Buscar

Laboratório de Óleos da Amazônia recebe visita de alunos do curso de Desenvolvimento de Produtos Cosméticos Naturais

segunda-feira, fevereiro 04, 2019


Laboratório de Óleos da Amazônia Foto Agência Pará 73373 224111 1
O Laboratório de Óleos da Amazônia (LOA), ligado à Universidade Federal do Pará (UFPA) e instalado no Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá, recebeu, nesta quarta-feira, 30, os alunos do curso de Desenvolvimento de Produtos Cosméticos Naturais, promovido pelo Sebrae Pará, por intermédio do Projeto de Desenvolvimento de Cadeias de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, com o apoio do Arranjo Produtivo Local (APL) de Biocosméticos e do PCT Guamá.

A gestora do projeto no Sebrae PA, Georgiane Titan, informou que, este ano, foram planejadas diversas consultorias e capacitações para trazer acesso a mercado e inovações às empresas de cosméticos paraenses. Este primeiro curso, com carga horária de 24 horas, divididas em três dias, foi direcionado aos empresários já atuantes no setor.

Na programação, foram abordados alguns temas, como apresentação das formulações e aplicações industriais elaboradas com produtos naturais e da flora amazônica; elaboração de cosméticos naturais e orgânicos; avaliação do comportamento do consumidor e avaliação da qualidade dos produtos e das características intrínsecas.

Na prática promovida no Laboratório de Óleos da Amazônia, os alunos foram divididos em grupos para criar produtos naturais e/ou orgânicos, seguindo a lógica de comitês de desenvolvimento de produtos, estratégia em que as empresas reúnem uma equipe multidisciplinar, com a participação de profissionais de marketing, formuladores, gerentes de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), pessoal de controle de qualidade, compras, entre outros. 

Laboratório de Óleos da Amazônia Foto Agência Pará 73373 224110Ministrado por Gabriel Monteiro, empresário, consultor, farmacêutico industrial de formação e mestre em Tecnologia Farmacêutica pela Universidade de Brasília, o curso foi pensado com o objetivo de atender à crescente demanda por cosméticos com insumos amazônicos, movimento que, segundo o consultor, começou a tomar corpo em 2007, com uma forte tendência de crescimento registrada nos últimos 3 anos.

No setor de cosméticos, o Laboratório de Óleos da Amazônia presta serviços para cooperativas e empresas fornecedoras de matérias-primas, como a caracterização e o controle de qualidades de óleos e gorduras vegetais utilizados pelas empresas.  O coordenador do laboratório, o prof. dr. Carlos Emmerson da Costa, destaca que, em 2019, "a ideia é ampliar a realização desses tipos de cursos, para atender ao maior número de pessoas possível, tornando-os parte da rotina do laboratório".

APL de Biocosméticos – Formalizado em 2015 durante o Seminário de Cosméticos de Base Florestal da Amazônia, por representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Fiepa, Sebrae, Codec e Sinqfarma. Integra o Núcleo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento de APLs (Neapl) e alinha-se à filosofia de verticalização da produção para o desenvolvimento da cadeia produtiva do setor. Em 2019, as ações serão concentradas na realização de cursos e na articulação entre as comunidades, empresas e demais parceiros do setor, a exemplo da rede de laboratórios implantados no Parque de Ciência e Tecnologia.

Laboratório de Óleos da Amazônia (LOA/UFPA) - Especialista no estudo de oleaginosas para a obtenção de produtos de uso corrente nas indústrias química e alimentícia. Oferece serviços, como análise físico-química completa de óleos vegetais, identificação do melhor método de extração de uma determinada espécie oleaginosa, análise físico-químico completa dos derivados de óleos vegetais, padronização de diferentes tipos de óleos vegetais provenientes da Amazônia, testes catalíticos e processos químicos mais apropriados para óleos vegetais e derivados e estudo de novas composições de óleos vegetais para as indústrias do setor.

Laboratório de Óleos da Amazônia Foto Agência Pará 73373 224111 2Sobre o PCT Guamá – Resultante da parceria entre as Universidades Federal do Pará (UFPA) e Federal Rural da Amazônia (UFRA) e o governo do Pará, o PCT Guamá foi o primeiro e permanece como único parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia.

Ele tem como principal objetivo estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.

Com uma área de 72 mil metros quadrados, reúne, atualmente, 14 centros e laboratórios tecnológicos, 22 empresas, 23 startups, instituições de pesquisa e grupos residentes, todos ligados às áreas estratégicas de atuação, que são Biotecnologia, Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), Energia, Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.

Situado entre a UFPA e a UFRA, apresenta espaços voltados para a instalação de pequenos e médios empreendimentos de base tecnológica, laboratórios e centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como de empreendimentos nascentes (startups) e temporários.

A Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, por sua vez, foi qualificada para realizar a gestão administrativa, financeira, física e ambiental do PCT Guamá. Desde 2009, a Fundação é mantida pelo governo do Estado, por meio de contrato com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica – Sectet.

É uma das instituições que integram o APL de Biocosméticos. Para saber mais, clique aqui.

Fonte: Portal UFPA

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página