Buscar

6 principais tecnologias que estão mudando a vida do agricultor

terça-feira, julho 24, 2018


Resultado de imagem para 6 principais tecnologias que estão mudando a vida do agricultor

Em qualquer ramo de atividade produtiva, é indiscutível a importância da tecnologia. A indústria investe cada vez mais em robôs e as cidades, com suas inovações em transportes e comunicação, também fazem uso de tecnologia de ponta em beneficio da população.
Entramos, literalmente, na era Tec, que agrega praticidade com facilidade na execução de tarefas, além de aumentar de maneira substancial a produtividade. Neste contexto, é claro que a agricultura não poderia ficar de fora. Com as últimas transformações, a Agro tecnologia une a tradição do campo com a tecnologia de ponta. Na atualidade, o que mais se observa é uma alta competitividade dentro do agronegócio mundial e, para “sobreviver”, um dos pré-requisitos é a busca incessante da produtividade.
Para isso, novas tecnologias agrícolas são apresentadas ano após ano pelos fabricantes do ramo, sempre objetivando aperfeiçoar a lida no campo. Dessa forma, para que continuem atuantes neste mercado, os produtores rurais vêm se especializando, aperfeiçoando e conhecendo as novas tecnologias que se apresentam. No artigo de hoje, listamos as 6 principais tecnologias utilizadas na agricultura mundial e que fazem com que a produtividade e eficiência atinja resultados cada vez maiores.
1. Drones: Acompanhando tudo por cima
Agro Tecnologia
Drones representam a tecnologia mais inovadora (e divertida) do momento. Eles são veículos aéreos não tripulados, controlados remotamente. Os drones têm ganhado grande espaço na agricultura: são bastante versáteis em lavouras, já que desempenham diversas funções e têm um custo relativamente baixo, variado de acordo com modelo e tecnologias embarcadas.
Para as atividades do dia a dia, os drones apresentam diversas vantagens que trazem grandes benefícios aos produtores. Veja as principais:
Acompanhamento e análise da lavoura. Com câmeras dotadas de equipamentos com infravermelho, é possível até observar casos de estresse hídrico ou presença de pragas;
  • Auxílio na pulverização das plantações;
  • Vigilância da lavoura e dos animais;
  • A telemetria da lavoura é facilitada;
  • Monitoramento de desmatamentos.
Os drones podem, ainda, receber personalização para atender às demandas de cada produtor, e, com a popularização dessa tecnologia, os preços diminuíram nos últimos anos e variam entre R$ 5 mil até R$ 120 mil.
2. Tratores autônomos
Veículos autônomos (que não precisam de motorista) vêm sendo o foco de pesquisas e investimentos altíssimos nos últimos anos. A indústria automotiva tem trabalhado bastante no desenvolvimento destas máquinas, e há grande expectativa de que, nos próximos 10 anos (ou até menos), carros autônomos sejam vendidos comercialmente em todo o mundo.
Seguindo esta mesma linha, a indústria de máquinas pesadas da agricultura também está se mexendo, e uma novidade impressionante vinda deste universo está surgindo. Trata-se do protótipo de um trator autônomo, ou seja, que não precisa de motorista.
A tendência é que estes tratores autônomos realizem operações ininterruptas(24 horas por dia no campo), aumentando a produtividade e a precisão na atividade agrícola. Para tanto, eles contarão com múltiplas câmeras e GPS, além de inovadoras tecnologias que detectam obstáculos que estão à frente. A vida do produtor rural será facilitada!
3. Máquinas agrícolas modernas
Semeadoras e colheitadeiras modernas já fazem a alegria de grandes agricultores no mundo, inclusive no Brasil, trazendo mais produtividade e eficiência para o campo.
Todo produtor sabe que, a preparação do solo e a agilidade de plantio são essenciais para o aumento da produtividade em qualquer lavoura. Associadas a tratores modernos e potentes, as plantadoras atuais trazem muito mais eficiência a esse processo, visto que o plantio é realizado com maior velocidade e qualidade.
Assim como a semeadura, a colheita é outro ponto-chave para o sucesso produtivo. Para isso, modernas colheitadeiras, por serem totalmente automatizadas, têm a capacidade de ajustar a velocidade e regular os acessórios sem que o operador precise sair da cabine. Com ela, a perda de grãos é muito menor, tornando o trabalho mais eficiente.

