Buscar

Sustentabilidade

segunda-feira, julho 15, 2019

Resultado de imagem para Sustentabilidade


Consumidores do mundo todo querem saber como o alimento foi produzido


Muito mais do que se imagina, sustentabilidade na produção de alimentos vai se tornando um fator determinante de competitividade. Consumidores do mundo todo querem saber como o alimento foi produzido, quais tecnologias, insumos ou mão de obra foram utilizados no campo, que processo industrial foi aplicado, como foi feita a distribuição. Temas como a rastreabilidade e a certificação estão ganhando espaço nas redes agroindustriais.

Faz sentido: o que se busca é a garantia da saúde humana compatibilizando os fatores de produção com a preservação dos recursos naturais para as gerações futuras.

E é muito importante que a verdade seja sempre publicada, de forma que interesses comerciais menores não triunfem sobre ela.

Há certos assuntos sobre a produção rural brasileira que volta e meia surgem no noticiário, e um deles é a informação de que somos o país que mais usa defensivos agrícolas. Mas agora isto deve cair em esquecimento, porque a FAO, organismo de Agricultura e Alimentação das Nações Unidas, publicou ranking mostrando que o Brasil é o 44° país no uso destes insumos por hectare cultivado, atrás de Holanda, Bélgica, Itália, Irlanda, Portugal e Suíça, entre outros países europeus, sem falar nos americanos e asiáticos. Os números, relativos ao ano de 2016, constam do Sistema Faostat, banco de dados da FAO que fornece estatísticas de 245 países desde 1961. E não podemos esquecer que somos um país tropical que faz duas e até três safras por ano, o que exige o uso de defensivos até no inverno, porque não há quebra nos ciclos de reprodução de pragas e doenças que afetam as plantações, enquanto nas regiões de clima temperado as pragas são inativadas no frio.

Mas existem outros pontos sobre o sucesso do agro nacional no quesito sustentabilidade.

Sabe-se que em 2009, na Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP15) realizada em Copenhague, o Brasil assumiu o compromisso de reduzir de 36,1% a 38,9% suas emissões de gases de efeito estufa projetadas para 2020. Segundo o governo, essas emissões tendiam a ser de 2,7 bilhões de toneladas de CO2 equivalente no ano. Sendo assim, o nosso país se comprometeu a cortar até 2020 a quantidade de 975 milhões a 1,059 bilhão de toneladas! Esse intervalo inferior e superior para as emissões é função de possibilidade de 2 cenários de crescimento econômico, um mais pessimista e outro mais otimista. Até o momento foi o pessimista que se concretizou.

Pois bem. A agropecuária ficou então com a responsabilidade de reduzir suas emissões entre 133,9 milhões e 162,9 milhões de toneladas de CO2 equivalente, através da chamada Agricultura de Baixo Carbono – Plano ABC, estabelecido pelo Ministério da Agricultura. São programas já largamente utilizados, como a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, o Sistema de Plantio Direto, a Recuperação de Pastagens Degradadas, a Plantação de Florestas, a Fixação Biológica de Nitrogênio ao solo e o Tratamento de Dejetos Animais, entre outros. Para monitorar essas questões todas, foi criada no Ministério da Agricultura e na Embrapa a Plataforma ABC, que realizou estimativas sobre a expansão do Plano, cruzando diversas fontes de informação, um trabalho bastante complexo. A partir dessas fontes, a Plataforma estimou que a agropecuária foi capaz de reduzir as emissões de gases de efeito estufa, até dezembro de 2018, em 100,21 milhões de toneladas de CO2 equivalente, isto é, já teria cumprido 75% da meta a alcançar em 2020, considerando hipóteses conservadoras nas estimativas. Sob hipóteses mais pragmáticas, a redução das emissões chega a 115% sobre o compromisso de Copenhague. Em resumo, nosso setor está fazendo um trabalho extraordinário e, mesmo no pior cenário, cumpriremos em mais 2 anos as metas assumidas.

E isso sem levar em consideração outras variáveis, como, por exemplo, a redução de emissões de CO2 equivalente conseguido pelo etanol de cana, que emite apenas 11% das emissões da gasolina.

E, para coroar esses êxitos todos, na semana passada o brasileiro Guilherme Costa foi reeleito por aclamação para a presidência do Codex Alimentarius, programa conjunto da FAO e da OMS criado em 1963 para estabelecer normas internacionais na área de alimentos. Ora, o mundo não o elegeria se seu país de origem não estivesse fazendo a lição de casa tão exitosamente.´

Ex-ministro da agricultura e coordenador do centro de agronegócios da fundação Getúlio Vargas.

