento sustentável na Amazônia

sábado, maio 22, 2021



Para celebrar o Dia Internacional da Biodiversidade, comemorado neste sábado (22), e debater a riqueza da Floresta Amazônica e os desafios para conter o desmatamento e desenvolver a região de maneira sustentável, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) promoveu a live “Bioeconomia como eixo estruturante do desenvolvimento sustentável na Amazônia” nesta sexta-feira (21). O evento foi patrocinado pela Secretaria de Modernização, Gestão Estratégica e Socioambiental (SMG) da Corte Eleitoral e mediado pelo titular da pasta, Bruno Andrade.

A live contou com a palestra do pesquisador Matheus Kelson, da Universidade de Freiburg, na Alemanha, que destacou o valor da bioeconomia e as dificuldades de se produzir mudanças na trajetória socioprodutiva da região amazônica.

Matheus ressaltou também a importância de criar uma estratégia multissetorial entre o Estado brasileiro e instituições da sociedade para formar conglomerados de pesquisa, desenvolvimento e operacionalização da bioeconomia baseada na biodiversidade da região.

O pesquisador é graduado em relações internacionais pelo Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB), com especialização em Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Questões Globais. É mestre em Governança Ambiental  pela Universidade de Freiburg (2019). Sua trajetória profissional é ligada à sustentabilidade, com foco em política climática, sustentabilidade urbana e governança ambiental.

Biodiversidade

Os números expressivos ligados à Floresta Amazônica dificilmente podem ser usados para outras regiões do planeta e justificam a preocupação mundial em preservá-la. Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, a Amazônia contém a maior biodiversidade do planeta, cerca de 15%.

Vivem na floresta 60 mil espécies de plantas, mamíferos, répteis, invertebrados, anfíbios, peixes e pássaros. Cerca de 8% do ambiente amazônico tem uma composição de espécies praticamente única. A região dispõe de mais de 600 tipos diferentes de habitats terrestres de água doce. Entre 1999 e 2009, mais de 1.200 espécies foram descobertas na Amazônia, o que mostra que a floresta ainda tem muito a revelar.

Na abertura do evento, Matheus salientou que o Brasil encara toda essa riqueza ambiental e o fato de a Floresta Amazônica fazer parte do país de uma maneira errada. “A conservação da Amazônia no Brasil sempre foi vista como um custo, como se fosse um fardo que o país tivesse de carregar. Essa visão compromete a integridade do patrimônio ecológico do Brasil e desperdiça um potencial de desenvolvimento para o país”, disse.

Impactos e caminhos

Sobre os impactos econômicos, sociais e ambientais com o desmatamento, causado principalmente pela pecuária, Matheus assinalou que os efeitos para o clima global e brasileiro são muito severos, com risco de savanização da Amazônia e de desertificação na região Sudeste, a mais populosa do país. Ele disse, ainda, que tais impactos podem afetar a agricultura da região Centro-Oeste, com possíveis consequências para o planejamento hídrico do país.

“A questão principal é pensar em um modelo de desenvolvimento de ocupação da Floresta Amazônica mais sustentável, mantendo ela em pé, tendo em mente tudo o que está ali presente. Um modelo que esteja baseado na biodiversidade da região e que viabilize o desenvolvimento socioeconômico local”, explicou Matheus Kelson.

Ele enfatizou que a ideia de economia circular, na qual se baseia a bioeconomia, é conectar diferentes indústrias e atividades nas quais o resíduo de um processo produtivo possa servir de insumo para outro processo produtivo, deixando menos rejeitos. “Se conseguirmos ampliar nosso olhar e seguir por um novo caminho, depois dessa transição, certamente iremos vislumbrar que tem algo muito melhor nos esperando à frente para a região”, disse ele.

Antes de apresentar o tema bioeconomia, Matheus explicou o termo, que é relativamente novo: conjunto de atividades econômicas nas quais a biotecnologia contribui de forma central para a produção primária e da indústria e, especialmente, quando ciências biológicas avançadas são aplicadas na conversão de biomassa em materiais químicos e combustíveis.