Passado e presente: evolução sem precedentes

Uma comparação entre passado e presente é bastante interessante quando falamos em inovação tecnológica.
A primeira colheitadeira produzida no Brasil é datada de 1965. Quando há a comparação dela com as modernas colheitadeiras da atualidade, vemos que o avanço tecnológico foi imenso. No passado, era preciso um dia inteiro para colher determinada área, já com as máquinas atuais esse tempo cai para incríveis 30 minutos.
4. Software de gestão: grande auxiliar da gestão das atividades
Para o empreendedor rural, o crescimento do negócio passa pela organização da gestão de todas as operações que englobam o processo agropecuário. Portanto, para auxiliar o produtor, diversos softwares e aplicativos de gestão estão sendo disponibilizados no mercado.
A agricultura, como é conhecida hoje, envolve diversas etapas que precisam ser realizadas no momento certo. A hora de plantar, de irrigar e o momento de aplicação de inseticidas na lavoura devem ser determinados com exatidão para que a produção não se perca e seja a melhor possível. Com um bom software de gestão agrícola, é só você inserir os dados que ele irá avisá-lo das atividades a serem realizadas.
No passado, a administração de todas as propriedades era feita por meio de planilhas e mais planilhas de papel, com a necessidade de realizar cálculos complicados e demorados. Hoje, essa rotina não existe mais, e os softwares agrícolas trazem um grande avanço neste sentido: as famosas planilhas estão armazenadas no computador, no smartphone ou tablet e até na nuvem, podendo ser acessadas quando e onde quiser.
É fato que os aplicativos estão cada vez mais inteligentes, e vêm se tornando indispensáveis para facilitar as tarefas do dia a dia do gerenciamento do agronegócio, automatizando o máximo de processos.
5. Internet das coisas
Sensores wireless, inteligência artificial, nanotecnologia, GPS, internet 4G. Certamente você já ouviu falar sobre essas tecnologias no dia a dia das maiores cidades.  Mas você sabia que essas tecnologias já chegaram no campo e estão conectadas entre si? O principal responsável por essa comunicação tem nome e sobrenome: internet das coisas.
O objetivo da internet das coisas é conectar essas tecnologias de forma inteligente e, assim, facilitar o dia a dia do produtor rural em suas atividades.
No campo, “coisas” são tratores, colheitadeiras, drones, sensores (nas plantas, nos animais ou nas instalações) e tudo mais que engloba a atividade rural. Quando estão conectadas na internet, essas “coisas” geram uma infinidade de dados em tempo real que, com o auxilio de aplicativos de gestão, viram informações valiosas. Após analisadas, essas informações ajudam na agilidade da tomada de decisão por parte dos responsáveis pela lavoura.
A internet das coisas já faz parte do dia a dia do agricultor, sendo, talvez, a maior inovação tecnológica da atualidade. Com a integração software + equipamentos, o produtor consegue juntar um número maior de informações para, assim, atingir a tão almejada produtividade.
6. Transgênicos: Uma verdadeira revolução
Não é só de tecnologia das máquinas ou de softwares que a agricultura moderna vive. Juntamente com a mecanização agrícola, estamos vivendo uma verdadeira onda de inovação da biotecnologia. Estamos vivendo uma Revolução Transgênica.
Transgênicos são espécies que tiveram parte do seu DNA alterada artificialmente com a inserção de novos genes. O gene inserido pode ter vindo de outra planta ou mesmo de outra espécie completamente diferente. No caso das plantas “geneticamente modificadas” a modificação é feita na busca de um organismo com características melhores que as suas, como, por exemplo, torná-lo mais resistente a pragas e insetos.
Apesar de ainda receber críticas de ambientalistas, muitos deles contrários aos transgênicos, hoje, essa biotecnologia é um sucesso no Brasil, vide o exemplo da soja. A grande maioria das lavouras de soja plantadas no país nos últimos anos é transgênica. Os produtores que decidiram adquirir soja geneticamente modificada observam muitos avanços decorrentes das características dessas sementes, e não pretendem, pelo menos por enquanto, voltar atrás na decisão.
Vale lembrar que essas tecnologias têm um grau tecnológico embarcado muito grande, e, geralmente, para tirar proveito delas, o produtor deve se aperfeiçoar e aprender sobre o correto manuseio das máquinas, dos drones, dos softwares e até dos produtos transgênicos. A união entre tecnologia e conhecimento é o que faz o agronegócio cada vez mais forte!
E você, pretende investir em alguma dessas tecnologias para sua lavoura? Conte pra gente pelos comentários e até a próxima.

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página