Buscar

Atenção redobrada: tempo quente e úmido é combustível para a ferrugem da soja

sexta-feira, novembro 16, 2018


Imagem relacionada

Com o plantio da safra na reta final, o foco no manejo das lavouras aumenta e as mesmas condições meteorológicas que permitiram o avanço do cultivo em ritmo recorde em Mato Grosso, também exigem o alerta máximo contra a doença considerada inimiga número 1 da soja: a ferrugem.
O tempo úmido somado às temperaturas elevadas criam um ambiente ideal para a proliferação do fungo causador da ferrugem, como explica o engenheiro agrônomo Luiz Nery Ribas, que é presidente do Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb). Ele reforça a importância de manter o monitoramento constante das plantações, para que os agricultores não percam o timing de realizar as pulverizações contra a ferrugem.
Ribas também chama a atenção para o tratamentos com fungicidas “multissítios”, que agem em diversos pontos do metabolismo do fungo simultaneamente, diferente dos triazóis, estrobilurinas e carboxamidas, ferramentas amplamente usadas no combate à ferrugem, mas que tem perdido eficiência diante da evolução do fungo que causa a doença, que a cada safra tem apresentado mais resistência aos fungicidas mais utilizados no mercado.
Confira a orientação do presidente do Cesb, que também faz o convite para a décima-primeira edição do Desafio Nacional de Máxima Produtividade.
Fonte: Canal Rural

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página