Fonte: TSE

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) acordo (1) Acordo Internacional (37) Acrocomia aculeata (77) Agricultura (297) Agricultura 4.0 (8) agriculture (1) Agroenergia (130) Agroindústria (32) Agronegócio (252) Agropecuária (58) Água (22) Àgua (1) Alimentação Saudável (22) Alimentos (367) Amazônia (77) Ambiente (1) animal nutition (1) ANP (93) Arte (1) Artigo (47) Aspectos Gerais (177) Aviação (35) Aviation fuel (8) Aviation market (24) B12 (3) B13 (2) Bebidas (2) Bioativo (3) Biochemistry (5) Biocombustíveis (451) Biodefensivos (10) Biodiesel (346) Biodiesel Empresas (1) Biodiversidade (15) Bioeconomia (126) Bioeconomia Agronegócio (1) Bioeletricidade (26) Bioenergia (211) Biofertilizantes (12) Biofuels (104) Bioinsumos (19) Biomas (3) Biomass (7) Biomassa (90) Biomateriais (6) bioplásticos (3) Biopolímeros (16) Bioproducts (3) Bioprodutos (26) Bioquerosene (48) Biorrefinaria (3) Biorrenováveis (1) Biotechnology (35) Biotecnologia (86) BNDES (2) Bolsa de Valores (35) Brasil (100) Brazil (29) Cadeia Produtiva (17) Capacitação (31) CAR (4) Carbonatação (1) Carbono (7) Carbono Neutro (9) Carbono Zero (20) Carvão Ativado (10) carvão vegetal (6) CBios (68) CCEE (1) cellulose (1) Celulose (16) Cerrado (25) Chuvas (10) Cidades (1) Ciência e Tecnologia (415) Clima e ambiente (288) Clima e ambiente Preços (2) climate changed (66) CNA (1) Cogeração de energia (30) Combustíveis (105) Combustíveis Fósseis (40) Combustíveis verde (1) Comércio (47) Consciência Ecológica (26) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (14) Copolímeros (2) Cosméticos (40) Crédito de Carbono (48) Crédito Rural (20) Créditos de Descarbonização (25) Culinária (1) Cultivo (122) Culturas Perenes. Agricultura (2) Curso (14) Dados (1) Davos (4) Dendê (5) Desafios (3) Descarbonização (5) Desenvolvimento Sustentável (206) Desmatamento (12) Diesel (21) Diesel Verde (22) eco-friendly (5) Economia (100) Economia Circular (14) Economia Internacional (125) Economia Sustentável (5) Economia Verde (175) Economy (32) Ecosystem (6) Educação (1) Efeito estufa (19) Eficiência energética (55) Embrapa (13) Emissões de Carbono (62) Empreendedorismo (8) Empresas (170) Energia (105) energia limpa (17) Energia Renovável (257) Energia Solar Fotovoltaica (23) ESG (26) Estudo (2) Etanol (84) Europa (2) event (11) Eventos (176) Exportações (94) Extrativismo (63) FAO (7) Farelos (46) farm (1) Fertilidade (3) Fibras (9) Finanças (5) Financiamento (2) Floresta (30) Floresta plantada (119) Fomento (42) Food (42) food security (9) forest (1) Fruticultura (15) Fuels (27) Gamificação (1) Gás (3) Gás natural (1) Gasolina (3) Gastronomia (1) GEE (8) Glicerina (2) Global warming (115) Green Economy (127) health (23) Hidrogênio Verde (6) História (1) IBP (1) ILPF (5) Incentivos (4) India (1) indústria (1) Industry (1) Industry 4.0 (2) Ìnovaç (1) Inovação (202) Instituição (1) Insumos (7) Investimento (8) Investimentos (1) IPCC (15) IPFL (1) L72 (4) L73 (7) Legislação (14) Lignina (8) livestock (4) Low-Carbon (56) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (599) Madeira (23) Mamona (1) Manejo (2) Manejo e Conservação (114) MAPA (35) Máquinas e equipamentos (2) Mata Atlântica (5) Matéria Prima (2) Matéria-Prima (4) Matéria-PrimaResíduos (1) matérias-primas (3) MCTI (1) Meio Ambiente (313) Melhoramento e Diversidade Genética (78) Mercado (4127) Mercado de Combustíveis (67) Mercado Financeiro (13) Mercado florestal (75) Mercado Internacional (52) Metas (5) Micotoxinas (1) Milho (24) Minas Gerias (1) MMA (1) MME (50) Mudanças Climáticas (55) mudas (3) Mundo (174) Nações Unidas (4) Negócios (13) nergia limpa (1) net-zero (43) Nutrição animal (18) nutrition (10) Oil (51) Oleaginosas (103) Oleochemicals (11) Óleos (253) Óleos Essenciais (8) Óleos Vegetais (24) OMC (3) ONGs (1) ONU (18) Oportunidade (8) Oportunidades (9) other (1) Palm (2) Palma (32) palmeiras (4) Paris Agreement (94) Pecuária (92) Pegada de Carbono (105) Personal Care (3) Pesquisa (87) Pessoas (2) Petrobras (9) Petróleo (34) PIB (6) pirólise (3) Plano Safra (1) Plant Based (28) Plant-Based (2) Política (87) Política Ambiental (4) Políticas (1) políticas públicas (2) Preços (72) Preservação Ambiental (55) Produção Agrícola (10) Produção Animal (9) Produção Integrada (2) Produção Sustentável (73) Produção vegetal (13) Produtividade (60) Produtos (150) Proteção Ambiental (16) proteína vegetal (28) Qualidade (3) Qualidade do Ar (4) químicos verdes (1) reciclagem (2) Recuperação Ambiental (7) Recuperação de área Degradada (48) Recuperação Econômica (3) Reflorestamento (35) regulamentação (3) Relatório (17) renewable energy (19) RenovaBio (75) Report (2) Research and Development (12) Resíduos (18) Sabão (1) SAF (8) Safra (4) Saúde e Bem-Estar (135) science and technology (48) Sebo (5) Segurança Alimentar (166) Segurança Energética (15) Selo Social (13) sementes (6) silvicultura (3) Sistema Agroflorestal (41) Sistemas Integrados (24) Sociobiodiersidade (8) Soil (9) Soja (94) Solos (57) Sustainability (59) Sustainable Energy (69) Sustentabilidade (673) Tecnologia (63) Tempo (2) Títulos verdes (3) Transportes (5) Turismo Sustentável (7) Unica (1) Vídeo (271) World (5) World Economy (79) Zero-Carbon (2)

Total de visualizações de página