Buscar

Usinas a biomassa querem vender mais energia no mercado livre

terça-feira, setembro 17, 2019

Cultura de cana-de-açucar em Avaré (SP)

MME teria que editar uma portaria, fonte representa 34% das térmicas

A Cogen (Associação da Indústria de Cogeração de Energia) e a Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar) vão propor que a energia produzida acima do limite fixado pelo Ministério de Minas e Energia pelas usinas a biomassa seja negociada no mercado livre. As associações tentar mudar as regras do setor de bioenergia desde 2016.

Cabe ao ministério estabelecer, anualmente, a garantia física das usinas. Essa é a quantidade que elas poderão negociar com as distribuidoras para fornecer ao sistema elétrico nacional, tanto no mercado cativo (consumidores residenciais) como no mercado livre (grandes indústrias).

O setor afirma que seria possível aumentar, em média, em 10% a produção dos empreendimentos em operação. Mas, segundo o vice-presidente da Cogen, Newton Duarte, as regras atuais inviabilizam os investimentos.

Hoje, a energia excedente só pode ser vendida no mercado de curto prazo –travado por disputas judiciais relacionadas ao deficit de geração hídrica, o GSF. Amparados por decisões judiciais, agentes do setor não pagam pela energia negociada nesse ambiente. O rombo em aberto chega a R$ 7,3 bilhões.

Duarte estima que seria possível produzir 1.440 gigawatts adicionais ainda em 2019 (em outubro e novembro, quando acaba a safra atual). Essa quantidade é suficiente para abastecer cerca de 240.000 famílias por mês. A venda dessa produção adicional no mercado livre representaria R$ 200 milhões em faturamento para as usinas.

“Hoje, já vendemos 70% da nossa produção no ambiente livre. As usinas a biomassa possibilitam a economia de 15 pontos percentuais dos reservatórios de águas, em 1 momento em que estamos com bandeira vermelha”, afirmou.

O pleito para mudança das regras em relação aos empreendimentos movidos por bagaço de cana está na pauta desde 2016. Na época, as associações negociaram a ampliação da garantia física declarada das usinas. A expectativa era que uma portaria fosse publicada pelo MME para oficializar a atualização da norma, mas isso nunca aconteceu.

EXPORTAÇÃO DE ENERGIA

Outra possibilidade em análise é a venda da parcela adicional para Argentina e Uruguai. Em 10 de setembro, o Ministério de Minas e Energia abriu consulta pública sobre as diretrizes para a exportação para os países. Pela proposta, podem participar todas as térmicas que não estão fornecendo energia para o sistema elétrico nacional.

“Exportar sempre será uma alternativa importante para as usinas, desde que as questões relacionadas ao recebimento e entrega sejam adequadas. Por exemplo, como será em relação a carta de crédito? Tem quer ter garantias”, afirmou Duarte.

A exportação poderá ser feita durante todo o ano, desde que não prejudique o fornecimento de energia para o Brasil. A proposta em discussão determina que os valores sejam negociados unilateralmente, sem intervenção do governo. O Ministério de Minas e Energia receberá contribuições sobre o assunto até 25 de setembro.
BIOMASSA NA MATRIZ

Segundo dados da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), a energia térmica representa 27% da matriz elétrica brasileira. As usinas têm 41 GW em potência instalada –quanto podem produzir. As usinas que geram energia a partir da biomassa representam 34% desse total.


