Buscar

Mercedes-Benz aposta no HVO como solução imediata para a redução de emissões de CO2

terça-feira, outubro 22, 2019

Mercedes-Benz aposta no HVO como solução imediata para a redução de emissões de CO2

Óleo Vegetal Hidrotratado, o HVO se mistura perfeitamente ao diesel sem restrição nenhuma, podendo ser utilizado em qualquer veículo, desde motores Euro 0 até Euro 5 e legislações futuras

Outra grande vantagem desse biocombustível é que não é necessária nenhuma alteração na infraestrutura de logística de distribuição ou na garagem da empresa de transporte

Mercedes-Benz acredita em multisoluções para a redução de emissões no Brasil

Sempre atenta às demandas dos clientes, às tendências de mercado e à realidade da infraestrutura de abastecimento de combustível no País, a Mercedes-Benz aposta no uso do HVO (Hydrotreated Vegetable Oil ou Óleo Vegetal Hidrotratado) como solução imediata para reduzir a emissão de gás carbônico no Brasil.

“Por sua tradição histórica e as grandes reservas existentes, o diesel é o combustível mais usado no Brasil e no mundo. Mas temos que investir em outras alternativas e o biocombustível de 2ª geração, como o HVO, é uma solução muito interessante que pode ser implementada já”, ressalta Camilo Adas, gerente sênior de Desenvolvimento de Produto da Mercedes-Benz do Brasil. “Para que isso aconteça é necessário torná-lo economicamente viável”.

O Brasil é rico na oferta de produtos de origem vegetal e gordura animal, criando possibilidades para a produção de biocombustíveis como o HVO, que se mistura perfeitamente ao diesel sem restrição nenhuma, podendo ser utilizado em qualquer veículo, de motores Euro 0 a Euro 5 e legislações futuras, sem necessidade de modificações no motor e no veículo. “Outra grande vantagem desse biocombustível é que não é necessária nenhuma alteração na infraestrutura de logística de distribuição ou na garagem da empresa de transporte, o que viabiliza ainda mais o uso imediato”, destaca Camilo Adas.

Com domínio de várias tecnologias, marca acredita em multisoluções

A Mercedes-Benz acredita em multisoluções para a redução de emissões no Brasil. O Grupo Daimler detém várias tecnologias alternativas ao uso do diesel fóssil, como o Biodiesel HVO, Híbrido, células de combustível em modo experimental e elétricos, já em operação regular em vários mercados. Com infraestrutura adequada e custos operacionais compatíveis para o mercado brasileiro, essas soluções podem ser trazidas para operação no País por meio da marca Mercedes-Benz.

Em relação à alternativa dos veículos elétricos – tema bastante associado à mobilidade urbana – a Mercedes-Benz do Brasil já participa de algumas iniciativas no País, em parceria com a Eletra. Mas a utilização dessa alternativa ao diesel também terá que passar por infraestrutura adequada, ser economicamente viável para as empresas de transporte e os usuários, além de uma política de planejamento no País, a fim de garantir essa opção muito importante no futuro.

“A renovação de frota também é uma solução de curto prazo que pode trazer impactos muito positivos em termos de redução de emissões”, afirma Camilo Adas. “Se a idade média da frota de caminhões, atualmente por volta de 15 anos, cair para 5 anos, já aí teremos um impacto extremamente positivo na qualidade do ar e na preservação ambiental”, diz ele.

Redução de emissões de CO2 no transporte de cerveja

Uma parceria da Mercedes-Benz com o Grupo HEINEKEN e a Dinon Transportes, em prol da redução de emissões de gás carbônico (CO2) no transporte de cerveja, além da redução de custos operacionais, ganhou o importante reconhecimento do Programa de Logística Verde Brasil (PLVB). Este case está destacado no Guia de Excelência em Sustentabilidade – Boas Práticas para o Transporte de Cargas.

O CO2 é um importante componente dos gases de efeito estufa (GEE). Por isso, o foco dessa parceria foi criar alternativas para reduzir sua emissão, dentro de um processo de logística e distribuição que leva em conta a eficiência do transporte com responsabilidade ambiental, social e econômica. Os desafios da sustentabilidade naturalmente focam também a rentabilidade operacional, garantindo assim o retorno do investimento, o êxito do negócio, a saúde das empresas e a geração de empregos e impostos para o País.

Fonte: SEGS

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Acrocomia aculeata (20) Alimentos (227) animal nutition (1) Aspectos Gerais (177) Aviação (27) Aviation market (13) Biocombustíveis (177) Biodiesel (76) Bioeconomia (15) Bioeletricidade (2) Biofertilizantes (1) Biofuels (88) Biomass (7) Biomassa (54) Biopolímeros (3) Bioquerosene (18) Biotechnology (21) Biotecnologia (2) Brazil (20) Cerrado (3) Ciência e Tecnologia (182) Clima e ambiente (190) climate changed (28) Cogeração de energia (9) COP24 (76) COP25 (16) Cosméticos (20) Crédito de Carbono (30) Cultivo (96) eco-friendly (2) Economia Internacional (62) Economia Verde (159) Economy (25) Ecosystem (1) Efeito estufa (7) Energia (28) Energia Renovável (158) event (6) Eventos (79) Extrativismo (20) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (64) Food (41) food security (1) forest (1) Fuels (16) Global warming (79) Green Economy (123) health (22) Industry 4.0 (1) IPCC (14) livestock (4) Low-Carbon (40) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (515) Manejo e Conservação (44) Meio Ambiente (90) Melhoramento e Diversidade Genética (52) Mercado (3846) Mercado florestal (46) Nutrição animal (15) nutrition (9) Oil (44) Oleochemicals (1) Óleos (213) other (1) Paris Agreement (64) Pecuária (62) Pegada de Carbono (42) pirólise (1) Plant Based (7) Política (55) Produtos (149) proteína vegetal (25) Recuperação de área Degradada (25) renewable energy (10) Research and Development (7) SAF (1) Saúde e Bem-Estar (80) science and technology (26) Segurança Alimentar (37) Soil (7) Solos (8) Sustainability (39) Sustainable Energy (53) Sustentabilidade (305) Vídeo (193) World Economy (68)

Total de visualizações de página