Buscar

Agricultura de Precisão: como funciona, vantagens e o impacto econômico

quinta-feira, agosto 02, 2018

A evolução tecnológica que tomou conta de todos os setores mundiais, veio para facilitar a vida das pessoas e agilizar processos. No setor agropecuário não foi diferente.
A constante atualização de técnica se fez necessária para facilitar a vida do produtor rural e gerar mais produção. Por isso, a criação de um sistema que controlasse toda a produção e fizesse uma análise da mesma foi tão importante para o setor, como é o caso da Agricultura de Precisão (AP).
As tecnologias da agricultura de precisão tem a capacidade de detectar, monitorar de forma precisa e orientar os trabalhadores do campo na gestão da propriedade, com o objetivo de melhorar a produtividade, a preservação do meio ambiente e a renda.
As informações e tecnologias proporcionadas pela agricultura de precisão são fundamentadas nos conceitos de que espaço e tempo influenciam na produção e rendimento do que está sendo cultivado.
Por isso essa análise e coleta de dados é tão importante para o agricultor que não consegue realizar sozinho um controle pleno das atividades a todo instante.
O intuito principal da aplicação da agricultura de precisão é conseguir gerenciar a produção agrícola por meio de diversas ferramentas que fornecem dados da produção, a fim de otimizá-la, gerar maior precisão dos recursos empregados e um retorno esperado pelo produtor.

Como surgiu?

O surgimento de manchas e falta de uniformidade na produção da lavoura apontou a necessidade de novas técnicas para evitar esse e outros problemas que apareceriam mais tarde.
O ponto de partida para o desenvolvimento da Agricultura de Precisão foi a criação da tecnologia do GPS (Global Position System) e de mapas de produtividade.
Com isso, foi possível trabalhar com o gerenciamento de informações de produção de uma localização específica.

Como funciona a agricultura de precisão?

A agricultura de precisão possui três pontos de excelência de resultados: revolução gerencial, tecnologia de informação e agregação de valor à produção.
Esses três pontos devem ser trabalhados em conjunto para aprimorar a produtividade, volume a ser produzido, qualidade e gerenciamento de preços para competir no mercado interno e externo.
O sistema de gestão da Agricultura de Precisão leva em consideração os aspectos de solo, fertilizantes, produtividade, ervas daninhas, doenças e pragas para uma atividade precisa.
Os dados coletados pelas máquinas é que irão determinar o que será feito na área. Todo o planejamento da Agricultura de Precisão é feito por agrônomos e programadores, que dão ordem para as máquinas executarem tarefas precisas.
O uso do GPS possibilita que amostragens de solo recebam coordenadas geográficas, podendo elaborar mapas de fertilidade, por exemplo.
A produtividade também pode ser medida por localização, graças à instalação do GPS nas máquinas colhedoras, que associado a sensores, consegue medir o volume colhido em cada ponto.
Agricultura de Precisão
Antes do desenvolvimento das técnicas de agricultura de precisão, trabalhava-se com o conceito de homogeneidade no campo.
Os insumos (fertilizantes, defensivos, água, etc.) eram distribuídos por igual em todas as áreas, não considerando as necessidades específicas de cada área e com isso, a produtividade não era uniforme.
A variabilidade nas áreas agrícolas não era levada em consideração e o manejo não era adaptado a essa diversidade.
Tanto os mapas de fertilidade e produtividade que podem ser produzidos com a agricultura de precisão, possibilitam ao produtor rural dimensionar áreas mais ou menos produtivas e que necessitam de maior ou menor atenção dentro da propriedade, sendo possível planejar melhor o emprego de insumos e nutrientes em cada local.
As áreas que produzem mais, por exemplo, poderão ter mais recursos empregados por conta desses mapas, o que irá aumentar ainda mais a produção.
Evita-se o investimento demasiado em vão, em áreas que não conseguem produzir mais do que um montante específico.
Todas essas informações exatas e precisas são produzidas para que decisões também exatas sejam tomadas. Decisões essas que devem ser as mais assertivas possíveis, para que haja maior produtividade.
Além disso, essas tecnologias assertivas permitem a visualização da variabilidade espacial e temporal dos fatores edafoclimáticos (relativo aos solos e ao clima) de cada área, considerando as peculiaridades de cada uma no momento do manejo.
O planejamento do plantio também passou a ser possível com as novas tecnologias da agricultura de precisão.
Plataformas digitais sensíveis possibilitam que cada muda seja posicionada de acordo com a recomendação do software, evitando erros no momento da plantação. Tal informação pode ser usada posteriormente no momento da colheita.
Alguns equipamentos já existentes conseguem identificar áreas com plantas nocivas, como as daninhas, por exemplo, possibilitando a aplicação de defensivos em áreas precisas.
As fazendas “Hi-Techs” são as que mais empregam tecnologias para agricultura precisa.
Além dos sensores de desempenho acoplados à máquina agrícola, são usados dispositivos móveis, drones, big data, máquinas agrícolas super avançadas, entre outras ferramentas.

Benefícios da agricultura de precisão

O sistema de precisão possibilita o uso racional dos insumos, dando à terra e às plantas doses precisas de sementes, nutrientes e defensivos.
Através do controle do ambiente produtivo, é possível ter melhor qualidade no campo e nos produtos, além de facilitar a vida dos produtores.
A gestão é impactada positivamente pela agricultura de precisão. Por conta das novas tecnologias, a gestão no campo foi dinamizada, melhorando a produtividade e o ganho dos produtores.
A gestão das propriedades é consideravelmente melhorada com a agricultura de precisão, uma vez que o gestor da área consegue ter uma noção mais ampla da produção e das demandas da produção.
Todos os momentos, desde a plantação até a pós-venda, conseguem ser agilizados.
O aumento no preço final do que é produzido também é um dos benefícios gerados pela agricultura de precisão.
O melhor aproveitamento do solo, o maior controle de pragas e doenças, e uma melhor decisão sobre o que deve ser feito na lavoura, garante a melhor qualidade das mesmas, o que aumenta o valor do produto por decorrência.
Aliado a isso, o rendimento das lavouras também aumenta, subindo consequentemente, o lucro do produtor.
Graças a agricultura de precisão e o processamento das informações corretas, é possível que o produtor tome decisões assertivas quando à produtividade.
Decidir a melhor hora de plantar, colher, adubar, identificar áreas de risco e áreas mais produtoras etc., aumenta o rendimento da lavoura.
Fonte: AgroComunica

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Total de visualizações de página