Buscar

Alterações microbianas e químicas de um gleissolo sob macaubeiras nativas em função da variação sazonal e espacial

quinta-feira, julho 11, 2019

Autor: Lídia Tarchetti Diniz; Maria Lucrecia Gerosa Ramos; Lúcio José Vivaldi; Cristina Miranda de Alencar; Nilton Tadeu Vilela Junqueira

Resultado de imagem para gleissoloResumo: A macaúba (Acrocomia aculeata) é uma alternativa para a produção de biodiesel e, consorciada com pastagem, pode auxiliar na recuperação de áreas degradadas. O objetivo deste trabalho foi estudar as alterações nos atributos microbiológicos, na matéria orgânica e no N total do solo, em função da variação sazonal e espacial em um Gleissolo sob maciço de macaubeiras nativas, no Cerrado. O estudo observacional foi realizado na região de Planaltina de Goiás, na Fazenda Agropecuária Santa Fé. Foram selecionadas dez árvores em uma mata com macaubeiras nativas no bioma cerrado. 

A coleta de solo foi realizada na camada de 0 a 10 centímetros de profundidade, sob uma linha horizontal, imaginária, traçada a partir da base do caule das macaubeiras. As amostras de solo foram coletadas a 50, 150 e 250 centímetros de distância do caule da palmeira, durante o verão chuvoso (março de 2010) e inverno seco (julho 2010). Para a avaliação estatística das variáveis observadas, utilizou-se um modelo misto. As médias das variáveis observadas foram submetidas a testes para verificar se seguiam a distribuição normal, e a homogeneidade de variâncias. Em seguida, os dados foram submetidos ao teste F e as médias foram comparadas pelo teste t. Os atributos carbono microbiano (Cmic), respiração basal (RB), quociente metabólico (qCO2), a matéria orgânica do solo (MOS) e a relação C/N do solo são sensíveis à variação sazonal e espacial em mata de macaubeiras no Cerrado. O nitrogênio total (NT) foi sensível à variação espacial. 

A microbiota presente no solo sob macaubal se manteve mais equilibrada durante o período seco, apresentando maiores teores de carbono microbiano e quociente microbiano e menor quociente metabólico e relação C/N do solo.

Para ter acesso ao artigo completo, clique aqui.

Fonte: UFU

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página