Buscar

Projeto Biomas mostra tecnologias para adequação ambiental no Cerrado

terça-feira, julho 10, 2018


Resultado de imagem para bioma cerrado



A Embrapa e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) apresentaram estratégias de restauração de Áreas de Reserva Legal (ARL) e de Áreas de Preservação Permanente (APP) no Cerrado em dia de campo do Projeto Biomas. O evento, realizado na Fazenda Entre Rios, na região do PAD-DF, no Distrito Federal no dia 29 de junho, contou com a participação de produtores, gestores públicos e profissionais de instituições ligadas à agricultura, ao meio ambiente e à extensão rural.
Segundo o pesquisador da Embrapa Cerrados (DF), José Felipe Ribeiro, coordenador regional do projeto, é fundamental difundir os resultados gerados a gestores responsáveis por programas de regularização ambiental e assistência técnica rural no DF. “Não basta o conhecimento científico. É preciso criar estratégias que propiciem serviço ambiental com retorno econômico para o produtor. Para isso, o técnico que trabalha direto com o homem do campo deve conhecer alternativas tecnológicas que melhor se adaptem a sua realidade no momento da regularização ambiental”, explicou. 
Os Sistemas Agroflorestais (SAFs), com um arranjo que associa espécies nativas do Cerrado (pequi, mangaba e baru) ao plantio de eucaliptos, estão entre as tecnologias recomendadas ao produtor. Para o presidente da Emater-DF, Roberto Carneiro, o projeto apresenta uma diversidade de modelos de recuperação de áreas com a perspectiva de conservação ambiental e melhoria de renda para o produtor, que pode ser aplicada em grandes, médias e pequenas propriedades rurais. “É uma parceria fundamental para o setor da extensão rural. Existem muitas áreas com passivos ambientais no DF e o produtor tem consciência de que precisa recuperá-las, mas de uma forma que caiba no bolso. O projeto demonstra que isso pode ser possível”, enfatizou.
Mauricilia da Silva - Pesquisador José Felipe Ribeiro apresenta experimento durante Dia de Campo na Fazenda Entre Rios, no DF.
Pesquisador José Felipe Ribeiro apresenta experimento durante Dia de Campo na Fazenda Entre Rios, no DF.
Cláudia Rabello, coordenadora executiva do projeto no âmbito nacional, destacou que um dos propósitos do Bioma é contribuir para a aplicação da legislação ambiental brasileira, como o Cadastro Ambiental Rural (CAR), que no momento em que o produtor se inscreve já identifica o passivo ambiental a ser recuperado na propriedade. “Aqui nesta área experimental foram testadas várias estratégias de recuperação e restauração, desde as mais tradicionais, que exigem maior investimento, até as menos onerosas, que possibilitam a regularização dos produtores perante o Código Florestal e, ainda, obtenham retorno econômico”, explicou.
José Felipe Ribeiro acrescentou que o desafio do projeto não é apenas produzir informação, mas fazer que ela chegue mais rápido aos técnicos da extensão rural e aos produtores que precisam realizar a adequação ambiental das propriedades. Nesse sentido, o WebAmbiente, sistema de informação interativo, disponível na internet, facilita a busca de informações sobre soluções tecnológicas para uso, recuperação e restauração de ambientes em ARL e APP nos seis biomas nacionais.
Desenvolvido pela Embrapa, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e pelo Ministério do Meio Ambiente em parceria com diversas instituições, o WebAmbiente contempla o maior banco de dados brasileiro sobre espécies vegetais nativas, além de estratégias para recomposição do ambiente, possibilitando simulações que auxiliam o produtor a tomar decisões no processo de adequação ambiental da paisagem rural.
Monitoramento com drones
Uma nova tecnologia com capacidade de coletar dados e imagens de alta resolução vai contribuir para a geração de dados mais precisos sobre os experimentos do projeto. O pesquisador da Embrapa Acre (Rio Branco, AC), Marcus Vinício d´Oliveira, realizou um sobrevoo nos 70 hectares da área reservada aos experimentos do projeto, com um Veículo Aéreo Não Tripulado (os Vant’s, popularmente conhecidos como drones). O objetivo do voo foi mapear os experimentos e avaliar o desempenho dos sistemas implantados por meio da medição da cobertura de copas e a estimativa dos estoques de biomassa da vegetação. Os dados coletados pela câmera embarcada no drone vão apontar como a recuperação da área está se desenvolvendo. 
A reintrodução da árvore na propriedade rural, com foco em ARL, Áreas de Sistema Produtivo (ASP) e Recuperação de Áreas Degradadas (RAD), é a principal meta do Projeto Biomas no Cerrado. Para desenvolver as atividades, o projeto conta com uma rede de profissionais que envolve pesquisadores da Embrapa, Universidade de Brasília, Universidade Estadual de Goiás, Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (campus Dourados), Emater-GO, Emater-DF e Instituto Federal Goiano.
O Projeto Biomas, iniciado em 2010, é fruto de uma parceria entre a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com a participação de mais de quatrocentos pesquisadores e professores de diferentes instituições, em um prazo de nove anos. Os estudos estão sendo desenvolvidos nos seis biomas brasileiros para viabilizar soluções com árvores para a proteção, recuperação e o uso sustentável de propriedades rurais nos diferentes biomas.
Saiba mais sobre o projeto Bioma Cerrado em: www.projetobiomas.com.br.
Fonte: Embrapa Acre

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Total de visualizações de página