Buscar

Pandemia trouxe novos hábitos alimentares aos brasileiros

quinta-feira, outubro 08, 2020



A nova rotina imposta às famílias pela pandemia da Covid-19 trouxe forte impacto nos hábitos alimentares dos brasileiros. Entre essas mudanças de comportamento estão o aumento significativo de pessoas que passaram a fazer todas as suas refeições em casa e o maior consumo de leite. É o que revela dados da pesquisa Painel Online com Consumidores da Categoria de Leite UHT, desenvolvida pela Behup, empresa especializada em estudos de comportamento humano e consumo, em parceria com a SIG, uma das líderes mundiais em soluções de embalagens assépticas para indústria de alimentos.


O levantamento feito em junho de 2020, por meio de um aplicativo, reuniu informações e percepções de 2.500 consumidores em todas as regiões brasileiras e de todas as classes sociais. A pesquisa revelou que durante a pandemia aumentou em 34,5% a quantidade de pessoas que realizam todas as refeições em casa, e cresceu em 22,2% o número de consumidores que passaram a tomar mais leite neste período. Aliás, a bebida está entre as preferidas pelos brasileiros, sendo a quarta mais consumida, perdendo apenas para o café, os sucos de frutas e o iogurte, que é um dos principais derivados do leite.


“Esse aumento de consumo foi perceptível logo no começo da pandemia o que fez com que aumentássemos o nosso ritmo de produtividade”, afirma André Luiz Rodrigues Junqueira, presidente do Grupo Marajoara Laticínios, empresa goiana com presença de seus produtos nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal.


Ele lembra que também houve um aumento significativo no consumo de derivados de leite como o leite condensado e o creme de leite. “A nossa avaliação é de que com as pessoas permanecendo mais tempo em casa passaram a cozinhar mais, e o leite, além de ser um alimento de fácil consumo, é ingrediente de uma infinidade de receitas da culinária brasileira”, sugere o executivo.


A avaliação do presidente do grupo Marajoara encontra respaldo na pesquisa feita pela Behup em parceria com a SIG. O levantamento demonstrou que cresceu em 24,7% o número de  pessoas que passaram a se aventurar na cozinha com novas receitas; e entre os consumidores que participaram da pesquisa 27,2% disseram que estão fazendo mais receitas que levem leite, percentual que chega a 43% para os consumidores da classe A.


A pesquisa também apontou que 90% da população brasileira consome leite regularmente, sendo que quase 60% (58%) fazem uso do alimento todos os dias, 15% de quatro a seis vezes por semana e 17% afirmaram que consomem leite de duas a três vezes por semana. E 70% das pessoas que consomem leite regularmente afirmaram que o alimento não pode faltar em casa, mesmo com a redução de renda das famílias causada pela pandemia. Entre os que têm o leite como alimento regular na dieta diária, 78% disseram que tomam a bebida misturada com algum outro alimento, destes, 81% consomem o leite com café. 


O levantamento revelou também que os brasileiros têm no leite uma forte confiança como um alimento saudável e de qualidade. Entre os consumidores consultados, 44% afirmaram que têm no alimento uma importante fonte de cálcio, e 40% consideram o leite é como um alimento saudável, sendo que o leite sem aditivos/conservantes é percebido por 35% dos consumidores, como um leite ainda mais saudável.


Recomendado

Essa percepção das pessoas de que o leite é um alimento saudável não é à toa, conforme explica a nutricionista Lys Ane Souza Araújo (CRN/1: 16743). A bebida, que tem o seu consumo recomendado pela grande maioria dos nutricionistas e médicos, é uma rica fonte de proteínas, de vitamina D, potássio, magnésio e zinco. O leite é também uma das maiores e mais baratas fontes de cálcio para o organismo humano. 


“Há muitos estudos científicos que demonstram que o leite é um dos alimentos mais completos que existem. É rico em gorduras boas, é uma fonte de proteína excelente. Tirando as carnes e o ovo, o leite é a terceira principal fonte de proteína do organismo humano”, explica a nutricionista.


