Buscar

Julho de 2019 foi o mais quente em 140 anos, diz agência

segunda-feira, agosto 19, 2019

Resultado de imagem para Julho de 2019 foi o mais quente em 140 anos, diz agência

A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos (NOAA) informou nesta sexta-feira (16) que o mês de julho de 2019 foi o mais quente do mundo nos últimos 140 anos. 

De acordo com a agência norte-americana, a temperatura global de julho foi 0,95°C acima da média de todo o século 20, atingindo 15,77°C e tornando julho deste ano o mais quente nos registros da NOAA, que iniciaram em 1880. 

A agência também informou que nove dos 10 meses de julho mais quentes ocorreram depois de 2005, com os últimos cinco no topo do ranking de maiores temperaturas. 

Além disso, o mês passado foi o 43º mês de julho e o 415º mês consecutivo com temperaturas globais acima da média. 

Por conta das altas temperaturas, o gelo dos Oceanos Ártico e Antártico diminuíram. Em julho, o Ártico ficou 19,8% abaixo da média, superando a marca histórica anterior, registrado em 2012. 

Já o gelo da Antártica terminou o mês com 4,3% abaixo da média, o menor em 41 anos. 

A NOAA também alertou que 2019 foi o ano com as maiores temperaturas em algumas partes das Américas do Sul e Norte, Ásia, Austrália e Nova Zelândia, bem como porções da África e nos Oceanos Índico, Atlântico e Pacífico. 

Apenas algumas áreas da Escandinávia e da Rússia não registraram um grande aumento nas temperaturas em julho, graças ao extremo frio que fez nestas localidades. 

O anúncio da NOAA acontece pouco mais de um mês de uma cúpula do clima, que será realizada no dia 23 de setembro, em Nova York. 

Na ocasião, dois dias antes, também haverá uma cúpula de jovens sobre o assinto, com a participação da ativista sueca Greta Thunberg. 

No início de agosto, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, pediu uma mobilização mundial para reduzir as emissões de gases do efeito estufa após o mês de julho de 2019, possivelmente, ter sido o mais quente da história, segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM).(ANSA)

Fonte: Istoé

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Acrocomia aculeata (20) Alimentos (227) animal nutition (1) Aspectos Gerais (177) Aviação (27) Aviation market (13) Biocombustíveis (177) Biodiesel (76) Bioeconomia (15) Bioeletricidade (2) Biofertilizantes (1) Biofuels (88) Biomass (7) Biomassa (54) Biopolímeros (3) Bioquerosene (18) Biotechnology (21) Biotecnologia (2) Brazil (20) Cerrado (3) Ciência e Tecnologia (182) Clima e ambiente (190) climate changed (28) Cogeração de energia (9) COP24 (76) COP25 (16) Cosméticos (20) Crédito de Carbono (30) Cultivo (96) eco-friendly (2) Economia Internacional (62) Economia Verde (159) Economy (25) Ecosystem (1) Efeito estufa (7) Energia (28) Energia Renovável (158) event (6) Eventos (79) Extrativismo (20) Farelos (27) farm (1) Fibras (8) Floresta plantada (64) Food (41) food security (1) forest (1) Fuels (16) Global warming (79) Green Economy (123) health (22) Industry 4.0 (1) IPCC (14) livestock (4) Low-Carbon (40) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (515) Manejo e Conservação (44) Meio Ambiente (90) Melhoramento e Diversidade Genética (52) Mercado (3846) Mercado florestal (46) Nutrição animal (15) nutrition (9) Oil (44) Oleochemicals (1) Óleos (213) other (1) Paris Agreement (64) Pecuária (62) Pegada de Carbono (42) pirólise (1) Plant Based (7) Política (55) Produtos (149) proteína vegetal (25) Recuperação de área Degradada (25) renewable energy (10) Research and Development (7) SAF (1) Saúde e Bem-Estar (80) science and technology (26) Segurança Alimentar (37) Soil (7) Solos (8) Sustainability (39) Sustainable Energy (53) Sustentabilidade (305) Vídeo (193) World Economy (68)

Total de visualizações de página