Buscar

Pesquisa revela que 43% dos executivos latinos pretendem aumentar investimentos em eficiência energética e energias renováveis

quarta-feira, novembro 08, 2017

Resultado de imagem para energias renováveis
O estudo de 2017 do Indicador de Eficiência Energética (EEI) da Johnson Controls entrevistou cerca 600 executivos de instalações e gestão foram consultados na Argentina, Brasil, Colômbia e México. A edição deste ano indica que 58% das organizações consultadas na América Latina estão dando mais atenção à eficiência energética do que há um ano e 43% planejam aumentar os investimentos em eficiência energética e energia renovável no próximo ano.
Embora a economia de custos de energia continue sendo o principal condutor de investimento (26%), mais de 20% das organizações na América Latina classificaram o aumento da segurança energética, a redução das emissões de gases de efeito estufa, o aumento do valor dos ativos dos edifícios e a melhoria da imagem da marca como impulsionadores extremamente importantes para o investimento.
Mesmo com a demanda por edifícios verdes aumentando, mais organizações planejam ter edifícios de energia zero do que edifícios verdes certificados no futuro. 54% das organizações planejam atingir um status de consumo de energia quase zero, consumo líquido de energia nulo ou com energia positiva para liderando o interesse. 42% das organizações já têm ou planejam ter pelo menos um edifício verde certificado no futuro, com o Brasil mostrando o maior interesse.
A resiliência é uma consideração cada vez mais importante para os investimentos em infraestrutura: 62% das organizações declararam que a manutenção de operações críticas durante eventos climáticos severos ou interrupções de energia prolongadas é muito ou extremamente importante quando se considera investimentos futuros em infraestrutura. Já 36% das organizações são muito ou extremamente propensas a ter uma ou mais instalações capazes de operar na rede nos próximos 10 anos.
O EEI 2017 indica também que construir benchmarking de desempenho e a liderança governamental são as políticas mais eficazes que impulsionam a melhoria da eficiência energética. 78% das organizações classificaram o benchmarking e a certificação do desempenho como muito ou extremamente importantes na promoção de melhorias de eficiência energética com a classificação mais alta do Brasil. 73% das organizações classificaram a liderança do governo em locação, construção de projetos e retrofits como muito ou extremamente importante para gerar melhorias de eficiência energética com a classificação mais alta da Argentina.
“O benchmarking e a certificação do desempenho do edifício são impulsionadores importantes do investimento e da melhoria”, diz Clay Nesler, vice-presidente de energia global e sustentabilidade da Johnson Controls. “Programas como o EnergyStar® e os sistemas de classificação de edifícios verdes fornecem um meio de medir e comparar o desempenho do edifício, ao mesmo tempo em que são reconhecidos os esforços para melhorar a eficiência, a saúde, o conforto, a produtividade e outros resultados.”
É o 11º ano que a Johnson Controls realiza o levantamento EEI, que analisa planos, práticas e investimentos em eficiência energética e energia renovável entre os decisores de nível executivo responsáveis pelo gerenciamento de energia e instalações em edifícios. Os 1.500 entrevistados deste ano são provenientes de 12 países, representando as principais regiões econômicas do mundo e uma variedade de carteiras de facilidades comerciais, institucionais e governamentais. Estes países incluem os Estados Unidos, Canadá, Polônia, França, México, Argentina, Índia, Cingapura, China, Colômbia, Brasil e Alemanha.
Sobre a Johnson Controls’ Building Technologies & Solutions
A Johnson Controls’ Building Technologies & Solutions tem um portfólio incomparável de produtos e soluções para HVAC-R, segurança e proteção contra incêndio para criar edifícios mais seguros, inteligentes e eficientes. Operando em mais de 150 países por meio de uma forte rede de canais de distribuição, a expertise em inteligência de integração para edifícios e as soluções de financiamento de energia ajudam proprietários, operadores, engenheiros e empreiteiros a transformar o ciclo de vida das edificações em ambientes seguros, conectados e sustentáveis. Sua liderança de mercado é estabelecida por meio de uma gama completa de marcas de confiança, incluindo as de segurança e incêndio Simplex e Grinnell, e as marcas de HVAC-R YORK®, Sabroe® e Metasys®. Para mais informação, visite www.johnsoncontrols.com.brou siga @JCI_BEnews.

