Buscar

Caracterização do Óleo da Polpa de Macaúba (Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart.) e Azeite de Oliva (Olea europaea L.) Virgem Extra e Seus Efeitos Sobre Dislipidemia e Outros Parâmetros Sanguíneos, Tecido Hepático e Mutagênese Em Ratos Wistar

sexta-feira, maio 03, 2019

Macaúba – Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd.ex Mart. Base das bainhas foliares, cobertas de espinhos escuros e compridos. Fonte: Nucci, 2007.
Autor: Marcio Aoqui

Resumo: A macaúba, Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart., é uma palmeira nativa das florestas tropicais. É encontrada em quase todo o território brasileiro, em maior concentração nos estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A polpa do fruto é rica em óleo, sendo o ácido oléico, o componente majoritário. Possui também elevados teores de carotenóides. O consumo de óleos ricos em ácido oléico e antioxidantes tem sido associado ao controle de dislipidemias, reduzindo o LDL-colesterol e aumentando o HDL-colesterol no organismo. 

No entanto, até o momento não há informações consistentes sobre os efeitos do óleo da
polpa de macaúba no metabolismo animal. Desta maneira, o presente trabalho objetivou caracterizar e avaliar comparativamente óleo bruto de polpa de macaúba e o azeite de oliva virgem extra sobre parâmetros sanguíneos, massa corporal e mutagênese em ratos Wistar. O óleo de macaúba e oliva apresentaram em torno de 60% de ácido oléico. Diferenciaram-se, sobretudo, pela elevada concentração de carotenoides na macaúba e ausência no óleo de oliva.

Apesar de não ter sido detectado um efeito estatisticamente significativo, o óleo de macaúba, assim como o de oliva, apresentou uma tendência em reduzir os parâmetros sanguíneos séricos deletérios ao metabolismo. Óleo da polpa de macaúba, quando administrado conjuntamente com a ração padrão após indução a hipercolesterolemia, levou a um menor ganho de peso. 

O período de avaliação deve ser expandido para avaliar se esta ação positiva do óleo de macaúba realmente se efetiva. Não foi observada ação mutagênica do óleo da polpa de macaúba.

Para ter acesso ao artigo completo, clique aqui.

Fonte: Embrapa

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página