Buscar

Natura &Co enfrenta aquecimento global com novo compromisso

quarta-feira, julho 31, 2019

O grupo Natura &Co inclui as marcas Natura, Aesop e The Body Shop. (Foto: © Jane Mingay / AFP)
A gigante da beleza Natura &Co quer contribuir a combater o aquecimento global com um novo compromisso. O grupo brasileiro, que inclui as marcas Natura, Aesop e The Body Shop, se compromete a limitar significativamente a sua contribuição para o aumento das temperaturas globais no mundo. O compromisso, que faz parte da campanha Business Ambition for 1.5°C: Our Only Future, também inclui o objetivo mais ambicioso de alcançar as emissões líquidas de zero o mais tardar até 2050.

"Para o bem da próxima geração, não podemos ignorar a emergência climática que enfrentamos hoje", disse Roberto Marques, presidente executivo da Natura &Co. "Empresas, governos, sociedade civil e indivíduos devem agir juntos e devemos ser mais ambiciosos. Porque quando se trata disso, não podemos administrar negócios em um planeta morto."

Um total de 28 empresas, incluindo a Levi Strauss & Co, a Telia, a Unilever e a Vodafone Group PLC, assumiram o mesmo compromisso.

"É muito encorajador ver estes líderes climáticos na comunidade global de negócios a agirem, tanto para ajudar a lidar com a emergência climática quanto porque a ação climática apresenta grandes oportunidades para os primeiros participantes”, disse o embaixador Luis Alfonso de Alba, enviado especial do Secretário-Geral da ONU para a Cimeira de Ação Climática.

Reserva do Médio Juruá, no Amazonas, onde alguns dos fornecedores da Natura estão localizados
O compromisso segue um relatório recente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que alertou sobre as consequências potencialmente catastróficas se o aquecimento global exceder 1,5 ° C.

Recentemente, a indústria da beleza tem visto uma onda de iniciativas sustentáveis. Em junho, a L’Oréal anunciou que adquiriu uma participação minoritária na Carbios, uma startup que se concentra em soluções bioindustriais para reinventar o ciclo de vida de polímeros plásticos e têxteis, visando financiar uma tecnologia que utiliza enzimas específicas a fim de reciclar plásticos PET (tereftalato de polietileno) e fibras de poliéster. Enquanto isso, em abril, o conglomerado de cosméticos Unilever revelou um plano para combater o uso de plástico nos EUA.

Fonte: Brazil Beauty News

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página