Fonte: Estadão

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (26) Abiove (8) Acordo Internacional (23) Acrocomia aculeata (48) Agricultura (102) Agroenergia (119) Agroindústria (20) Agronegócio (115) Agropecuária (34) Água (1) Àgua (1) Alimentos (284) Amazônia (19) animal nutition (1) ANP (64) Arte (1) Artigo (26) Aspectos Gerais (177) Aviação (30) Aviation market (16) B12 (3) B13 (2) Bebidas (1) Bioativo (1) Biochemistry (5) Biocombustíveis (378) Biodiesel (268) Bioeconomia (57) Bioeletricidade (25) Bioenergia (165) Biofertilizantes (4) Biofuels (102) Bioinsumos (1) Biomass (7) Biomassa (85) Biomateriais (5) Biopolímeros (7) Bioproducts (2) Bioprodutos (15) Bioquerosene (36) Biotechnology (34) Biotecnologia (63) Bolsa de Valores (22) Brasil (11) Brazil (28) Cadeia Produtiva (14) Capacitação (7) Carbonatação (1) Carbono Zero (4) Carvão Ativado (6) CBios (47) CCEE (1) Celulose (6) Cerrado (12) Ciência e Tecnologia (284) Clima e ambiente (242) climate changed (42) CNA (1) Cogeração de energia (29) Combustíveis (84) Combustíveis Fósseis (26) Comércio (15) Consciência Ecológica (20) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (4) Copolímeros (2) Cosméticos (27) Crédito de Carbono (38) Crédito Rural (2) Créditos de Descarbonização (22) Cultivo (113) Curso (3) Dados (1) Davos (3) Desafios (1) Desenvolvimento Sustentável (118) Desmatamento (1) Diesel (13) Diesel Verde (13) eco-friendly (4) Economia (65) Economia Circular (6) Economia Internacional (109) Economia Verde (169) Economy (30) Ecosystem (6) Efeito estufa (14) Eficiência energética (40) Empreendedorismo (3) Empresas (26) Energia (82) Energia Renovável (235) Energia Solar Fotovoltaica (16) Etanol (66) Europa (1) event (10) Eventos (113) Exportações (67) Extrativismo (49) FAO (2) Farelos (45) farm (1) Fibras (9) Finanças (4) Floresta (1) Floresta plantada (97) Fomento (9) Food (42) food security (7) forest (1) Fuels (26) Gás (3) Gasolina (1) Gastronomia (1) GEE (2) Glicerina (2) Global warming (98) Green Economy (125) health (22) IBP (1) Incentivos (4) Industry 4.0 (1) Ìnovaç (1) Inovação (78) Instituição (1) Investimento (1) IPCC (14) L72 (4) L73 (7) Legislação (6) Lignina (7) livestock (4) Low-Carbon (45) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (556) Madeira (11) Mamona (1) Manejo e Conservação (90) MAPA (10) Matéria Prima (1) Meio Ambiente (171) Melhoramento e Diversidade Genética (67) Mercado (4021) Mercado de Combustíveis (57) Mercado Financeiro (9) Mercado florestal (64) Mercado Internacional (36) Metas (2) Milho (13) MME (25) Mudanças Climáticas (16) Mundo (35) Nações Unidas (1) net-zero (2) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (50) Oleaginosas (81) Oleochemicals (8) Óleos (242) Óleos Essenciais (3) ONGs (1) ONU (7) Oportunidade (1) Oportunidades (1) other (1) Palma (16) Paris Agreement (85) Pecuária (73) Pegada de Carbono (77) Personal Care (3) Pesquisa (33) Petrobras (9) Petróleo (24) PIB (2) pirólise (3) Plant Based (15) Política (74) Preços (28) Preservação Ambiental (20) Produção Animal (6) Produção Sustentável (38) Produtividade (31) Produtos (150) Proteção Ambiental (6) proteína vegetal (28) Recuperação de área Degradada (41) Recuperação Econômica (3) Relatório (8) renewable energy (18) RenovaBio (50) Research and Development (10) Resíduos (3) SAF (3) Safra (1) Saúde e Bem-Estar (90) science and technology (46) Sebo (4) Segurança Alimentar (78) Segurança Energética (12) Selo Social (4) Sistema Agroflorestal (20) Sistemas Integrados (8) Soil (9) Soja (57) Solos (22) Sustainability (51) Sustainable Energy (66) Sustentabilidade (492) Tecnologia (24) Transportes (5) Turismo Sustentável (3) Unica (1) Vídeo (233) World Economy (76)

Total de visualizações de página