Buscar

Dióxido de Carbono: o que é CO2 ?

quinta-feira, outubro 10, 2019

 -   /

O CO2, também conhecido como gás carbônico, é um composto químico gasoso e um dos gases que pode agravar o efeito estufa.

O gás carbônico é essencial para a vida no planeta. De difícil detecção, por não ter cheiro ou sabor, o carbono é encontrado na atmosfera na forma de dióxido de carbono e é um dos principais responsáveis pela fotossíntese das plantas.

Na natureza, existem alguns organismos que liberam CO2 diretamente para a atmosfera. São exemplos os homens e animais, mas principalmente as plantas e árvores. Essas possuem um papel diferente nesse sistema ambiental e são conhecidas como compensadoras de CO2.

As plantas, em condições de calor e seca, fecham seus poros para impedir a perda de água de sua estrutura e mudam o processo de respiração para o modo noturno, chamado também de fotorrespiração, onde consomem oxigênio e produzem o chamado dióxido de carbono.

O QUE É DIÓXIDO DE CARBONO

O CO2 é um composto químico formado por dois átomos de oxigênio e um de carbono. É um produto derivado da reação de diferentes processos, tais como: a combustão do carvão e dos hidrocarbonetos, a fermentação dos líquidos e a respiração dos seres humanos e dos animais, e sua presença, em alta concentração na atmosfera, pode desequilibrar o chamado efeito estufa.

O CO2 NA ATMOSFERA

A alta concentração de dióxido de carbono na atmosfera é responsável pelo aquecimento global e pode ocasionar altas abruptas de temperatura no planeta.

O aumento do nível de CO2 se deve à conjunção das atividades humanas, desde o início da era industrial. Com o crescimento demográfico, a agricultura cada vez mais intensa, o aumento na utilização das terras, o desmatamento, a industrialização e o aproveitamento dos combustíveis fósseis para objetivos energéticos, ocasionaram um crecimento do acúmulo de gases do efeito estufa na superfície terrestre, e o principal deles é o CO2 .

A produção de dióxido de carbono pode acontecer de maneira natural ou através de produções industriais, sendo que a presença do dióxido de carbono é normal na atmosfera, sendo maléfico o seu excesso.

QUAIS SÃO AS FONTES DE GÁS CARBÔNICO

O CO2 é um gás liquefeito, inodoro, incolor, não inflamável e levemente ácido, mais denso que o ar e solúvel na água. 

Pode ser encontrado no processo de respiração, como os homens e animais e também as plantas e árvores. O CO2 também é gerado industrialmente utilizando fontes abundantes em dióxido por meio de processos da indústria petroquímica ou por meio da queima de gás natural em procedimentos de cogeração. O dióxido de carbono também é muito utilizado em industrias de:

Alimentos: Gaseificação de bebidas, bebidas carbonatadas, embalagens, congelamento e resfriamento;

Rebarbação e moagem;

Neutralização;

Fabricação de metais: soldagem;

Catering;

Medicinal, através de misturas metabólicas;

Plástico expandido

O excesso de CO2 na atmosfera aumenta de modo significativo os gases do efeito estufa, que contornam a Terra e sugam uma parcela da radiação infravermelha que reflete por meio da superfície terrestre, impossibilitando que a radiação fuja para o espaço e aqueça a superfície da Terra. Os principais gases são o carbônico e o metano.

O dióxido de carbono, ou gás carbônico, é emitido, principalmente, pelo uso de combustíveis fósseis (petróleo, carvão e gás natural) nas atividades humanas. Segundo o Painel Intergovernamental de Mudanças do Clima, o CO2 é o principal responsável pelo aquecimento global, sendo o gás de maior emissão pelo homem.

COMO CONTROLAR O CO2

A própria natureza possui ferramentas para controlar o CO2 na atmosfera. Existem processos naturais no solo e reações químicas que ajudam a controlar e remover estes gases da atmosfera. É possível também ações artificiais que são aplicadas de forma indireta, que podem contribuir de maneira significativa, como o caso do sequestro de carbono.

No caso de controle do CO2, o sequestro de carbono é a principal solução, seja ele obtido de maneira natural ou induzida. A natureza realiza o processo através das florestas, oceanos, florestas e outros locais com os organismos que por meio de fotossíntese, capturam o carbono e lançam oxigênio na atmosfera.

As técnicas induzidas pelos homem possuem o mesmo objetivo: capturar de carbono com o intuito de reforçar as formas naturais.