Fonte: Portal Agrolink

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) Acordo Internacional (24) Acrocomia aculeata (51) Agricultura (126) Agroenergia (120) Agroindústria (21) Agronegócio (128) Agropecuária (38) Água (4) Àgua (1) Alimentos (306) Amazônia (26) animal nutition (1) ANP (66) Arte (1) Artigo (31) Aspectos Gerais (177) Aviação (31) Aviation market (17) B12 (3) B13 (2) Bebidas (1) Bioativo (1) Biochemistry (5) Biocombustíveis (381) Biodiesel (271) Biodiversidade (3) Bioeconomia (64) Bioeletricidade (25) Bioenergia (168) Biofertilizantes (5) Biofuels (102) Bioinsumos (3) Biomass (7) Biomassa (86) Biomateriais (6) Biopolímeros (8) Bioproducts (2) Bioprodutos (16) Bioquerosene (38) Biorrefinaria (1) Biotechnology (35) Biotecnologia (68) Bolsa de Valores (22) Brasil (14) Brazil (28) Cadeia Produtiva (14) Capacitação (9) Carbonatação (1) Carbono Zero (8) Carvão Ativado (6) CBios (47) CCEE (1) cellulose (1) Celulose (8) Cerrado (13) Ciência e Tecnologia (300) Clima e ambiente (244) climate changed (45) CNA (1) Cogeração de energia (29) Combustíveis (84) Combustíveis Fósseis (28) Comércio (15) Consciência Ecológica (22) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (4) Copolímeros (2) Cosméticos (30) Crédito de Carbono (38) Crédito Rural (2) Créditos de Descarbonização (22) Culinária (1) Cultivo (120) Curso (3) Dados (1) Davos (3) Dendê (1) Desafios (1) Desenvolvimento Sustentável (130) Desmatamento (1) Diesel (13) Diesel Verde (13) eco-friendly (4) Economia (65) Economia Circular (6) Economia Internacional (109) Economia Verde (170) Economy (30) Ecosystem (6) Efeito estufa (15) Eficiência energética (42) Emissões de Carbono (4) Empreendedorismo (4) Empresas (33) Energia (83) Energia Renovável (237) Energia Solar Fotovoltaica (18) Etanol (67) Europa (1) event (11) Eventos (117) Exportações (69) Extrativismo (51) FAO (2) Farelos (45) farm (1) Fibras (9) Finanças (4) Floresta (6) Floresta plantada (100) Fomento (9) Food (42) food security (7) forest (1) Fuels (26) Gás (3) Gasolina (1) Gastronomia (1) GEE (2) Glicerina (2) Global warming (103) Green Economy (126) health (22) IBP (1) Incentivos (4) Industry 4.0 (1) Ìnovaç (1) Inovação (86) Instituição (1) Investimento (2) IPCC (14) L72 (4) L73 (7) Legislação (6) Lignina (7) livestock (4) Low-Carbon (45) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (560) Madeira (11) Mamona (1) Manejo e Conservação (93) MAPA (12) Matéria Prima (1) matérias-primas (1) Meio Ambiente (186) Melhoramento e Diversidade Genética (67) Mercado (4027) Mercado de Combustíveis (57) Mercado Financeiro (9) Mercado florestal (65) Mercado Internacional (38) Metas (2) Milho (13) MME (25) Mudanças Climáticas (19) Mundo (44) Nações Unidas (1) net-zero (9) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (50) Oleaginosas (81) Oleochemicals (8) Óleos (246) Óleos Essenciais (4) Óleos Vegetais (1) ONGs (1) ONU (9) Oportunidade (1) Oportunidades (1) other (1) Palma (18) Paris Agreement (87) Pecuária (78) Pegada de Carbono (81) Personal Care (3) Pesquisa (39) Petrobras (9) Petróleo (25) PIB (2) pirólise (3) Plant Based (18) Política (74) Preços (29) Preservação Ambiental (25) Produção Animal (6) Produção Sustentável (38) Produção vegetal (2) Produtividade (32) Produtos (150) Proteção Ambiental (9) proteína vegetal (28) Qualidade do Ar (2) Recuperação de área Degradada (43) Recuperação Econômica (3) Reflorestamento (1) Relatório (8) renewable energy (19) RenovaBio (50) Research and Development (10) Resíduos (5) SAF (3) Safra (2) Saúde e Bem-Estar (92) science and technology (46) Sebo (5) Segurança Alimentar (90) Segurança Energética (12) Selo Social (5) Sistema Agroflorestal (21) Sistemas Integrados (10) Sociobiodiersidade (1) Soil (9) Soja (57) Solos (27) Sustainability (54) Sustainable Energy (67) Sustentabilidade (512) Tecnologia (26) Transportes (5) Turismo Sustentável (3) Unica (1) Vídeo (234) World (1) World Economy (78) Zero-Carbon (1)

Total de visualizações de página