Buscar

ONU apoia premiação que reconhece soluções para desafios sociais na América Latina

quarta-feira, novembro 22, 2017

Com o apoio de agências das Nações Unidas, a Fundação Banco do Brasil promove nesta quarta-feira (23) a entrega do Prêmio de Tecnologia Social, um dos principais do terceiro setor. A premiação tem como objetivo identificar e reconhecer soluções para desafios sociais, e este ano incluiu uma categoria para projetos desenvolvidos na América Latina.
Realizado a cada dois anos, o prêmio tem a cooperação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil e o apoio de Banco Mundial, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), entre outros parceiros.
Projetos de Argentina e El Salvador concorrem ao Prêmio de Tecnologia Social na categoria internacional. Foto: Fundação Banco do Brasil.
Projetos de Argentina e El Salvador concorrem ao Prêmio de Tecnologia Social na categoria internacional. Foto: Fundação Banco do Brasil.
Com o apoio de agências das Nações Unidas, a Fundação Banco do Brasil promove nesta quarta-feira (23) a entrega do Prêmio de Tecnologia Social, um dos principais do terceiro setor. A premiação tem como objetivo identificar e reconhecer soluções para desafios sociais, e este ano incluiu uma categoria para projetos desenvolvidos na América Latina.
A Argentina tem dois representantes entre os finalistas. O projeto “Caminhos da Favela” é uma ferramenta multimídia online que apresenta um diagnóstico comunitário das diferentes prestações de serviço e obras públicas realizadas pelo governo nas 20 favelas e assentamentos de Buenos Aires. A iniciativa tem amplo reconhecimento da cidade e se tornou uma ação de política pública.
Em um contexto em que apenas uma em cada quatro crianças na zona rural argentina faz uma refeição por dia, a Fundação Horta Niño aparece como uma importante iniciativa na luta contra a fome e desnutrição. Ela trabalha capacitando moradores de diferentes comunidades para autoprodução de alimentos em hortas comunitárias agroecológicas, plantio sem o uso de agrotóxicos, integrado ao ecossistema.
Com o programa Minha Horta, a fundação faz um levantamento da realidade socioeconômica, condições ambientais, recursos e necessidades locais. Após a articulação com lideranças, professores, pais, alunos e moradores, é definida a quantidade de canteiros e os materiais necessários. Os materiais são adquiridos com fornecedores locais para facilitar o deslocamento e reduzir a emissão de gases do efeito estufa no transporte.
Além da Argentina, uma experiência na cidade de Atiquizaya, de El Salvador, também está entre as finalistas. A Tecnologia Social Escolas Sustentáveis, organizada pela prefeitura da cidade, promove a educação alimentar e nutricional por meio do plantio de hortas nas escolas e nas casas das famílias, e colabora no enfrentamento da desnutrição infantil nas camadas mais vulneráveis da população, ao mesmo tempo em que garante mercado consumidor para os agricultores familiares locais.

Prêmio

Realizado a cada dois anos, o Prêmio Fundação BB de Tecnologia Social 2017 tem a cooperação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
As iniciativas internacionais finalistas receberão troféu e vídeo retratando o projeto, e serão convidadas a participar do Fórum Internacional de Tecnologia Social, nos dias 21 e 22 de novembro em Brasília (DF), véspera da cerimônia de entrega.

Fonte: Nações Unidas

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página