Buscar

Processos hidrológicos quantitativos e parâmetros de qualidade da água na cultura de macaúba (Acrocomia aculeata), Araponga MG

segunda-feira, agosto 05, 2019

Autora: João Batista Lúcio Corrêa

Resumo: Foram avaliados os processos hidrológicos quantitativos e parâmetros de qualidade da água durante um período do desenvolvimento da cultura da macaúba (setembro de 2012 a agosto de 2013), na Fazenda Experimental da UFV, no município de Araponga, MG, com o objetivo de conhecer as correlações da precipitação em aberto (PA) com a precipitação interna, com o escoamento pelo tronco e com o escoamento superficial; bem como, a turbidez, o pH e a condutividade elétrica nas águas de precipitação interna e de escoamento pelo tronco. 

O estudo está distribuído em quatro capítulos, além de uma revisão bibliográfica. O primeiro capítulo apresenta o estudo sobre a precipitação efetiva e a interceptação da cultura da macaúba. O segundo aborda a relação entre o número de folhas e o escoamento pelo tronco. O terceiro discute a correlação entre o escoamento superficial e a precipitação em aberto em três diferentes tratamentos: T1 com quatro plantas de macaúba em covas, T2 com quatro plantas de macaúba em covas mais cordão de contorno e T3 com quatro plantas de macaúba em covas mais plantio de feijão nas entrelinhas das macaúbas. O quarto capítulo apresenta as alterações promovidas na turbidez, na condutividade elétrica e no pH da água da chuva em sua interação com as plantas de macaúba. As amostras de precipitação (aberto e interna), de escoamento pelo tronco e escoamento superficial foram obtidas através de pluviômetros de PVC, coletores de escoamento pelo tronco feitos de pneus de motocicleta e em parcelas de escoamento superficial delimitadas por rufos metálicos, respectivamente. 

No período de estudo (12 meses) a precipitação em aberto foi de 1339,5 mm, sendo a precipitação interna, o escoamento pelo tronco, a precipitação efetiva e as perdas por interceptação equivalentes a 90,08%, 4,55%, 94,63% e 5,37% da precipitação em aberto, respectivamente. Observou-se que quanto maior o número de folhas da planta de macaúba, maior o volume de escoamento pelo tronco, obtendo-se 2,39%, 3,97%, 5,08% e 6,72% da precipitação em aberto, para plantas com 10, 13, 18 e 22 folhas, respectivamente. O escoamento superficial foi significativamente menor no tratamento com cordão de contorno (T2) apresentando o volume de escoamento de 0,10% da precipitação em aberto ocorrida no período, enquanto os tratamentos T1 e T3 apresentaram volume de escoamento equivalente a 0,21% e 0,26% da precipitação em aberto, respectivamente. A água de escoamento pelo tronco apresentou elevados valores de turbidez e condutividade elétrica quando comparados com as águas de precipitação em aberto e interna, as quais não apresentaram diferenças significativas entre si. 

Em conjunto, os resultados permitem inferir que a planta de macaúba, por sua copa em formato de funil promove boa redistribuição da água da chuva e elevado volume de escoamento pelo tronco, favorecendo a infiltração da água no solo. Também, que a interação das águas da chuva com o caule das plantas promove a ciclagem de nutrientes.

Para ter acesso ao artigo completo, clique aqui.

Fonte: Locus UFV

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página