Buscar

Embriogênese somática em macaúba: indução, regeneração e caracterização anatômica

quarta-feira, maio 22, 2019

Autora: Elisa Ferreira Moura

Resumo: Dentre as espécies oleaginosas que poderiam ser usadas na produção de biodiesel, a macaúba (Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Martius) se destaca por ser uma palmeira altamente produtiva e adaptada a regiões semi-áridas. Entretanto, esta espécie apresenta problemas quanto à sua propagação e a embriogênese somática pode ser uma alternativa. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi contribuir para o desenvolvimento de protocolos de embriogênese somática nesta espécie. Massas embriogênicas de macaúba foram obtidas após a inoculação de embriões zigóticos maduros em meio de cultivo Y3 contendo picloram ou 2,4-D combinados ou não com TDZ, na ausência de luz. 

Após 60 dias de cultivo em meio de regeneração, com a mesma composição do meio de indução, mas contendo carvão ativado, as massas embriogênicas regeneraram estruturas globulares semelhantes a embriões somáticos (EGSE). Após 120 dias de cultivo em meio contendo picloram e carvão ativado, embriões somáticos se formaram a partir do calo nodular. Estes embriões possuíam protoderme característica, cordões de procâmbio, meristema apical e germinaram em meio de cultura Y3, na ausência de reguladores de crescimento. Contudo, muitos embriões não apresentaram desenvolvimento completo da parte aérea. Quando inoculados no meio original de indução, estes embriões somáticos geraram embriogênese secundária, originando novos embriões somáticos por brotação. 

O estudo anatômico do processo da indução da embriogênese somática em embriões zigóticos de macaúba evidenciou o surgimento de muitos pró-embriões de origem unicelular no meristema fundamental. Esses pró-embriões se originaram preferencialmente na região distal do embrião, que corresponde à região cotiledonar. Alguns pró-embriões de origem unicelular chegaram às fases mais avançadas, como a fase globular. Os pró-embriões começaram a se formar entre o 10º e o 20º dia, e aos 40 dias já chegavam à fase globular. Entre 30 e 40 dias, houve a formação de massas meristemáticas originadas do crescimento das células procambiais. 

Essas massas sofreram fragmentação e geraram as EGSEs, que se formaram a partir da massa embriogênica. Algumas das estruturas formadas a partir da massa meristemática sofreram epidermização , levando à formação de embriões somáticos de origem multicelular.

Para ler o artigo completo, clique aqui.

Fonte: Locus UFV

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página