Fonte: SEGS

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Categorias

Abastecimento (10) Abiove (2) Acordo Internacional (8) Acrocomia aculeata (32) Agricultura (13) Agroenergia (18) Agroindústria (8) Agronegócio (33) Agropecuária (14) Alimentos (242) Amazônia (5) animal nutition (1) ANP (21) Arte (1) Artigo (6) Aspectos Gerais (177) Aviação (28) Aviation market (14) B12 (1) B13 (2) Bebidas (1) Biochemistry (5) Biocombustíveis (275) Biodiesel (172) Bioeconomia (25) Bioeletricidade (8) Bioenergia (59) Biofertilizantes (2) Biofuels (97) Biomass (7) Biomassa (68) Biomateriais (2) Biopolímeros (7) Bioproducts (1) Bioprodutos (4) Bioquerosene (24) Biotechnology (31) Biotecnologia (21) Bolsa de Valores (11) Brasil (6) Brazil (28) Cadeia Produtiva (3) Capacitação (1) Carvão Ativado (5) CBios (18) CCEE (1) Celulose (1) Cerrado (5) Ciência e Tecnologia (231) Clima e ambiente (198) climate changed (39) CNA (1) Cogeração de energia (18) Combustíveis (48) Combustíveis Fósseis (13) Comércio (2) Consciência Ecológica (9) COP24 (76) COP25 (20) COP26 (2) Copolímeros (2) Cosméticos (22) Crédito de Carbono (37) Crédito Rural (1) Créditos de Descarbonização (10) Cultivo (97) Curso (1) Davos (2) Desenvolvimento Sustentável (33) Diesel (7) Diesel Verde (2) eco-friendly (4) Economia (50) Economia Circular (1) Economia Internacional (105) Economia Verde (166) Economy (30) Ecosystem (5) Efeito estufa (12) Eficiência energética (27) Empreendedorismo (1) Empresas (3) Energia (49) Energia Renovável (199) Energia Solar Fotovoltaica (4) Etanol (31) Europa (1) event (9) Eventos (90) Exportações (38) Extrativismo (30) FAO (1) Farelos (33) farm (1) Fibras (8) Finanças (3) Floresta plantada (84) Fomento (1) Food (42) food security (7) forest (1) Fuels (22) Gás (1) Gasolina (1) Gastronomia (1) GEE (1) Glicerina (1) Global warming (87) Green Economy (123) health (22) IBP (1) Incentivos (1) Industry 4.0 (1) Inovação (32) IPCC (14) L72 (4) L73 (1) Legislação (5) Lignina (2) livestock (4) Low-Carbon (45) Lubrificantes e Óleos (20) Macaúba (540) Madeira (3) Mamona (1) Manejo e Conservação (53) MAPA (3) Meio Ambiente (112) Melhoramento e Diversidade Genética (61) Mercado (3943) Mercado de Combustíveis (37) Mercado Financeiro (7) Mercado florestal (60) Mercado Internacional (23) Metas (1) Milho (4) MME (10) Mudanças Climáticas (4) Mundo (3) Nações Unidas (1) Nutrição animal (17) nutrition (9) Oil (49) Oleaginosas (44) Oleochemicals (6) Óleos (230) Óleos Essenciais (1) ONU (4) other (1) Palma (7) Paris Agreement (79) Pecuária (71) Pegada de Carbono (68) Personal Care (2) Pesquisa (10) Petrobras (3) Petróleo (18) PIB (1) pirólise (2) Plant Based (14) Política (70) Preços (6) Preservação Ambiental (4) Produção Animal (2) Produção Sustentável (18) Produtividade (5) Produtos (150) Proteção Ambiental (1) proteína vegetal (28) Recuperação de área Degradada (35) Recuperação Econômica (1) Relatório (1) renewable energy (16) RenovaBio (23) Research and Development (9) Resíduos (2) SAF (2) Saúde e Bem-Estar (88) science and technology (45) Sebo (1) Segurança Alimentar (71) Segurança Energética (4) Sistema Agroflorestal (9) Sistemas Integrados (2) Soil (8) Soja (22) Solos (11) Sustainability (45) Sustainable Energy (64) Sustentabilidade (408) Tecnologia (1) Transportes (2) Turismo Sustentável (2) Vídeo (215) World Economy (74)

Total de visualizações de página