Buscar

Mercado da estética se destaca na economia brasileira

quarta-feira, junho 05, 2019

Mercado da estética

Empresas que trabalham com produtos e serviços de saúde e bem-estar desafiam a crise e apresentam expansão média de 10% ao ano

Mesmo com a economia do Brasil apresentando estagnação, como mostrou o PIB do primeiro trimestre ao registrar -0,2%, alguns setores estão despontando e revelam uma recuperação robusta. O mercado de produtos e serviços de saúde e bem-estar tem se mostrado promissor, por exemplo, e é um desses ramos que têm crescimento acima da média. A expectativa é positiva, o que mostra que o brasileiro está cada vez mais preocupado com a estética e beleza.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), entre 2009 e 2016, o segmento recebeu cerca de 645 mil novos microempreendedores individuais (MEIs) e mais 26 mil micro e pequenas empresas. Nos últimos 20 anos, o crescimento médio do setor já deflacionado chegou a mais de 10% ao ano, segundo a Associação.

Outro setor que também está em crescimento é o da odontologia. De acordo com o Conselho Federal de Odontologia (CFO), o País está em quarto lugar no mundo em procedimentos odontológicos realizados por ano, movimentando cerca de R$ 38 bilhões.

De acordo com a analista do Sebrae, Romarcia Lima, o mercado da estética é um dos mais promissores no País, mas que precisa de investimentos e para se adaptar aos novos tempos. “É um mercado em ascensão e com necessidade de aperfeiçoamento, o que vem para somar. É uma oportunidade de negócio, mas desde que atenda com personalização, onde as pessoas da área buscam entender a real necessidade do cliente, e tentam ver a diferenciação do público”, disse. 

A analista conta ainda que o serviço tem que ser ligado à qualidade de vida para poder dar certo. “As pessoas querem se tratar para ficarem bem e bonitas. O setor tende a crescer, o consumidor tende a investir em qualidade de vida. E não é só pela estética e beleza, mas pela saúde e longevidade”, afirmou Romarcia Lima. 

Para a dentista e sócia proprietária da Blanc Odontologia, Katarina Chaves, a preocupação com a saúde dental fez com que investimentos fossem feitos para melhorar o atendimento. “O paciente sempre vai atrás da estética em busca de abrir portas na sua vida. As pessoas buscam muito por isso, e as soluções chegam até a serem imperceptíveis. Tivemos um investimento muito forte em scanner, em máquinas que fazem uma lente de contato, investindo na tecnologia para a coisa ficar mais previsível, mais precisa”, contou ela. 

Katarina destaca ainda que a atuação nesse ramo da estética é positiva e gera lucros. “Descobrimos outros mercados. Existe uma prática muito grande na estética, uma demanda grande. É lucrativa, ela exige um investimento constante, mas o retorno é algo certo porque existe a demanda”, afirmou Katarina. 

Outro ramo na estética e bem-estar que está crescendo é o das clínicas para procedimentos no corpo. Segundo a fisioterapeuta e proprietária da Anthesis Estética, Bruna Lopes, a atuação nessa área é feita por meio de protocolos específicos. “Eu vi nesse mercado a oportunidade de me destacar com trabalhos diferenciados. Sempre quis mudar a autoestima das pessoas e nesse serviço conseguimos fazer isso. A gente trabalha com o que o conselho permite, nos protocolos de redução de gordura, usando eletrolipólise, carboxterapia por meio de agulhas subcutâneas”, explicou. 

Bruna acrescenta ainda que esse ramo é interessante por conta da oportunidade das tecnologias à disposição. “O mercado da estética é um dos poucos que mantém constância. A gente sempre vê clínicas funcionando e desenvolvendo tecnologias o tempo todo, lançando novidades. Esse acompanhamento permite avançar no negócio. Só basta saber como trabalhar. É muito inovador”, afirmou.

Uma vertente do setor que vem tendo crescimento é a estética para homens. O proprietário da Trois Barbearia, Marcelo Wanderley Filho, buscou um empreendimento para valorizar o bem-estar deste consumidor. “Eu via que alguns clientes iam de quinze em quinze dias ao salão de beleza, e isso não era prazeroso. E o barbeiro antigamente tinha uma figura muito forte. Nós começamos com um espaço de apenas uma cadeira para o homem, que só representava 20% do negócio, mas foi crescendo. Hoje temos três unidades com 27 barbeiros”, contou. 

Marcelo conta ainda que atualmente são cerca de 4 mil clientes por mês nas três unidades. “O potencial do mercado é muito grande, mas o ramo masculino ainda é bem recente, e o nosso negócio é fruto desse crescimento. Buscamos investir em capacitações, melhoria das instalações, e na criação de ações para o homem, como o desenvolvimento de uma linha de estética para barba e cabelo”, disse.

Fonte: Folha Pernambuco

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página