Fonte: Poder 360

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) Acordo Internacional (24) Acrocomia aculeata (51) Agricultura (126) Agroenergia (120) Agroindústria (22) Agronegócio (129) Agropecuária (38) Água (4) Àgua (1) Alimentos (306) Amazônia (27) animal nutition (1) ANP (67) Arte (1) Artigo (31) Aspectos Gerais (177) Aviação (31) Aviation market (17) B12 (3) B13 (2) Bebidas (1) Bioativo (1) Biochemistry (5) Biocombustíveis (382) Biodiesel (272) Biodiversidade (3) Bioeconomia (66) Bioeletricidade (25) Bioenergia (169) Biofertilizantes (5) Biofuels (102) Bioinsumos (3) Biomass (7) Biomassa (86) Biomateriais (6) Biopolímeros (8) Bioproducts (2) Bioprodutos (16) Bioquerosene (38) Biorrefinaria (1) Biotechnology (35) Biotecnologia (68) Bolsa de Valores (22) Brasil (14) Brazil (28) Cadeia Produtiva (14) Capacitação (9) Carbonatação (1) Carbono Zero (8) Carvão Ativado (6) CBios (48) CCEE (1) cellulose (1) Celulose (8) Cerrado (13) Ciência e Tecnologia (300) Clima e ambiente (244) climate changed (46) CNA (1) Cogeração de energia (29) Combustíveis (84) Combustíveis Fósseis (28) Comércio (15) Consciência Ecológica (22) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (4) Copolímeros (2) Cosméticos (30) Crédito de Carbono (38) Crédito Rural (2) Créditos de Descarbonização (23) Culinária (1) Cultivo (120) Curso (3) Dados (1) Davos (3) Dendê (2) Desafios (1) Desenvolvimento Sustentável (132) Desmatamento (1) Diesel (13) Diesel Verde (13) eco-friendly (4) Economia (65) Economia Circular (6) Economia Internacional (109) Economia Verde (170) Economy (30) Ecosystem (6) Efeito estufa (15) Eficiência energética (42) Emissões de Carbono (4) Empreendedorismo (4) Empresas (34) Energia (83) Energia Renovável (237) Energia Solar Fotovoltaica (18) Etanol (68) Europa (1) event (11) Eventos (117) Exportações (69) Extrativismo (52) FAO (2) Farelos (45) farm (1) Fibras (9) Finanças (4) Floresta (6) Floresta plantada (100) Fomento (9) Food (42) food security (7) forest (1) Fuels (26) Gás (3) Gasolina (1) Gastronomia (1) GEE (2) Glicerina (2) Global warming (104) Green Economy (126) health (22) IBP (1) Incentivos (4) Industry 4.0 (1) Ìnovaç (1) Inovação (86) Instituição (1) Investimento (2) IPCC (14) L72 (4) L73 (7) Legislação (6) Lignina (7) livestock (4) Low-Carbon (45) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (561) Madeira (11) Mamona (1) Manejo e Conservação (93) MAPA (12) Matéria Prima (1) matérias-primas (1) Meio Ambiente (188) Melhoramento e Diversidade Genética (67) Mercado (4027) Mercado de Combustíveis (57) Mercado Financeiro (9) Mercado florestal (65) Mercado Internacional (38) Metas (2) Milho (13) MME (25) Mudanças Climáticas (20) Mundo (44) Nações Unidas (1) net-zero (9) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (50) Oleaginosas (81) Oleochemicals (8) Óleos (246) Óleos Essenciais (4) Óleos Vegetais (1) ONGs (1) ONU (9) Oportunidade (1) Oportunidades (1) other (1) Palma (18) Paris Agreement (87) Pecuária (78) Pegada de Carbono (81) Personal Care (3) Pesquisa (40) Petrobras (9) Petróleo (25) PIB (2) pirólise (3) Plant Based (18) Política (75) Preços (30) Preservação Ambiental (25) Produção Animal (6) Produção Sustentável (38) Produção vegetal (2) Produtividade (32) Produtos (150) Proteção Ambiental (9) proteína vegetal (28) Qualidade do Ar (2) Recuperação de área Degradada (43) Recuperação Econômica (3) Reflorestamento (1) Relatório (10) renewable energy (19) RenovaBio (51) Research and Development (10) Resíduos (5) SAF (3) Safra (2) Saúde e Bem-Estar (92) science and technology (46) Sebo (5) Segurança Alimentar (90) Segurança Energética (12) Selo Social (5) Sistema Agroflorestal (21) Sistemas Integrados (10) Sociobiodiersidade (1) Soil (9) Soja (57) Solos (27) Sustainability (54) Sustainable Energy (67) Sustentabilidade (513) Tecnologia (26) Transportes (5) Turismo Sustentável (3) Unica (1) Vídeo (234) World (1) World Economy (78) Zero-Carbon (1)

Total de visualizações de página