Para alcançar esse objetivo, é possível utilizar o controle de CO2 por ações especificas, como o reflorestamento e o sequestro geológico de carbono, que se traduz por uma ferramenta que visa devolver o carbono para o subsolo, onde esse é comprimido, transportado e posteriormente injetado em um reservatório geológico.

A própria natureza apresenta uma solução para a remoção do gás através da fotossíntese. Mas, com o desmatamento contínuo da vegetação, fica mais difícil ocorrer a purificação do ar pelas vias naturais oferecidas.


A CONCENTRAÇÃO DE DIÓXIDO DE CARBONO

O dióxido de carbono é o gás que mais colabora para que o efeito estufa atinja grandes concentrações na atmosfera. Segundo dados do Painel Intergovernamental de Mudanças do Clima, o CO2 é apontado como principal contribuinte para o aquecimento global. Nessa perspectiva, estão incluídas tanto as ações humanas como naturais. O homem, no entanto, representa 78% da responsabilidade da emissão, o que acelera a exposição da atmosfera aos gases que conduzem ao desequilíbrio do efeito estufa.

Este gás faz parte da composição natural do ecossistema terrestre. Tanto que é produzido naturalmente pela respiração, pela decomposição de plantas e animais e pelas queimadas naturais em florestas. O problema não se encontra em sua produção natural e sim no grande aumento dessa produção de CO2 pelo homem que traz prejuízos irremediáveis ao planeta.

O homem é o único responsável por esse agravamentos da concentração de dióxido de carbono na atmosfera. Suas atividades, como o desmatamento desenfreado e a queima de combustíveis fósseis, são contribuintes para a alta liberação desse gás na atmosfera de maneira prejudicial.

O desmatamento é responsável por provocar um desequilíbrio do dióxido de carbono na atmosfera, pois, fora o fato de de liberar o gás por meio da queima da madeira, diminui a quantidade de árvores encarregadas pela fotossíntese, que consomem o CO2 existente na atmosfera. O sistema ecológico perde o principal agente transformador do gás.

Já a queima de combustíveis fósseis, as substâncias de origem mineral formadas por compostos de carbono, entre eles o carvão mineral, o gás natural e os derivados do petróleo, como a gasolina e o óleo diesel, usados para gerar energia elétrica e movimentar automóveis, são os grandes causadores da emissão superabundante de dióxido de carbono na atmosfera, causando poluição e alteração no equilíbrio térmico de todo o planeta.

O aumento do efeito estufa não atinge apenas a vida terrestre, tendo também um forte impacto na marinha.

Um outro fator agravante é que o CO2 possui uma estimativa de permanência na atmosfera, que pode variar entre 50 a 200 anos, sem que haja a sua descomposição. Esse acúmulo faz com que sua distribuição acelerada no ambiente seja ainda mais prejudicial.

Assim como o gás carbônico, existem outros gases de efeito estufa que também possuem um impacto negativo no planeta.

O desequilíbrio do efeito estufa ocorre com a grande concentração do CO2. Os gases de efeito estufa são gases que absorvem uma parte dos raios do sol e os redistribuem em forma de radiação na atmosfera, aquecendo o planeta.

No aquecimento da Terra, os gases funcionam como um vidro em uma estufa. O sol, sendo a principal fonte de energia da Terra, emite um conjunto de radiações denominado espectro solar. Esse espectro é englobado por radiações de luz e de calor, das quais que sobressaem as infravermelhas, ou seja, as caloríficas.

As radiações luminosas têm um comprimento pequeno de onda, cruzando naturalmente a atmosfera, ao mesmo tempo em que as radiações infravermelhas têm um grande comprimento, com mais complicações para atravessar a atmosfera, sendo absorvidas pelos gases de efeito estufa durante o ato.

O desequilíbrio causa efeitos diretos na temperatura do planeta e afeta todo o ecossistema.

AS FONTES DE ENERGIA RENOVÁVEIS

Existem muitas fontes de energia disponíveis no nosso planeta, sendo que podem ser divididas e classificadas em dois tipos: as fontes de energia renováveis e as não renováveis.

O conceito de fontes de energia renováveis está baseado naquelas atividades que, em que a sua utilização como energia, possui um caráter de uso limpo renovável, podendo manter-se e ser aproveitado ao longo do tempo. As energias renováveis não são passiveis de esgotamento de sua fonte, pois elas sempre se renovam, tendo como principais representantes as a energia eólica (do vento) , a energia solar e a biomassa, que pode ser obtida através de vários recursos naturais.

