Buscar

IPA agropecuário cai 0,71% e IPA industrial cede 0,12% no IGP-M, diz FGV

quinta-feira, janeiro 31, 2019

Resultado de imagem para agropecuário
A reversão no rumo dos preços aferida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de janeiro, com alta de 0,01% ante queda de 1,08% em dezembro, teve como principal fator de sustentação a desaceleração na baixa do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), cuja taxa passou de retração de 1,67% em dezembro para recuo de 0,26% em janeiro. Entre os componentes do IPA, por sua vez, destaque para o arrefecimento da deflação nos produtos industriais, que registraram modesta queda de 0,12% ante recuo de 1,77% no mês anterior. Já os preços agrícolas no IPA apresentaram recuo de 0,71%, após retração de 1,35%.

Na análise por estágios de processamento, os Bens Finais apresentaram aceleração na taxa de inflação, de 0,07% em dezembro para 0,52% em janeiro. O subgrupo que mais contribuiu para o avanço foi 'combustíveis para o consumo', cuja variação passou de -8,83% para -2,66% no mesmo período.

O índice relativo a Bens Finais (ex), que exclui os subgrupos 'alimentos in natura e combustíveis para o consumo', teve alta de 0,53% este mês, após 0,39% em dezembro.

Já entre os Bens Intermediários, que tiveram queda de 0,99% em janeiro após retração de 2,66%, o principal fator de influência foi o subgrupo 'materiais e componentes para a manufatura', cuja variação passou de -2,13% para -0,64%. Nos Bens Intermediários (Ex), índice obtido após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, houve queda de 0,39% após retração de 1,38% em dezembro.

A taxa do grupo Matérias-Primas Brutas arrefeceu a queda passando de 2,45% em dezembro para 0,30% em janeiro. Contribuíram para o recuo os seguintes itens: minério de ferro (-3,61% para 2,99%), leite in natura (-7,99% para -2,23%) e mandioca (aipim) (-1,26% para 4,52%). Em sentido oposto, destacam-se os itens cana-de-açúcar (0,32% para -0,53%), bovinos (1,47% para 0,60%) e café (em grão) (-2,99% para -4,95%).

O minério de ferro liderou a lista das maiores influências de alta no IPA, ao apresentar elevação de 2,99% em janeiro, após queda de 3,61% em dezembro. Em seguida aparecem: Feijão em grão (de 14,03% para 15,61%); Milho em grão (de 1,38% para 2,22%); Abacaxi (de 5,28% para 35,16%); e Mandioca (aipim) (de -1,26% para 4,52%).

Já os seguintes produtos figuraram na corrente das maiores contribuições de baixa: Soja em grão (de -3,96% para -4,27%); Óleos combustíveis (de -4,88% para -11,83%); Gasolina automotiva (de -13,62% para -3,53%); Ovos (de 3,33% para -5,94%); Café em grão (de -2,99% para -4,95%).

Fonte: Jornal Estado de Minas

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página