Buscar

Nutrição mineral da macaúba: bases para adubação e cultivo.

quarta-feira, julho 10, 2019



Autor: Leonardo Duarte Pimentel

Resumo: A macaúba (Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart.) é uma palmeira nativa do Brasil com potencial de produção de óleo vegetal comparado ao da palma africana (Elaeis guineenses Jacq.). A vantagem da macaúba em relação à palma é sua adaptação a condições edafoclimáticas diversas. Entretanto, até pouco tempo atrás, essa planta era explorada exclusivamente no sistema extrativista, sendo escassos os estudos fitotécnicos com a espécie. Por outro lado, para que a macaúba se estabeleça como matéria-prima na produção de biodiesel, é fundamental atender a dois requisitos básicos: escala de produção e preço competitivo. Para isso, é preciso desenvolver sistemas de cultivo, que por sua vez envolvem o conhecimento da necessidade nutricional da planta. 

Objetivou-se avaliar a resposta da macaúba à omissão de nutrientes minerais (caracterização da deficiência nutricional) e à diferentes níveis de fertilização em plantas cultivadas em viveiro e em condições de campo. Para isso, realizaram-se três experimentos inéditos com esta planta: Experimento 1 Obtenção dos sintomas de deficiência nutricional e teores de nutrientes minerais a estes relacionados. Mudas de macaúba com dois meses de idade foram aclimatadas em solução nutritiva estática aerada até a emissão da primeira folha pinada (definitiva), completando seis meses de idade quando foram aplicados os tratamentos (omissão dos nutrientes minerais: N, P, K, Ca, Mg, S, Cl, Fe, B, Cu e Zn). Após seis meses de cultivo sob influência dos tratamentos (mudas com 1 ano de idade) foram avaliadas as características químicas (teores dos nutrientes minerais nos tecidos da planta) e fitotécnicas (número de folhas, comprimento da parte aérea e da raiz, diâmetro do bulbo e massa de matéria seca do bulbo, raiz e folha). 

Como resultados, obteve-se a caracterização da deficiência mineral, os teores de nutrientes na matéria seca, o acúmulo de nutrientes e a sensibilidade da macaúba planta à omissão dos nutrientes minerais. Experimento 2 Avaliação de substratos, combinação de doses de calcário e fósforo e adubação de cobertura para produção de mudas de macaúba. Foram conduzidos três ensaios envolvendo: avaliação de substratos para produção de mudas de macaúba; avaliação do efeito de doses de calcário e de fósforo na produção de mudas e, avaliação da frequência de adubação de cobertura com N, K e Mg. Mudas de macaúba com três meses de idade foram submetidas aos tratamentos acima descritos e avaliadas quanto às características químicas e fitotécnicas. Como resultados, obteve-se um referencial para composição de substratos, calagem, fosfatagem e adubação de cobertura para produção de mudas de macaúba. Experimento 3 Avaliação da resposta da macaúba à cinco níveis de fertilização com N e K, por dois anos, em cultivo à campo. Mudas de macaúba com oito meses de idade foram plantadas no campo com adubação de estabelecimento idêntica para todos os tratamentos. No início da estação chuvosa subsequente, foram induzidos os tratamentos (doses de N e K crescentes). No segundo ano de cultivo foram avaliados altura de plantas, número de folhas, vigor e os teores foliares dos nutrientes minerais. 

Como resultados, obteve-se uma referência sobre a resposta da macaúba em relação à doses crescentes de N e K ao nível de campo, bem como os primeiros parâmetros de teores foliares em plantas cultivadas. De maneira geral, os resultados obtidos nos três experimentos permitem fazer uma recomendação de adubação para produção de mudas de macaúba, nortear as adubações de campo e comparar o estado nutricional de plantas de macaúba cultivadas.

Para ter acesso ao conteúdo completo, clique aqui.

Fonte: Locus UFV

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página