Buscar

Lodo como adubo na agricultura: conheça agora esse novo método

sexta-feira, setembro 28, 2018


Lodo como Adubo na Agricultura: Conheça Agora esse Novo Método

Uma inovação inusitada na agricultura vem tornando-se notícia nos últimos anos. Seguindo recomendação da Organização das Nações Unidas, agricultores brasileiros passaram a utilizar um material inesperado como adubo: o lodo.
Estima-se que pelo menos 26 mil toneladas de lodo de esgoto já foram utilizadas para fertilização em anos recentes.
Apesar disso, muitos produtores não conhecem ainda os detalhes da aplicação do lodo como adubo na plantação.
No estado do Paraná, por exemplo, o material é fornecido sem custo pela companhia de saneamento básico.
Ao privilegiar este fertilizante natural temos dentre os benefícios alcançados um aumento da sustentabilidade das empresas rurais.
Esta não é, contudo, a única razão para ficar de olho neste insumo.
Mesmo porque se trata de um adubo rico em cálcio, nitrogênio, fósforo, magnésio e diversos outros nutrientes. Conheça agora esse novo método da agricultura.

Lodo como adubo na plantação: como é feito?

Para reaproveitar o esgoto humano é importante que o material seja submetido a um processo de higienização rigoroso.
No Paraná metade do lodo produzido se destina para a agricultura. O Rio Grande do Sul também investe na iniciativa, e no Nordeste desde 2012 o fertilizante é aplicado.
Pode-se notar que esta prática vem se expandindo nos estados produtores na última década.

Como é feito então este adubo diferenciado?

Durante o tratamento de esgoto é gerada uma biomassa microbiana. Este lodo se deposita na base dos tanques das estações de saneamento e é rico em nutrientes.
É uma etapa, no entanto, no qual o material oferece risco à saúde e não pode ser utilizado. Por isso ele é higienizado em processos de compostagem ou carbonização.
Antes de chegar ao produtor, o lodo passa também por uma correção, para que não libere certos elementos em excesso.
Sobretudo porque em níveis elevados alumínio e ferro podem ser tóxicos para as plantas.
No processamento final o adubo pode ser peletizado ou granulado. Em um país com problemas de saneamento básico como o Brasil, encontrar uma forma para reutilização de resíduos é sempre bem-vindo.
Quer entender mais sobre a importância da relação entre agricultura e meio-ambiente? Leia este artigo.

Nutrientes presentes no lodo e cuidados na utilização

Quando este biossólido passa pela estabilização alcalina prolongada, o adubo resultante é rico em nutrientes. Além disso, ele possui excelente desempenho na correção do PH do solo.
No que diz respeito aos cuidados, a legislação determina que o material não deve ter contato direto com a produção.
Em razão disso a aplicação do lodo como adubo na plantação está proibida para raízes, pastagem e hortaliças.

O lodo como corretor de solo

A ação deste adubo na correção do solo se mostrou muito similar ao que se alcança com a calagem.
Este processo é caracterizado pela adição de calcário ao solo para regular os níveis de acidez presentes.
A eficácia do lodo em alguns casos foi tão grande que permitiu a completa substituição deste outro procedimento.
Esse e outros fatores até aqui mencionados são importantes para melhorar a condição do solo e aumentar a produtividade.

Redução de custos

Outro grande benefício de se aplicar o lodo como adubo na plantação é a economia.
É fato conhecido que o Brasil por muito tempo foi dependente de fertilizantes agrícolas importados.
Os produtos nitrogenados, à base de fósforo e cloreto de potássio, ainda são os mais consumidos no país.
Ao optar pelo lodo os custos de manutenção e fertilização podem ser reduzidos em pelo menos 20% do valor total.
Além de tudo, o aumento na produtividade é outro elemento que vai impactar nas contas do produtor rural.
Sabe-se que o lodo tem efeitos muito mais expressivos do que o das camas aviárias, por exemplo, comuns nos cafezais.
Já na plantação de cana uma técnica desenvolvida pela Universidade de São Paulo consegue elevar a produção em 20%.
Também foi observado que desta forma o complemento de nitrogênio no solo torna-se dispensável.
Para ter uma ideia do que a utilização do lodo pode acarretar em termos de economia, apresentamos dados do IAC.
De acordo com o Instituto de Solo Agronômico de Campinas, só no plantio de cana 40% do custo da cultura advém dos fertilizantes.
É para reduzir estes valores que a aplicação do lodo vem sendo estudada no Brasil há pelo menos 30 anos.
Ainda sobre o tópico da economia, veja neste outro artigo como usar a tecnologia para reduzir custos na agricultura.

Fique atento às principais tendências do setor

O lodo como adubo na plantação já é uma realidade comum há certo tempo nos Estados Unidos, Europa e Ásia.
Devido às vantagens que apresenta, espera-se que cada vez mais esse novo método da agricultura cresça no Brasil.
Especialmente se considerarmos os resultados práticos de sua aplicação. Afinal, o nordeste, que aproveita todo lodo produzido pelo esgoto, possui os pomares de laranja mais produtivos do país.
Quer conhecer outras práticas para melhorar a sua produção e manter-se por dentro do que há de novo no setor? Então leia também este artigo sobre as principais tendências do agronegócio para 2018.
E você já conhecia esta técnica da utilização de lodo como adubo? Conte suas experiências aqui embaixo nos comentários.
Fonte: AgroComunica

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página