Buscar

Tendência irreversível, Controle Biológico de Pragas é fomentado em MS

segunda-feira, junho 10, 2019

Resultado de imagem para controle biologico

Campo Grande (MS) – A redução do uso de produtos fitossanitários químicos nas lavouras é uma tendência irreversível, segundo o Doutor José Eduardo Marcondes Almeida, pesquisador científico do Instituto Biológico da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo, da Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio que está em Campo Grande palestrando no Simpósio sobre o Controle Biológico de Pragas, realizado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (SEMAGRO), nesta terça, quarta e quinta-feira.

De forma inédita, o especialista no desenvolvimento de controle biológico de pragas, especificamente com fungos que controlam insetos, colocou em debate o uso do controle biológico para insetos e doenças, numa discussão conjunta com diversos representantes de instituições ligadas ao setor produtivo como o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Embrapa, Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), Associações de agricultura sustentável,  Agrônomos, técnicos agrícolas, produtores e técnicos do Governo do Estado.

A ideia, segundo Segundo o Superintendente Rogério Beretta é levantar todos os pontos relacionados ao controle biológico, a importância de utilizar esse Sistema buscando fomentar o uso no Estado. “Mato Grosso do Sul tem interesse no desenvolvimento de pesquisas e políticas públicas para alavancar o uso do controle biológico”. Completou.

O grupo reunido no Seminário também trocou informações para que se pudesse ter um levantamento mínimo sobre as biofábricas instaladas nas propriedades rurais.

Sobre as biofábricas, o palestrante comentou que há um decreto de agricultura orgânica que permite, contudo, observa que isso tem gerado muitas discussões.

Nos dois primeiros dias o pesquisador apresentou técnicas, mostrou o que é possível se fazer dentro da propriedade e como fazer uso do controle biológico, elencando sua importância e vantagens.

A maneira sistematizada e que reuniu tantos autores foi elogiada pelo palestrante que destacou a importância do Governo de Mato Grosso do Sul trabalhar pela elaboração de políticas públicas e programas que possam atravessar governos, e funcionar de forma eficiente e duradoura.

O engenheiro agrônomo Antonio Luiz Neto Neto, Presidente da Associação de Engenheiros Agrônomos do Estado e Executivo Estadual da Associação dos distribuidores de insumos agropecuários (ANDAV) considerou fundamental a união de esforços promovida pelo Governo do Estado que resultou na interação dos principais atores do setor produtivo para conhecimento da legislação e possibilidades de criação de políticas públicas, implantação de biofábricas e adoção de novas tecnologias. “O nosso sistema de produção precisa melhorar, se tornar mais eficiente e precisamos cada dia mais, tornar prática comum o uso de produtos mais sustentáveis”. Finalizou.

Fonte: A Crítica

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página