Ao tratar de fontes de energias não renováveis, devemos entender que essas possuem recursos limitados, que se esgotam, como é o exemplo de combustíveis fósseis como o petróleo. Tais recursos dependem da quantidade em que serão encontrados no ambiente terrestre.

Vários são os tipos de energias renováveis. Com o conceito de desenvolvimento sustentável ativo na sociedade, e a busca por tecnologias limpas, todos os dias são descobertas novas formas de produção de energia que possam utilizar como fonte os recursos e fenômenos naturais renováveis existentes.

Veja aqui tudo sobre Sustentabilidade Ambiental e Energia Renovável.

SÃO EXEMPLOS DE ENERGIA RENOVÁVEL:

1. BIOMASSA

Utiliza matéria de origem vegetal para produzir energia (bagaço de cana-de-açúcar, álcool, madeira, palha de arroz, óleos vegetais etc).

Veja aqui mais sobre o significado de Biomassa.

2. ETANOL

O Etanol tem sua produção principalmente por meio da cana-de-açúcar, da beterraba e do eucalipto. Na forma de energia, pode ser usufruída para operar motores de veículos ou na produção de energia elétrica. As principais vantagens são ser uma fonte renovável e menos poluidora que a gasolina.

3. BIODIESEL

O biodiesel substitui total ou parcialmente o óleo diesel de petróleo em motores ciclo diesel. Apresenta vantagens por ser renovável e não poluente. A principal desvantagem do biodiesel é o esgotamento do solo.

4. ENERGIA SOLAR

A energia solar utiliza-se da fonte de energia do sol, através dos raios solares, para gerar energia limpa. Esse sistema tem como principais benefícios as formas de não poluição, ser renovável e a fonte abundante de energia.

Infelizmente esse tipo de energia ainda é caro e inviabilizado por conta de seus custos. Com novas tecnologias, é possível que os custos dessa matriz energética sejam reduzidos e a tornem mais acessível ao mercado.

5. ENERGIA EÓLICA

A energia eólica, aquela que se produz através da força do vento, é uma das principais apostas para o futuro energético do mundo. Ela é captada através dos conhecidos aerogeradores.

As principais vantagens da energia eólica são sua abundância no ambiente e os custos, que apresentam-se mais acessíveis em determinados locais. A energia eólica, no entanto, precisa de espaço para ser captada de forma a oferecer uma produção suficiente.

Fonte: Folha MT

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Acrocomia aculeata (3) Alimentos (219) animal nutition (1) Aspectos Gerais (175) Aviação (25) Aviation market (13) Biocombustíveis (169) Biodiesel (72) Bioeconomia (15) Bioeletricidade (2) Biofertilizantes (1) Biofuels (83) Biomass (7) Biomassa (49) Biopolímeros (3) Bioquerosene (18) Biotechnology (21) Biotecnologia (2) Brazil (20) Cerrado (2) Ciência e Tecnologia (174) Clima e ambiente (183) climate changed (21) Cogeração de energia (9) COP24 (76) COP25 (14) Cosméticos (19) Crédito de Carbono (26) Cultivo (96) eco-friendly (2) Economia Internacional (60) Economia Verde (156) Economy (25) Ecosystem (1) Efeito estufa (5) Energia (28) Energia Renovável (150) event (6) Eventos (72) Extrativismo (20) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (62) Food (40) food security (1) forest (1) Fuels (16) Global warming (78) Green Economy (112) health (21) Industry 4.0 (1) IPCC (13) livestock (4) Low-Carbon (39) Lubrificantes e Óleos (18) Macaúba (497) Manejo e Conservação (39) Meio Ambiente (81) Melhoramento e Diversidade Genética (52) Mercado (3835) Mercado florestal (43) Nutrição animal (15) nutrition (9) Oil (42) Óleos (210) other (1) Paris Agreement (58) Pecuária (60) Pegada de Carbono (41) pirólise (1) Plant Based (6) Política (52) Produtos (140) proteína vegetal (21) Recuperação de área Degradada (23) renewable energy (10) Research and Development (7) SAF (1) Saúde e Bem-Estar (74) science and technology (25) Segurança Alimentar (34) Soil (7) Solos (8) Sustainability (36) Sustainable Energy (52) Sustentabilidade (290) Vídeo (193) World Economy (64)

Total de visualizações de página